Pinheirinho: retrato vivo de quem o governo de São Paulo serve

A desocupação do Pinheirinho, em São José dos Campos, revela uma vez mais a quem o governo do PSDB serve. Não o povo, com certeza, mas os ricos e poderosos.

Segundo a Agência de Notícia das Favelas, Pinheirinho se encontra ocupado a décadas e já teve reconhecido a sua posse aos moradores, mas infelizmente, uma juíza, a pedido do governo PSDB, expediu uma ordem judicial para que a Polícia Militar realize a desocupação da área. Isso, depois de um acordo praticamente fechado envolvendo os governos federal e estadual, para regularização da área e posse definitiva da terra aos moradores.

...e nós temos a polícia.A eminência da ação policial fez com que os moradores do Pinheirinho se preparassem para o confronto. Preparação que fez com que o jornalista Giba Bergamim Jr. fizesse uma reportagem para a Folha que chega as raias do fascismo, chamando atenção para o fato de que os moradores vem reunindo armas e usando termos como “invasores”, “guerra” e “exército do pinheirinho”. A reportagem de Bergamim deixa claro que não só o Governo do Estado de São Paulo serve aos ricos e poderosos, mas também a Folha de S. Paulo, uma das integrantes do famoso PIG (Partido da Imprensa Golpista).

Não por acaso, Giba Bergamim Jr. se esquece de mencionar em sua reportagem que o terreno a ser desocupado pela Polícia Militar é de propriedade do megaespeculador Naji Nahas, que é o dono da massa falida da Selecta. Fala apenas que a reintegração de posse foi mantida à dona, a “falida Selecta”, e mais nada. (Abaixo deixei o link para essa “reportagem”).

Em nota oficial, o PSTU comentou a decisão da juíza em realizar a desocupação da área:

“Essa situação só foi possível por causa de uma ação criminosa da prefeitura do município, que protela, há meses, a emissão do documento que já poderia ter permitido a implementação do acordo feito entre o Ministério das Cidades do governo federal e a CDHU do governo do Estado e, também, pela decisão temerária, para não dizer irresponsável, da juíza de direito Márcia Faria Mathey Loureiro, que, mesmo sem embasamento legal, ordenou a desocupação.”

Cartoon de Carlos Latuff sobre a decisão judicial de reintegração de posse do Pinheirinho.

Mais de 7.000 moradores ocupam a região e gastaram todos seus recursos para construir suas casas no Pinheirinho. É evidente que estas mais de 1.500 famílias não vão simplesmente deixar tudo isso pra trás sem lutar e resistir. Se a decisão judicial persistir, estamos prestes a ver um banho de sangue patrocinado pelo prefeito de São José dos Campos, pelo Governador Geraldo Alckmin e pela juíza de direito Márcia Faria Marthey Loureiro, que deverão ser responsabilizados na eventualidade de mortos e feridos na ação da truculenta Polícia do Estado de São Paulo.

O rapper Emicida, ao ver uma foto dos moradores do Pinheirinho resistindo bravamente à decisão da juíza de direito, resolveu falar sobre o assunto em um post emocionante em seu blog, do qual extraio apenas um trecho:

“a história é cíclica, e ocorre em muitos cantos do nosso Brasil sem noticiamento algum e com desdobramentos mais violentos – vide as histórias recentes da criança indígena queimada por madeireiros, da marinha desrespeitando os quilombolas, veja o caso da Favela do Moinho em SP, incendiada criminalmente às vésperas do Natal, o projeto Nova Luz que visa desapropriar a região do centro para inserir nela “mais vida”. Estes são apenas alguns dos casos de maior repercussão midiática. Se formos estudar a fundo, realmente entramos no balanço da reforma agrária do ano que se passou e nos deparamos com outros inúmeros casos tristes de povos ribeirinhos/quilombolas/tradicionais que perdem suas comunidades em nome da especulação imobiliária, obras da Copa e tantos outros mega-projetos que tem ocorrido por aqui”. (Abaixo também deixo o link para o blog do Emicida).

Como Emicida, não posso deixar de dar meu total apoio ao pessoal do Pinheirinho e enviar minhas forças desde o bairro periférico e violento de São Paulo, onde moro. Assim como o rapper, eu também tenho o mesmo sonho de ainda ver “um Brasil sem desigualdade social, onde não exista tanta terra na mão de tão pouca gente, um país onde os mais pobres não tenham que pagar com o que não tem, pelas ideias bilionárias de quem pouco se importa com quantas vidas serão destruídas pela construção dos alicerces de seus edifícios”.

Gostaria de deixar aqui também link para ABAIXO-ASSINADO CONTRA A DESOCUPAÇÃO DO PINHEIRINHO. Nele, quem é a favor pode se posicionar contra a desocupação do bairro Pinheirinho, em São José dos Campos (SP), preparada pela Tropa de Choque, sob o comando do governador Geraldo Alckmin, e que pode ser executada nas próximas horas. Quem assina, coloca seu nome ao lado daqueles que acreditam que moradia é uma questão social e não deve ser tratado como caso de polícia, ainda mais quando existem tratativas avançadas para a regularização da área, onde vivem milhares de pessoas.

OUTROS TEXTOS:

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Política

2 Respostas para “Pinheirinho: retrato vivo de quem o governo de São Paulo serve

  1. Liana

    Até quando a propriedade valerá mais que a vida humana. Todas essas questões só me induzem a pensar em quanto somos idiotas por achar que alguns pedaços de papéis valem mais que as nossas vidas. Falta muito para nos tornarmos uma raça evoluída.

  2. Pingback: O documentário PINHEIRINHO – UM ANO DEPOIS acaba de ser lançado na íntegra no YouTube | Hum Historiador

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s