Sem violência, diziam os manifestantes… mas a Polícia Militar de São Paulo desconhece a não violência

Dia 13 de junho de 2013 foi mais um dia histórico para essa cidade. Como disse o professor Henrique Carneiro:

“Um dia para marcar um ponto de virada! As maiores manifestações populares em São Paulo e em todo o país, o despertar de uma nova geração para as grandes campanhas nacionais de lutas sociais!

Começou um novo movimento popular, fora do controle do PT, CUT, UNE e todos os traidores aliados com o PSDB. A dupla Haddad/Alckmin declarou guerra contra o povo! Agrediu sob o olhar do país inteiro uma marcha gigantesca e pacífica sem nenhum motivo!

O movimento, é óbvio que vai crescer!

Agora é indignação, o que faltava para o nosso país entrar na onda das primaveras de lutas dos povos do mundo.
Uma campanha de luta popular que vai crescer.

O próximo ato vai ser maior!

Quando juntarmos centenas de milhares nos protestos os governantes vão se dar conta que erraram, subestimaram o povo, desafiaram a juventude e agrediram a cidadania!”

Sem violência, diziam os manifestantes, mas a Polícia Militar de São Paulo desconhece a não violência e age, como sempre, com a covardia que lhe é característica, como demonstra o vídeo abaixo compartilhado no Facebook por um dos manifestantes que acompanhavam os protestos.

Além dele, muitas fotos mostraram a covardia e truculência da PMSP, mesmo contra jornalistas, pessoas que estavam trabalhando para cobrir as manifestações e, ainda assim, sofreram agressões covardes dos policiais. A foto abaixo, divulgada pela UOL Notícias, é exemplo típico disso.

PM ataca cinegrafista

Uma jornalista da Folha de S. Paulo (talvez mais uma das baderneiras mencionadas no criminoso edital do Estadão ou alguém comparável a uma criminosa do PCC, segundo o comentário do Jabor no Jornal da Globo), teve o olho atingido por uma bala de borracha disparada pela Polícia Militar durante o ato.

Reporter Folha Olho Atingido

Mas a população de São Paulo não vai retroceder. Isso é o que ela exige de seus governantes. Alckmin e Haddad ou retrocedem, ou a cidade vai parar e entrar em um caos generalizado.

A covardia não para na agressão aos manifestantes, para para produzir evidências contra a manifestação, a Polícia Militar de São Paulo depreda os próprios veículos para jogar a culpa na população. Claro, estão acostumados a fazer isso diariamente produzindo flagrantes contra os cidadãos. Não agiriam de forma diferente.

Não é por causa dos R$ 0,20 centavos de aumento, mas pelo desrespeito contra a população. Não só pelo péssimo serviço prestado pelas companhias de transporte em São Paulo, mas por um governo que gasta bilhões de dólares do dinheiro público, através do BNDES, financiando o bilionários como o Eike Batista e que alega não conseguir fazer com que as tarifas de ônibus sejam mais baixas para sua população.

Vinte centavos

Aproveito o momento para conclamar os paulistanos e quem mais estiver por aqui na próxima segunda-feira, dia 17/06, as 17h a juntar-se à manifestação. Será no Largo da Batata, em Pinheiros. Os próximos atos serão cada vez maiores.

Movimento Passe Livre – Manifestação contra o aumento das passagens de ônibus no dia 17/06 às 17h no LARGO DA BATATA.

Anúncios

3 Comentários

Arquivado em Política

3 Respostas para “Sem violência, diziam os manifestantes… mas a Polícia Militar de São Paulo desconhece a não violência

  1. Pingback: “Polícia Fascista, Vai Tomar No Cu!” Quarto Ato Do Dia 13/06 Em SP | Colunas Tortas

  2. Suvaco

    Falar “sem violência” abre o direito do MPL quebrar o que tinha sido combinado com a PM?

    Qual polícia do Mundo reage sem violência quando alguém faz algo contrário às ordens que lhe foram dadas?

    Nenhuma consideração sobre o MPL ter falado que iria só até a Praça Roosevelt e ter mudado de ideia?

    É autoritária a Constituição brasileira que define? Ela que “XVI – todos podem reunir-se pacificamente, sem armas, em locais abertos ao público, independentemente de autorização, desde que não frustrem outra reunião anteriormente convocada para o mesmo local, sendo apenas exigido prévio aviso à autoridade competente;” (art. 5o)

    Qual o conceito de “prévio aviso” que o autor entende o correto?

  3. Pingback: "Polícia Fascista, Vai Tomar No Cu!" Quarto Ato Contra o Aumento Da Passagem Em SP (13/06) - Colunas Tortas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s