Sobre o aumento do IPTU em São Paulo

Acabo de receber a notícia de que foi aberta no facebook uma convocatória para um ato contra o aumento do IPTU em São Paulo com o seguinte mote: SE O IPTU AUMENTAR, A CIDADE VAI PARAR !!!

Ora, em primeiro lugar, deve-se lembrar que o IPTU é um imposto que incide sobre a propriedade. Qualquer associação ou comparação do aumento desse imposto com o aumento da tarifa do transporte público é uma tremenda estupidez. Trata-se de uma manobra para cooptar os trabalhadores a protestar contra um aumento que afeta, em grande parte, a classe média, média alta e alta.

Vale lembrar que o último reajuste do IPTU em São Paulo se deu em 2009. Entre 2010 e 2013 a especulação imobiliária fez com que os preços dos imóveis, especialmente nos bairros ditos mais bem localizados de São Paulo (Jardins, Vila Mariana, Morumbi, Itaim, Vila Olímpia, Moema, Ibirapuera, Campo Belo, etc.), tivessem um aumento extraordinário em seu valor venal. Como bem explicou a urbanista e professora da FAU-USP Raquel Rolnik, esse “boom imobiliário sem precedentes foi catapultado pelo crescimento econômico, pelo aumento do crédito imobiliário e da participação do mercado paulistano na ciranda financeira local e internacional”.

Como bem lembrou Rolnik, em “uma cidade submetida unicamente à lógica financeira, bairros inteiros são descaracterizados e é cada vez mais difícil morar em bairros bem localizados”. Justamente no momento em que a cidade tenta “captar uma parte dos enormes ganhos imobiliários e financeiros gerado nos últimos anos” pelo grande aumento no preço dos imóveis através do reajuste do IPTU, surge uma reação de uma parcela da população que, indignada com o aumento, pretende mobilizar os trabalhadores para parar a cidade.

Ora, como se sabe, o  IPTU é das poucas fontes de receita própria dos municípios. O aumento de arrecadação dessa fonte permite que a cidade dependa cada vez menos de repasses de recursos do governo federal e estadual para investir naquilo que é considerado prioritário para a cidade, ou ainda, para pagar menos encargos frente ao endividamento que o município se vê obrigado a fazer por falta de recursos. Além disso, o reajuste do IPTU não afetará todos os cidadãos da mesma forma. Como podemos ver no infográfico abaixo, os bairros periféricos de São Paulo não só não serão afetados pelo reajuste, como terão uma redução do imposto.

IPTU SPaulo 2013

Infográfico publicado na Folha de S. Paulo

Após essas breves reflexões sobre o aumento do IPTU em São Paulo, cabe-nos fazer as seguintes perguntas:

  • A quem serve esse protesto que pretende parar a cidade?
  • Qual a relação que o aumento do IPTU tem com o aumento da tarifa do transporte público?
  • Por que o grupo que convoca o protesto pretende associar coisas tão distintas como o aumento do IPTU com o aumento do transporte público?

De minha parte, digo que estou fora de quaisquer protestos contra o aumento do IPTU, pois acredito que trata-se de um reajuste mais do que justificado, que permitirá a cidade investir melhor seus recursos em projetos considerados prioritários.

ATUALIZAÇÃO

Após ter publicado o post, fiz uma pesquisa para ver quem eram os maiores sonegadores de IPTU em São Paulo (ou se preferir, devedores de IPTU). Encontrei uma reportagem de 2009, publicada pelo portal R7, dando conta de que somente entre os dez maiores devedores do IPTU, a cidade estava sendo onerada em mais de meio bilhão de reais. Isso mesmo! A soma dos valores devidos somente pelos dez maiores sonegadores do imposto perfaziam um total de R$ 507 milhões em São Paulo. A lista dos devedores de então era composta por clubes, shoppings, hospitais, faculdades e até órgãos governamentais.

Abaixo, a lista dos maiores devedores do IPTU em 2009:

  1. Jockey Club – R$ 147 milhões 
  2. Associação Nóbrega de Educação e Assistência Social – R$ 91 milhões  
  3. Shopping Interlagos – R$ 54 milhões 
  4. Ceagesp – R$ 47 milhões 
  5. Correios – R$ 46 milhões 
  6. Hospital Santa Catarina – R$ 29 milhões
  7. SPTuris – R$ 28 milhões  
  8. Palmeiras – R$ 24 milhões 
  9. Fundação Cásper Líbero – R$ 21 milhões  
  10. Shopping Eldorado – R$ 20 milhões

Já outra notícia também de 2009, dessa vez publicada na Folha de S. Paulo, dava conta de que 13 shoppings de São Paulo totalizavam um débito de R$ 152 milhões.

A quem serve um protesto contra o aumento do IPTU?

Anúncios

48 Comentários

Arquivado em Política

48 Respostas para “Sobre o aumento do IPTU em São Paulo

  1. É como se Seu Madruga fizesse protesto contra a cobrança dos 14 meses de aluguel.

  2. Zuleide

    Vou refletir sobre o texto acima. Entretanto, a chamada classe média mantém-se nesse patamar a duras penas, tentando não descer à condição daqueles que estão isentos, talvez não por opção, mas por não conseguirem morar melhor, salvo algumas exceções. Penso que uma boa administração não deve fazer-se melhor por onerar ainda mais aos cidadãos, mas sim trabalhar para distribuir melhor aquilo que arrecada. . Elaborar um planejamento para receber as vultuosas quantias das classes altas ou ou pseudo-ricos inadimplentes, esse sim, seria uma trabalho digno de uma prefeitura competente. Mas, refletir sobre outra opinião é sempre um aprendizado. E assim o farei.

    • felipe

      A questão é: Se a prefeitura não sabe pra onde vai metade do IPTU, por que aumentar?
      E 20% em varias regiões? Não é exagero?

  3. ptista filho de uma egua

    seu petista de merda, nao temos merda nenhuma nessa cidade. aumentar para receber o que em troca. seu pau no cu,

  4. Murilo

    Os protestos, você bem sabe disto, não são pelo aumento de IPTU ou o aumento de passagem, é sim pelo fato de dar e não ter nada em troca, sua continha sobre especulação imobiliária é bem pertinente, mas você tergiversa sobre o assunto.

    • Caro Murilo,

      O primeiro protesto ocorreu ontem sob o mote “NINGUÉM AGUENTA MAIS TANTO AUMENTO DE IMPOSTOS… SE O IPTU AUMENTAR SÃO PAULO E REGIÃO VAI PARAR”.

      O segundo protesto já foi convocado e o título é o seguinte: “NINGUÉM AGUENTA MAIS TANTO AUMENTO DE IMPOSTOS… SE O IPTU AUMENTAR SÃO PAULO E REGIÃO VAI PARAR…POR MAIS LIBERDADE ECONOMICA E MENOS IMPOSTOS”.

      Pelo que eu estou lendo, me parece claro que os protestos são sim pelo aumento do IPTU. Além disso, o texto que recebi da convocatório falava abertamente que o aumento do IPTU estava relacionado com o aumento das tarifas do transporte público.

      De qualquer modo, se a questão é o fato de estarmos insatisfeitos com a qualidade de nossos serviços públicos, entendo assim como a professora Raquel Rolnik, que não é diminuindo os recursos arrecadados que o município vai gastar melhor. Por que não debater a proposta de gasto enviada junto com a proposta de aumento de receita? Como e quando vamos avançar no controle social do orçamento público?

      Att.

      RB

  5. eduardo

    Bom dia, sempre fui petista e continuo sendo, e por muitas vezes comprei muitos discursos prontos sobre onerar os mais ricos, distribuir aos pobres, porém nos últimos tempos tenho pensado de forma diferente sobre algumas questões, uma delas é sobre aumentos, neste caso sobre o IPTU. Conheço bem seus argumentos, pois os usei muitas vezes, mas hoje paro para pensar e questionar que sempre os aumentos oneram a sociedade como um todo, apesar da medida ser escalonada, e não há nenhum retorno efetivo para a sociedade deste aumento de demanda, a sociedade apenas paga, paga, paga, e os bens que podem condicionar qualidade de vida que são transporte, saúde, lazer e segurança, NUNCA são prioridades para o governantes. Notamos no Brasil que há sempre uma discrepância monumental entre o discurso politico e a pratica do dia-a-dia do cidadão comum.

    • Bom dia, Eduardo.

      Eu nunca fui e não sou petista. Meu post não é partidarizado, pois não estou em defesa do prefeito Fernando Haddad.

      O reajuste no IPTU, como tentei destacar no post, é um movimento da prefeitura para tentar captar um pouco do extraordinário aumento que o valor dos imóveis tiveram na cidade de São Paulo, especialmente nas regiões onde o aumento será maior. Portanto, esse aumento não onera a sociedade como um todo. Se olharmos bem os dados, veremos que 1 milhão dos 3,5 milhões de domicílios da cidade terão reajustes significativos no IPTU. Desta forma, 30% dos domicílios terão o seu IPTU reajustado de forma significativa. Quem são estes 30%? Que possíveis situações de vulnerabilidade podem existir entre os moradores destes domicílios?

      Como acabo de dizer na outra resposta, se a questão real por trás dessa convocatória de protesto é debater a qualidade do serviço público prestado ao cidadão, então não é diminuindo os recursos arrecadados que a cidade vai gastar melhor ou prestar melhores serviços. Ao invés de promover protestos com convocatórias esdrúxulas como as propostas, por que não debater a proposta de gasto enviada junto com a proposta de aumento de receita? Quando é que nós vamos finalmente tentar chegar a algum lugar no controle social do orçamento público? Manja orçamento participativo de verdade?

      Att.

      RB

  6. Ricardo

    Falou e não disse nada. Parabéns.

  7. Concordo plenamente, aliás tinha visto isso ontem no site da prefeitura. A tabela oficial está lá com aumento do IPTU para 2014. E realmente o bairros nobres de São Paulo terão um aumento relativo no pagamento do IPTU. Enquanto bairros como Jardim São Luis terão uma pequena redução. Isso é equidade. Acredito sim que quem tem mais deve pagar mais. E não vejo motivo algum para eu moradora do Capão Redondo ir protestar contra o aumento justo do IPTU para a classe média, que quando brigamos pelos 0,20 centavos estavam xingando deus o mundo dentro de seus carros por pararmos a cidade.

    • Pois é, Joelma, eu quis chamar atenção para isso com meu post. Aliás, meu texto foi muito mais uma crítica a organização do protesto e à maneira como seus organizadores fizeram a convocatória, tentando associá-lo com o aumento das tarifas do transporte público.

      Att.

      RB

  8. Márcio

    Se os grandes devedoras como citado acima não pagam e a prefeitura não consegue cobrá-los (judicialmente talvez…), com o aumento os valores das dívidas só aumentarão, eu estou enganado????

    • Olá Márcio,

      Sim, as dívidas aumentarão e, de certo, como sociedade, deveríamos muito mais nos mobilizar para que os grandes devedores e sonegadores pagassem suas dívidas para com o município do que tentar diminuir uma das principais fontes de arrecadação da cidade.

      Mas esse debate passou desapercebido pelos organizadores do protesto e ninguém foi cobrar a prefeitura em relação a isso. Uma vez mais, essa parte da sociedade prefere “tirar o seu da reta” do que exigir que a prefeitura tome medidas para garantir que o IPTU seja pago, em especial, pelos grandes devedores.

      Att.

      RB

      • José Henrique

        Rogério,

        Quem sabe mesmo fazer protestos são os estudantes de Ciências Sociais, estes pseudointelectuais formandos/estudantes na USP que sempre sabem o que é bom é ruim para classe trabalhadora, pobres, etc. O restante é burguês, que na maioria dos casos estudou em colégios públicos e estudou em faculdades particulares pagas com muito esforço. No seu texto você esqueceu de mencionar o quanto a prefeitura irá arrecadar a mais com este aumento a cifra passa de 1 bilhão de reais, é muito dinheiro para ser administrador pelas mesmas pessoas que já provaram que são ineficazes, afinal de contas o que é de todos não é de ninguém. Porque ter uma gestão eficiente se sempre que precisamos podemos aumentar os impostos quanto quiser, sem levar em consideração os impactos a curto, médio e longo prazo. O importante é que ano que vem terá muita verba de bolsas para pesquisadores viajarem a vontade para o mundo, diversos canais de financiamento público , licitações a vontade para os mais diversos serviços e produtos, este governo tão socialista e paternalista, mas tudo isso é claro que só para quem for “companheiro(a)” de carteirinha o resto estes sim é que se danem.

        José Henrique

      • Caro José Henrique,

        Além de sua tentativa de fazer um ataque pessoal, não vi nada de relevante em seu comentário sobre a discussão em pauta.

        Não sei se quem sabe mesmo fazer são os estudantes de Ciências Sociais, mas certamente quem organizou esse protesto o fez de maneira equivocada, em minha humilde opinião, como tentei demonstrar com meu texto.

        Quanto a suas considerações sobre “o restante”, essas são SUAS CONSIDERAÇÕES, não minhas. Tenho profundo respeito por todos que estudaram em escolas públicas e em universidades particulares pagas com muito esforço. Aliás, minha família se encaixa na descrição que você acaba de fazer.

        Não sei se você leu as respostas que dei aos outros comentaristas desse post, mas considero que o aumento de arrecadação para que a cidade de São Paulo possa continuar a investir em novos projetos é indispensável. Como informado previamente, só de encargos com a dívida pública, pagamos R$ 3,5 bilhões. Em 2012, o valor utilizado para investimentos da Prefeitura (R$ 3 bi) foi inferior ao gasto com encargos da dívida.

        Novamente, reforço que entendo que se deve cobrar a Prefeitura quanto a eficiência da gestão. Aliás, foi pra isso que coloquei a lista dos maiores devedores de IPTU. Os organizadores do protesto, sequer colocaram isso na pauta. Simplesmente prefere-se desviar a questão tão importante do IPTU para uma questão de disputa entre partidos políticos o que, para mim, é irrelevante, já que sou totalmente contrário à via institucional.

        Quanto a suas considerações a respeito das bolsas para pesquisadores serem distribuídas de acordo com uma lógica que beneficie os “companheiros de carteirinha”, elas simplesmente revelam o quanto você está desinformado a esse respeito. Ainda mais se isso foi dirigido a minha pessoa, cuja pesquisa está relacionada a uma universidade estadual, financiada por uma agência também estadual e, portanto, ligada ao partido que tem governado o estado há 20 anos, e não aos companheiros de carteirinha. 😉

        Att.

        RB

  9. Ivan Varrichio

    Entendo seu ponto de vista, mas a prefeitura não precisa de dinheiro, sendo que São Paulo tem um forte turismo um dos maiores do país que é o comercial e feiras que sempre tem. Tributos são, com certeza mais recolhidos em São Paulo do que qualquer outra cidade digo isso sem medo de errar. Ocorreu um escândalo sobre propina recebida pela ex-gestão da prefeitura de construtoras onde estas causam esse “boom de especulação”, aliás o que vem bem a calhar já que estas construtoras tinham despesas “extras”.
    E vc mesmo contrapõe sua posição quando aponta os devedores de IPTU, onde parece que quem vai arcar com essa inadimplência será a população da “classe média”. Veja que a “classe média” é composta por quem ganha de 1 mil à 4 mil reais. Agora reflita que se vc herdou uma casa ou comprou a mesma há 20 anos ou mais por um preço relativamente acessível e pequeno, ela valorizou um absurdo por especulação(valor inclusive que ninguém paga) e agora vc deve pagar uma taxa tributária, mesmo ganhando um salário um pouco maior do que na época. Vc não tem pra onde ir pra quem vender a casa e não rola pagar aluguel pois com certeza essa outra taxa sofrerá um aumento. Pra quem será que vai doer o bolso? Pense sobre.

    • Caro Ivan,

      Claro que a prefeitura de São Paulo precisa de dinheiro, caso contrário, como ela vai conseguir arcar com suas dívidas, manter seus programas e, ainda por cima, investir em novos projetos?

      Somente com relação à dívida pública, São Paulo tem o maior endividamento do país. Segundo reportagem da Folha, essa dívida é igual ou superior a duas vezes a receita anual do município (http://www1.folha.uol.com.br/poder/1146887-novo-prefeito-de-sp-herdara-maior-endividamento-entre-principais-orcamentos.shtml).

      Estamos falando aqui da bagatela de R$ 58 bilhões (em 2012). Somente nessa rubrica, portanto, vê-se que a cidade necessita (e muito) aumentar sua arrecadação e, quer queiram, quer não, o IPTU é uma das principais fontes de recurso do município.

      Se utilizarmos apenas essa reportagem como fonte de informação, já vemos que a cidade de São Paulo está proibida de tomar crédito e, desta forma, a Prefeitura não tem acesso aos recursos oferecidos por bancos públicos e instituições internacionais para financiar obras de urbanismo, transportes e projetos ligados, por exemplo, à Copa.

      Além disso, do orçamento do ano passado, os investimentos paulistanos somaram pouco mais de R$ 3 bilhões, enquanto juros e amortização da dívida chegaram a R$ 3,5 bilhões. Gastamos mais com encargos da dívida do que com investimentos para a cidade. Como você pode vir aqui e dizer que a cidade não precisa ampliar a sua base de arrecadação?

      Eu não contraponho a minha posição. Quando aponto os maiores devedores de IPTU da cidade, estava mostrando um caminho viável de pressionarmos a Prefeitura para ampliar a sua arrecadação. Além do aumento do IPTU, não deveríamos exigir que a Prefeitura adotasse métodos que garantissem que os maiores devedores e sonegadores pagassem seus débitos com o município? Em vez de fazer um protesto para diminuir a arrecadação da cidade, não deveríamos protestar exigindo que quem devesse fosse efetivamente cobrado? Ou quem sabe até, fazer um boicote contra os principais devedores?

      O cenário que você sugere no final do seu comentário é apenas um cenário e, de longe, não é o mais comum. Como destaquei em outra resposta, se olharmos bem os dados, veremos que 1 milhão dos 3,5 milhões de domicílios da cidade terão reajustes significativos no IPTU. Desta forma, 30% dos domicílios terão o seu IPTU reajustado de forma significativa. Quem são estes 30%? Que possíveis situações de vulnerabilidade podem existir entre os moradores destes domicílios? Será que se encaixam no cenário que você descreveu? Quantos desses 30% estão em situação de vulnerabilidade? Dados que eu gostaria de obter e, nesses casos específicos, entendo que seria importante a Prefeitura adotar métodos de cobrança tributária diferenciadas… Contudo, essa é uma discussão e um debate que não foi proposto pelos organizadores do evento que meu post critica. No fim, deve-se lembrar que meu texto foi escrito para criticar diretamente a organização daquela manifestação, bem como, dos métodos aplicados.

      Att.

      RB

  10. felipe

    A questão é: Se a prefeitura não sabe pra onde vai metade do IPTU, por que aumentar?
    E 20% em varias regiões? Não é exagero?

    • Caro Felipe,

      O reajuste na tarifa, como exposto no post, deve-se a um movimento da prefeitura de São Paulo em direção a captar parte do extraordinário aumento que os imóveis tiveram nos últimos anos, especialmente nas regiões onde o reajuste será maior, já que são as regiões mais valorizadas da cidade.

      A prefeitura sabe muito bem quem são seus grandes devedores. O que nós, como sociedade, deveríamos exigir da prefeitura é que ela tenha métodos que garantam a efetividade da cobrança do IPTU, especialmente dos grandes devedores e sonegadores. Contudo, como disse anteriormente, essa discussão sequer foi tocada pelos organizadores da manifestação, que preferem simplesmente “garantirem que eles não serão onerados pelo aumento”. O resto, como diria Justo Veríssimo, “o resto que se exploda”.

      Att.

      RB

  11. Rafael

    Rogério,

    Todos sabemos do “boom imobiliário” em SP, mas o aumento do IPTU não está ligado, somente, a isso. Os empreendimentos lançados desde 2009 pra cá, não foram somente comerciais, foram também residenciais. Aumentar o IPTU atinge não só diretamente o proprietário como encarece o custo de vida daqueles que estão migrando da grande SP para a capital de SP, ou até mesmo da zona “lost leste leste leste”, pro centro de SP. Locar um apartamento, ou uma casa, em SP já era difícil, imagina agora!

    Primeiro, os protestos que houveram, não foram somente à tarifa. “Is not about 20 cents”, e sim aos impostos que nos são cobrados, sem RETORNO. O “povo” está cansado de ver aumento aqui, aumento alí ANTES de uma solução ser apresentada pra esses inúmeros problemas que a cidade de SP tem. Não será esse aumento de IPTU a solução pros gastos da cidade. SP não precisa deste reajuste pra modificar alguma coisa, SP detinha, até janeiro deste ano, o 36° maior PIB do mundo! (http://brasileconomico.ig.com.br/noticias/cidade-de-sao-paulo-tem-o-36-maior-pib-do-mundo_127683.html) SP precisa de um governo que mostre a SOLUÇÃO pra SOCIEDADE antes de COBRAR uma verba da própria sociedade pra lhes dar uma solução. Adiantou fazer esses inúmeros km de linha de ônibus, se somente PINTOU a rua, inviabilizando vários trechos, aumentando o congestionamento e infrações em SP sem antes mesmo fazer uma análise e engenharia sobre o trafego? Quem dirige em SP sabe do que to falando!

    Se querem ir à rua, novamente, brigar pelo não aumento de mais uma tarifa (que é o imposto), por que não??? Realmente não tem nada a ver com a tarifa de transporte público, tem a ver com a “malandragem” que o governo ta fazendo diante da sociedade que vem pagando e pagando e nada de melhorias REAIS!

    Voce mesmo colocou aí uma listas dos devedores de IPTU em SP, mas acredita que o aumento de IPTU irá atingí-los? quem são os verdadeiros afetados? o POVO! (seja do centro, região nobre ou região afastada) então lhes dê o direito de ir à rua brigar pelo não aumento.

    • Caro Rafael,

      Como disse em outras respostas, se a questão é o fato de estarmos insatisfeitos com a qualidade de nossos serviços públicos, entendo assim como a professora Raquel Rolnik, que não é diminuindo os recursos arrecadados que o município vai gastar melhor. Por que não debater a proposta de gasto enviada junto com a proposta de aumento de receita? Como e quando vamos avançar no controle social do orçamento público? Por que não fazer um protesto e cobrar da prefeitura uma melhor gestão dos recursos arrecadados e pressioná-la para que garanta a efetividade na cobrança dos grandes devedores?

      Você diz que não será esse aumento de IPTU que vai resolver os gastos da cidade. Ora, como pode dizer isso? É claro que o aumento em uma única fonte de arrecadação não é A SOLUÇÃO, mas ela faz parte de uma série de medidas a serem tomadas pela Prefeitura que, a meu ver, tomou uma decisão acertada. Cobrar nossos governantes para gerir bem os recursos arrecadados é outra tarefa importante nesse processo e que cabe à sociedade.

      Os protestos de junho se iniciaram sob a bandeira do aumento da tarifa dos transportes públicos. Aumento, aliás, duramente criticado nesse blog (https://umhistoriador.wordpress.com/2013/06/14/fernando-haddad-trai-a-periferia-de-sao-paulo/). Dias depois das primeiras manifestações, novas pautas e novos integrantes se juntaram aos manifestantes que iniciaram os protestos. Contudo, a mobilização foi feita pela revogação do aumento, em um primeiro momento, para posterior movimentação contra a própria tarifa do transporte público. Uma vez atingido o objetivo inicial, os protestos se esvaziaram e, logo em seguida, cessaram. Minha crítica nesse post foi voltada diretamente à organização de um protesto contra o aumento do IPTU, da forma como foi organizado, sem uma pauta decente de discussões e debates, e pela tentativa tacanha de associar esse protesto à redução da tarifa dos transportes públicos como estratégia de cooptação dos trabalhadores. Em minha opinião, além de um protesto marcado pela pouca profundidade da pauta, por outro lado, mostrou-se ardiloso e mau intencionado.

      Será mesmo que o aumento do IPTU vai afetar duramente, como você destacou, os moradores da grande São Paulo que estão migrando para o centro? Será que afetará os da “Zona Lost”, como você se referiu, que estariam migrando para o centro? Quais são os números que você oferece? O que conheço a esse respeito não condiz com sua descrição. Moradores da Grande SP e das zonas periféricas não migram para o centro, ao contrário, moram cada vez mais na periferia e precisam se deslocar para o centro através do transporte público. Aliás, é justamente por isso que o aumento na tarifa do transporte público era nefasta contra eles de modo generalizado.

      Ainda assim, segundo os dados colhidos junto à Prefeitura, 30% dos domicílios terão o seu IPTU reajustado de forma significativa. A discussão deveria passar por identificar quem são estes 30%? Que possíveis situações de vulnerabilidade podem existir entre os moradores destes domicílios (não proprietário, mas moradores)? Será que se encaixam no cenário que você descreveu? Quantos desses 30% estão em situação de vulnerabilidade?

      O fato de São Paulo ser o 36o maior PIB do mundo não implica, como você pretendeu, que ela não necessite ampliar sua arrecadação. Diante dos números do orçamento municipal, logo vê-se que não trata-se apenas de gerir melhor os recursos já existentes, mas sim de tentar ampliá-los para poder atender melhor a sociedade. Cabe a nós, como sociedade, fiscalizar a gestão do recurso público. E não simplesmente nos omitir todos os dias e apenas nos manifestar quando temos que pagar a conta. A vida em sociedade não deveria funcionar assim. É justamente por isso que somos vítimas da corrupção e da má-gestão pública.

      Veja bem. Parece que você não entendeu ainda o que escrevi. Não sou contrário à manifestações que protestem contra o aumento do IPTU. Fui contra essa manifestação em específico pela forma como ela foi apresentada. Querem fazer manifestações, OK!!! Apresentem-se com pautas legítimas, com melhor conhecimento do assunto em questão, debates mais aprofundados sobre os recursos do IPTU, com propostas viáveis de melhor gestão do dinheiro público e, de preferência, sem ardis.

      Quanto a sua última pergunta, acho que os verdadeiros afetados são 30% das moradias que pagam IPTU em São Paulo. Quem são? Estarão submetidos a vulnerabilidades? Vamos discutir sobre o assunto ou vamos apenas usar afirmações genéricas e considerar que esses 30% são O POVO?

      Att.

      RB

  12. Carlos José De Maio

    Deste panorama todo o que se destaca é a completa falta de conhecimento de quanto, onde e como o orçamento desta RICA cidade é “gasto”. Muitos credores de IPTU existem, pq nossa legislação é frouxa e a fiscalização é ALTAMENTE corrompida. Nunca vemos uma iniciativa de redução de “gastos” do governo e um combate eficaz contra a sangria dos cofres através de inúmeras roubalheiras dos “nobres” administradores da cidade. Sua visão de “classes mais abastadas” me parece um tanto míope. Pode e deve existir reajustes de impostos com equidade, mas depois de esforços verdadeiros para enxugar e aproveitar melhor o orçamento da cidade (que tem a maior parte carcomido pelo bando de pulhas que compõe o governo). Quanto aos protestos, depois daquele grande em julho só restou um bando de idiotas arruaceiros e pelegos de sindicatos para tornar nossa cidade um pouco mais inóspita.

    • Carlos José,

      Quanto aos credores, coloquei-os no post justamente para mostrar que além do aumento do IPTU, temos outra forma de pressionar a Prefeitura que é fazendo com que ela garanta a efetividade da cobrança dos maiores devedores/sonegadores. Talvez uma manifestação que fosse na porta da Prefeitura clamar por melhor fiscalização e gestão dos recursos públicos, exigindo a presença do Prefeito em debate público quanto à melhor forma de investir os recursos da prefeitura fossem mais efetivos do que um protesto, na Paulista, contra o aumento do IPTU.

      Minha visão das “classes mais abastadas” pode até ser míope, mas não é através desse post que você a conheceu. Aqui eu fiz um pequeno texto rápido para criticar os organizadores de um protesto mau organizado. Portanto, você sequer me ouviu falar sobre o que penso das “classes mais abastadas”. 😉

      No mais, quanto a você achar que após os grandes protestos de junho só restaram “idiotas arruaceiros e pelegos de sindicatos para tornar nossa cidade um pouco mais inóspita”. Essa é sua opinião, da qual eu discordo totalmente por generalizar grupos tão heterogêneos e, certamente, por acreditar que você não conhece sequer parte de todos os grupos que estão nas ruas protestando.

      Att.

      RB

  13. Rodrigo

    Concordo com tudo, entende tudo.
    Mas já que estamos falando sobre um imposto sobre PROPRIEDADE, não entendo o aumento (mesmo que pequeno) em várias regiões de São Paulo, por exemplo no Grajaú, que está sendo atacada com uma série de desaPROPRIAÇÕES pelo governo do Haddad.
    E o pior, com a promessa de diálogo, a prefeitura vai cozinhando e barbarizando com esses moradores.
    Esse mapeamento por região não revela a complexidade da questão territorial de um município como São Paulo.
    Só vou pra rua se for na quebrada!

  14. MALFEITOR MALDHAD, O PETRALHA.

    O MALFEITOR MALDHAD ESQUECEU-SE QUE A “VALORIZAÇÃO” É NA VERDADE UMA BOLHA E QUE NINGUÉM ESTÁ CONSEGUINDO VENDER NADA, OU SEJA, ESTÃO TAXANDO PELO O QUE ACHAM QUE VALORIZOU. QUERO VER BAIXAR QUANDO OS PREÇOS CAIREM.

  15. Gustavo

    Piada isso não? Então vamos raciocinar… Em primeiro lugar, a valorização do mercado imobiliario só pode ser tributada quando o proprietário realiza o lucro, ou seja, quando vende o bem e recolhe o imposto sobre o ganho de capital. Se estourar uma bolha imobiliaria, Haddad vai abrir mão do IPTU? Duvido. Como mencionado no texto, IPTU é fonte de caixa para a prefeitura, ou seja, vai sim cobrir o ônus que a redução da tarifa de ônibus trouxe ao municipio. Por fim, os “bons pagadores” do IPTU devem ser penalizados pelo prejuízo que tais instituições dão ao município quando deixam de pagar ilegalmente o imposto?

    • Caro Gustavo,

      A valorização do mercado imobiliário é uma das justificativas para reajuste no IPTU, uma vez que este é calculado com base no valor venal do imóvel. Segundo o site da prefeitura: “O IPTU a ser pago pelo contribuinte resulta da aplicação de alíquotas fixadas em lei sobre o valor venal do imóvel. Esse valor venal é apurado de acordo com normas técnicas de avaliação, aprovadas pela Lei 10.235/1986 e pela Lei 15.044/2009 e suas atualizações.” (Fonte: http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/financas/servicos/iptu/index.php?p=2456)

      Como dito no texto, ao perceber o grande aumento no valor dos imóveis, a Prefeitura tentou captar parte dessa valorização através do reajuste. É evidente que nenhum prefeito vai abrir mão de sua principal fonte de recursos para administrar a cidade.

      Associar o reajuste do valor do IPTU com o “ônus” causado pela redução da tarifa do transporte público é desconsiderar as outras despesas que a Prefeitura tem em seu orçamento. Como apontado em outras respostas, apenas em encargos de dívida pública, em 2012 a Prefeitura teve que arcar com R$ 3,5 bilhões. A soma arrecadada pelo reajuste do IPTU vai entrar no montante total que permitirá a Prefeitura arcar com suas despesas e fazer novos investimentos na cidade. O reajuste, portanto, não está diretamente relacionado com o fato da tarifa do transporte público não ter aumentado. Independente disso ter ocorrido, a Prefeitura certamente levaria o mesmo projeto à Câmara dos Vereadores para votação.

      Att.

      RB

  16. Nossa cidade é IMUNDA,MAL CUIDADA,O ESPAÇO PÚBLICO DECRÉPITO,O TRANSPORTE INEFICIENTE,EXTREMAMENTE VIOLENTA e temos taxas tributárias de paises NÓRDICOS!!!!E ISSO COM PTRALHAS OU TUCANOS NA ADMINISTRAÇÃO RESUMINDO:ESTAMOS TODOS FODIDOS!GOSTEM VCS OU NÃO!!!

  17. Daniel

    Bacana sobre o boom imobiliário, mas
    Até parece que IPTU só afeta a classe média e a classe alta, já seria muita gente!! Fato que o iptu é repassado ao inquilino. Não é o proprietário que paga.
    Vi muito bairros “pobres” com aumento considerável no IPTU. Os aluguéis ficam mais caros e dificulta ainda mais o acesso. Nitidamente encaminha para que o pobre continue na perifa e o rico numa região mais central… Não vejo essa medida como distribuição de renda.
    Correios e instituição social não deveria pagar iptu. Essa lista dos devedores é absurda.

  18. Marcos

    Bom dia a todos, antes de apoiar ou criticar alguma coisa eu faço parte de uma fatia enorme de brasileiros que não entende de politica e com certeza não gosta dela, com isso não sou adepto de nenhum partido, legenda ou o que quer que seja. Porém sou paulistano e posso falar da região que eu moro que é a Z/L perto de Itaquera, eu vejo que ultimamente eu tenho pago algumas multas de transito e agora essa relação com IPTU e olho para que seria esses encargos senão para manutenção das vias ou melhorias no meio onde vivemos, porém as ruas do meu bairro são esburacadas sem manutenção alguma a ponto que tive que trocar uma roda de um carro por causa de um buraco, infelizmente nos últimos meses tive que ir ao HC (Hospital das Clinicas) no centro da cidade, antes eu tinha a seguinte visão sobre aquele lugar, um hospital de ponta, cheio de excelente profissionais com todas as parafernálias possíveis e imagináveis, me decepcionei profundamente, o PS de lá é pior do que alguns hospitais da periferia, eu estou cada vez mais revoltado com políticos hipócritas e sem a mínima noção do que é precisar de serviços públicos, claro que eu acredito que o ambiente quem faz somos nós, educação e respeito pelo próximo são premissas básicas para a convivência em qualquer lugar como dentro de um ônibus ou metro, mas sim sou contra qualquer tipo de aumento de imposto que vai servir para enricar ainda mais os políticos corruptos.

    Marcos

  19. Laura

    qual o motivo de o IPTU da Vila Nova Cachoeirinha aumentar tanto? o bairro situa-se na periferia da Zona Norte, não vejo motivos para que haja um aumento tão expressivo

  20. William

    Realmente, os milionários da Cachoeirinha, Jaraguá, Cambuci, Pari, Vila Formosa, Brás, etc. só podem estar muito insatisfeitos com esse aumento absurdo.

  21. Por outro lado acho sim, que o que se deve fazer, não só em relação ao IPTU mas bem como com todos os impostos absurdos que pagamos neste pais, é cobrar o uso correto do mesmo. Afinal o que vimos sempre é, nosso rico dinheirinho pago em impostos, vazando em cuecas, pastas e outras formas desonestas que proliferam por este pais.

  22. nao tem logica……meu imovel valorizou mas nao vou vende-lo….no futuro quem sabe, por nao ter como pagar iptu………é assim q as construtoras e a prefeitura nos expulsam para a periferia…..moro no caxingui e vai ser reajustado pelo valor do morumbi porque é o mesmo distrito……..é o conluio imobiliario tomando nossas casas para os novos ricos……

    e depois nao seria mais apropriado recolher os impostos que o s fiscais acertam por fora das novas construçoes……vide o caso atual ……

    aceitar o aumento do iptu pela valorização dos imoveis e participar da corrida imobiliaria e expulsão dos velhos moradores dos bairros…..quem ganha somente são os especuladores e pra esses tanto faz o valor

  23. Pingback: [ZELIC] Escarcéu do IPTU prova que elites não querem ceder nada | Hum Historiador

  24. Juliano Jorge

    A única causa de todos os problemas do Brasil se chama Corrupção. Sim, corrupção apartidária.
    Não estou aqui discutindo a valorização imobiliária nem a maneira (às vezes inútil) de como alguns protestos são feitos.
    Mas se fizermos qualquer tipo de análise dos problemas que vemos, vou lhe dizer que, direta ou indiretamente, a corrupção é a causa inicial.
    Eu me arriscaria até a desafiar qualquer um a discutir sobre isso (uma discussão sadia sempre, claro).
    Claro que não sou dono da verdade, mas acho difícil me apontarem para outra direção.

  25. Pingback: Bolsa família, aumento do IPTU e sistema tributário | É só um detalhe

  26. Suzana Ribeiro

    Pessoal, as opiniões são divergentes. Tudo é tão cansativo!!! Quem quer me ajudar a desembaraçar minha revisão de valores da minha aposentadoria por tempo de serviço? Me aposentei por tempo de serviço (30 anos), contribui durante todos esses anos e quando me aposentei o INSS “errou” o cálculo e tive de entrar em uma revisão que ganhei a ação em 2008 mas o INSS de SBC recorreu. Eles estão brigando em cima de uma importância de + – R$ 20.000,00 o que é uma vergonha. Coloquei nas mãos de um advogado Dr. Roberto Brito de Lima que encontrei na internet por não conhecer nenhum advogado Previdenciário, que já me levou R$ 1.800,00 e ainda tenho uma promissória de R$ 1.800,00 em poder dele, que nunca entrou em contato comigo para falar do meu processo que está nas mãos dele há quase 2 anos. Se unam todos vocês para me ajudarem a resolver esse tão penoso assunto que já rola desde 2.004? Acho que esse é um assunto mais pertinente, não acham? Conto com a ajuda de todos vocês que estão debatendo com o Sr. Rogerio Beier para entrar nessa luta junto comigo. Acho que assim eu recebo minha aposentadoria com um valor decente. Hoje é R$ 920,00. Trabalhei desde os meus 16 anos, hoje com 60, e não posso usufruir minha aposentadoria por que o INSS não resolve meu caso. “Socorro”.

  27. Só não concordo com esse discurso de que é justo porque o imposto subirá para os ricos e reduzirá para os pobres.

    Ora, quem vocês chamam de ricos? IPTU deve subir para 1,8 milhão de imóveis e cair para 227 mil! Tem tanto rico em São Paulo?

    Vai subir 20% em bairros como Vila Nova Cachoeirinha, Jaraguá, Santana, Santo Amaro… Desde quando esses bairros são classe média-alta?

    O IPTU já não era alto o suficiente? Se você, caro blogueiro, está feliz com o valor que paga de IPTU, acha justo e considera que recebe os benefícios em troca, que bom para você!

    Eu gostaria de ver aplicado o que eu já pago (e não acho pouco, pela precariedade do bairro onde moro).

    Quando você diz que não é reduzindo os tributos que conseguiremos melhorias de serviços, fica parecendo que pagamos poucos impostos!

    Já deu uma passada na Rua Boa Vista para ver aquele painel bonito com números que não param de rodar e rodar? Pois é!

    Mais uma coisa, posso estar enganada mas acredito que o engano é seu. Até onde sei o imposto mais importante e mais rentável para a prefeitura de São Paulo é o ISS e não o IPTU.

  28. Fabiano

    Concordo com a Zuleide, a classe média brasileira é a que mais se fode com os abusos do Leviatã nesse país, e com o IPTU não será diferente. E pra quem acha que não será afetado por morar em bairros mais afastados do centro, eu digo, ledo engano meu caro. Comércios e pequenas empresas repassarão o aumento dos impostos ao consumidor final, aluguéis ficarão mais caro e há você meu caro, a não ser que você queira levar essa vida mediocre e simploria vivendo na periferia e em bairros afastados onde caresse de tudo para o resto da vida, sua luta será mais difícil, seu fardo será mais pesado, seu sangue e seu suor de dias e noites sem dormir servirão de alimento a esperança de uma vida que nunca chegará ! e no fim terás trabalhado a vida toda para alimentar um Estado que não se lembrará de teu sacrifício…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s