[DEPOIMENTO] Vítima de assédio sexual denuncia agressão sofrida em vagão do Metrô de SP

Superlotação dos metrôs e trens da CPTM em horários de pico, facilitam ação dos agressores.

Como vem sendo noticiado na grande imprensa nos últimos anos, o abuso sexual contra mulheres no metrô e na CPTM vem aumentando vertiginosamente. Em outubro de 2011, o portal da Band já noticiava a ocorrência de 76 casos de abuso nos trens do metrô e CPTM em São Paulo. Àquela época, 8 mulheres eram atacadas por mês, segundo dados da Delpom (delegacia do metropolitano). Esses são números oficiais, pois como devemos imaginar, muitas mulheres atacadas sequer registram queixa do assédio sofrido nas composições do metrô e da CPTM.

Mulheres protestam contra assédio sexual em transportes públicos.

Nesta última quarta-feira (30), a vítima do assédio foi uma colega da faculdade que, revoltada com a agressão, decidiu denunciar e espalhar a violência sofrida nas redes sociais. O Hum Historiador pediu autorização para repercutir o depoimento da colega que foi covardemente atacada no metrô, no intuito de refletirmos o quanto a causa dos ataques sexuais no transporte público não está relacionado com a cultura do estupro, com o machismo cotidiano, com esse sentimento que muitos homens tem de que podem agredir mulheres que os rejeitam e saírem impunes.

O caso de Lígia não é único, não é o primeiro e, infelizmente, não será o último. Enquanto isso, o que empresas (Metrô, CPTM, SPTrans, etc.) e governos (federal, estadual e municipal) tem feito para diminuiu ou acabar com essa prática no país? Vagão exclusivo para mulheres é uma solução? Ao invés de resolvermos o problema, devemos segregar ainda mais as mulheres?

Abaixo o depoimento de Lígia Luchesi, assediada no metrô de São Paulo nesta última quinta-feira (31), na estação República da linha amarela do metrô.

NÃO PARA UMA MULHER
por Lígia Luchesi

Um dia no trabalho comum na vida de qualquer pessoa que precisa usar o metrô para se deslocar em uma grande cidade. Mas não para uma mulher. 

Para deixar o vagão, instantes antes da porta se abrir, eu me levantei e segui a moça que estava ao meu lado. Ela passou na frente de um rapaz. Eu fui passar e ele me prensou no ferro que fica ao lado do banco. Eu pedi licença e, distraída, não entendi o que acontecia. Ele riu. Eu forcei um pouco o corpo para sair e ele novamente me apertou, só que eu escapei e meu pé ficou preso entre a lateral do banco e a perna dele. Dei um empurrão com um jogo de corpo e ele novamente fez menção de me empurrar, só que eu dei um leve empurrão com minha mão no ombro dele e neste instante fiquei de costas, pois na pressa de sair e no empurra-empurra de metrô lotado às 18h, não parecia haver nada de importante. Não era. Não para uma mulher. Ele me chutou na altura dos rins e eu fui projetada para fora do vagão. As pessoas fizeram uma menção de reclamar, eu o xinguei. As portas se fecharam e a vida seguiu. Ele riu e me deu o dedo do meio: um gesto que impõe a força, não de uma mulher. Que projeta o poder e a sujeição: contra uma mulher. 

Demorei mais de uma hora para entender que ele não estava me prensando contra a barra de ferro por conta do vagão lotado. Ele estava me encoxando. Ele me assediou no espaço público. Ele pensa que tem direito sobre um corpo que não é o dele. Ele acha que pode dispor de uma mulher e que, caso seja rejeitado, ele pode agredi-la. Ele me agrediu. Estou com o calcanhar roxo e com as costas doloridas. Estou ferida por não ter tido ajuda, solidariedade e apoio. Amanhã farei um B.O. e uma reclamação no metrô. 

Estou imaginando o desgaste. Estou pensando que muita gente vai me dizer que o vagão separado seria a solução. Eu não acho. Eu estou no espaço público, eu vivo em sociedade e não quero ser segregada. Eu exijo ser respeitada. Eu exijo não ser agredida. Eu sou uma mulher.

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Comportamento, Transporte Público

2 Respostas para “[DEPOIMENTO] Vítima de assédio sexual denuncia agressão sofrida em vagão do Metrô de SP

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s