Pobreza nos Estados Unidos atinge 80% da população

Enquanto isso, notícia publicada em um site de notícias especializado em destacar as reportagens que não aparecem na grande mídia estadunidense, o Political Blindspot, dá conta de que na maior nação liberal do planeta, a terra das oportunidades, onde qualquer um pode construir sua riqueza, 80% de sua população viveram próximos a pobreza ou abaixo da linha da miséria (só nessa última condição, são 49,7 milhões de pessoas).

A reportagem fala ainda do aumento cada vez maior do abismo que separe ricos e pobres daquela nação e de como o governo estadunidense, em vez de aumentar a rede de proteção social dos 80% da população que sofre com os efeitos da pobreza, está discutindo os cortes dos poucos programas assistenciais que estão ajudando alguns estadunidenses a se manterem pouco acima da linha da pobreza.

Parece que o paraíso dos liberais não é tão maravilhoso assim. Enquanto isso, no Brasil “assistencialista” pós-FHC, mais de 40 milhões de pessoas deixaram a condição de miséria, fizeram girar a economia do país e, ainda por cima, chegaram até mesmo a empreender novos negócios. Será que os Estados Unidos estão precisando de um Bolsa Família, ou melhor, um Purse Family por lá? Será que seus políticos, ou melhor, os Democratas teriam a coragem política necessária para enfrentar essa dura realidade?

Abaixo, uma tradução livre que fiz da reportagem de Simeon Ari para o Political Blindspot.

NOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA, 49,7 MILHÕES DE PESSOAS AGORA SÃO POBRES, E 80% DE TODA A POPULAÇÃO DAQUELE PAÍS ESTÁ BEM PRÓXIMO A ELA
por Simeon Ari | para o Political Blindspot

Foto: Associated Press

Se você vive nos Estados Unidos, há uma boa chance que você esteja agora vivendo na pobreza ou muito próximo a ela. Aproximadamente 50 milhões de estadunidenses, (49,7 milhões), estão vivendo abaixo da linha da pobreza com 80% de todos os habitantes dos Estados Unidos vivendo próximo a linha da pobreza ou abaixo dela.

Essa estatística da “quase pobreza” é mais surpreendente do que os 50 milhões de estadunidenses vivendo abaixo da linha da pobreza, pois ela remete a um total de 80% da população lutando contra a falta de emprego, a quase pobreza ou a dependência de programas assistenciais do governo para ajudar a fazer face às despesas.

Em setembro, a Associated Press apontou para o levantamento de dados que falavam de uma lacuna cada vez mais crescente entre ricos e pobres, bem como a perda de empregos bem remunerados na área de manufatura que costumavam fornecer as oportunidades para a “classe trabalhadora” para explicar a crescente tendência em direção à pobreza nos EUA.

Mas os números daqueles que vivem abaixo da linha da pobreza não refletem apenas o número de estadunidenses desempregados. Ao contrário, de acordo com os números de um censo revisado lançado na última quarta-feira, o número – 3 milhões acima daquele imaginado pelas estatísticas oficiais do governo – também são devidos a despesas médicas imprevistas e gastos relacionados com o trabalho.

O novo número é geralmente “considerado mais confiável por cientistas sociais por que ele se baseia no custo de vida, bem como nos efeitos dos auxílios do governo, tais como selos de comida e créditos fiscais,” segundo o relatório da Hope Yen para a Associated Press.

Alguns outros resultados revelaram que os selos de comida (distribuídos pelo governo a pessoas em situação de pobreza) auxiliaram 5 milhões de pessoas para que essas mal pudessem atinger a linha da pobreza. Isso significa que a taxa atual de pobreza é ainda maior do que a anunciada, já que sem tal auxílio, a taxa de pobreza aumentaria de 16 a 17,6 porcento.

Estadunidenses de origens asiática e latina viram um aumento no índice de pobreza, subindo para 27,8 porcento e 16,7 porcento respectivamente, superior aos 25,8 porcento e 11,8 porcento dos números oficiais do governo. Afro-americanos, contudo, viram um decréscimo bem pequeno, de 27,3 porcento para 25,8 porcento que, como documentado pelo estudo, deve-se aos programas assistenciais do governo. O índice de pobreza também aumentou entre os brancos não-hispânicos, de 9,8 porcento para 10,7 porcento.

“A principal razão para a pobreza permanecer tão alta,” disse Sheldon Danziger, um economista da Universidade do Michigan, “é que os benefícios de uma economia crescente não estão mais sendo compartilhada por todos os trabalhadores como eram nos vinte e cinco anos que se seguiram o final da Segunda Guerra Mundial.

“Dado as condições econômicas atuais,” continua, “a pobreza não será substancialmente reduzida a menos que o governo faça mais para auxiliar os trabalhadores pobres.”

Enquanto isso, o governo dos Estados Unidos parece pensar que a resposta é cortar mais daqueles serviços que estão ajudando a manter 80% da população minimamente acima da linha da pobreza, cortaram os selos de comida desde o começo do mês. Democratas e Republicanos estão negociando apenas quanto mais desses programas devem ser cortados, mas nenhum dos partidos estão discutindo que eles sequer deveriam ser tocados.

(Artigo por Simeon Ari; Foto via AP Photo)

Anúncios

296 Comentários

Arquivado em Economia, Política

296 Respostas para “Pobreza nos Estados Unidos atinge 80% da população

  1. Peraí, 80% é demais.

    Segundo o censo oficial, a população lá é de 316,668,567 pessoas.
    80% disso seriam: 253,3348536, é difícil acreditar que é tanta gente assim perto da linha de pobreza — de acordo com os padrões deles.

    O sistema social e político deles é bem diferente, se está assim mesmo veremos uma ruptura logo logo. E não será tranquila.

    1 – http://www.census.gov/popclock/

    • Então, Anderson, os dados da reportagem foram tirados de estudos feito pela Universidade de Washington (campus St. Louis) e divulgados pela Associated Press (http://politicalblindspot.com/shocking-study-4-out-of-5-in-usa-face-near-poverty-and-unemployment/).

      Segundo a machete, 4 em cada 5 estadunidenses enfrentam situação de “quase pobreza” e desemprego e pouco mais adiante, no primeiro parágrafo da notícia, informam que de acordo com a AP, 4 de cada 5 adultos estadunidenses lutam contra a falta de emprego, quase pobreza ou dependência dos programas sociais em pelo menos parte de suas vidas, um sinal da deterioração da segurança econômica e de um elusivo sonho americano.

      Espero que haja mesmo uma ruptura logo logo naquele país, talvez tal insurreição faça com que outros países sigam na esteira dos EUA se isso realmente ocorrer.

      • Marco

        A matéria original diz 4 em cada 5 americanos em ALGUMA PARTE de suas vidas. Não significa que 4 em cada 5 estão pobres ou quase-pobres AGORA. Essa interpretação é absurda.

      • Marco,

        Não entendo que parte do “na maior nação liberal do planeta, a terra das oportunidades, onde qualquer um pode construir sua riqueza, 80% de sua população viveram próximos a pobreza ou abaixo da linha da miséria” é incompreensível.

        Aliás, a manchete da reportagem é: “NOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA, 49,7 MILHÕES DE PESSOAS AGORA SÃO POBRES, E 80% DE TODA A POPULAÇÃO DAQUELE PAÍS ESTÁ BEM PRÓXIMO A ELA” ou se você preferir em inglês “In the U.S. 49.7 Million Are Now Poor, and 80% of the Total Population Is Near Poverty”.

        DESTAQUE para o 80% OF THE TOTAL POPULATION IS NEAR POVERTY.

        Portanto, a INTERPRETAÇÃO não está equivocada. Você leu a reportagem original ou só tirou o trecho que te interessava?????

        Att.

        RB

      • eduardo

        Meu caro, se existe tanta gente desempregada lá, como o crescimento econômico deles vai ser maior que o nosso? Como o PIB deles vem se mantendo em mais de US$ 13 trilhões? Sabe me explicar isso? Se não, deixe de se ter a fontes duvidosas.

      • Spencer

        Historiador, para de escrever sobre isso. Você claramente não sabe de muito neste assunto. A renda MÉDIA do Brasil é uma quinta da renda média dos EUA.
        http://data.worldbank.org/indicator/NY.GDP.PCAP.CD
        Estar em baixo da linha de “porbeza” nos EUA significa que você está ganhando em menos de que (o que será, convertido) alguns 50,000 mil reais por ano. Mais um testemunho do poder e força do mercado livre: que sua riceza é nossa pobreza. http://www.irp.wisc.edu/faqs/faq1.html
        Brasil é ainda, de forma geral, está cheio de pobreza e uma qualidade de vida baixa, por causa do socialismo, do seu governo, e da sua cultura.

      • Camaradas,

        Vossa capacidade de leitura e compreensão realmente é surpreendente… tudo isso que vocês estão falando e repetindo, um atrás do outro, já foi tratado e respondido no próprio post, na reportagem da AP e/ou nos comentários. Não me parece nada inteligente ficar repetindo e repetindo e repetindo a cada nova intervenção que fala a mesma coisa que o anterior…

        Att.

        RB

      • rarara

        “According to The Associated Press, four out of 5 U.S. adults struggle with joblessness, near poverty or reliance on welfare for at least parts of their live”
        T:”De acordo com a Associated Press, 4 entre 5 adultos norte americanos lutam com falta de emprego, proximidade da linha da pobreza ou dependencia do welfare, por pelo menos alguma parte das suas vidas.”

        Sua interpretação está errada, autor.

        Ah, e relembrando o que é importante aqui, já que você quis comparar o desenvolvimento social do Brasil com a qualidade de vida nos EUA (rs) :

        “More than 19 million whites fall below the poverty line of $23,021 for a family of four, accounting for more than 41 percent of the nation’s destitute, nearly double the number of poor blacks.”
        T:”Mais de 19 milhões de brancos caem abaixo da linha de pobreza, que é de 23 MIL DOLARES PARA UMA FAMÍLIA DE QUATRO”

        E quanto é no Brasil?
        “O Governo Federal adota como medida de extrema pobreza familiar rendimentos mensais abaixo de R$ 70 por pessoa.” fonte : http://pt.wikipedia.org/wiki/Linha_de_pobreza

        Recaptulando :
        – linha de pobreza norte-americana : 59.000 reais por ano para uma familia de quatro.
        – linha de pobreza brasileira : 3.360 por ano para uma familia de quatro.

        Mas parabens pela coragem exibida para comparar esse tipo de estatistica.

      • Felipe

        Ai ai ai, comuna!
        Você quer mesmo comparar pobreza no Brasil com os EUA? A classe C (67% da população), tão aclamada pelo seu governo, ficaria anos-luz abaixo da linha da pobreza nos EUA. Passou da hora de vocês, vermelhinhos, se abraçarem com os tucanos e PMBDbistas e fugirem daqui.
        Governo de centro já!

      • se la esta fudido imagina entao no brasil ne gente kkkkkkkkkkkkkkkkkkk PQP

      • Pois é! É por isso que o Brasil tá cheio de jornalista meia boca. Não importa se o estudo foi publicado por Harvard ou Oxford. É papel do jornalista investigar minimamente os dados da pesquisa. Os padrões de pobreza dos Estados Unidos não são os mesmos do Brasil. Se considerássemos os padrões de pobreza dos estados Unidos haveria mais de 80% da população brasileira vivendo abaixo do nível da miséria, pois 80% da população do Brasil vive ao lado de esgoto a céu aberto, está exposto a doenças em razão da falta de higiene, moram em lugares muito distantes de onde trabalham, estão expostos a violência, usam transporte público de tenebrosa qualidade. Essa reportagem, me parece, é mais uma tentativa de destacar defeitos ao Capitalismo. O Brasil (Governo do PT) muda quando lhe é conveniente (propaganda) com habitualidade os padrões (isso só no papel) de pobreza, de doenças e etc.

      • Caro Zé,

        Releia a postagem e, em seguida, os comentários que eu fiz por aqui. Depois disso, procure refletir e busque informações sobre como anda a vida dos trabalhadores estadunidenses. Procure saber das cidades abandonadas, das pessoas que dependem de stamp food, dos homeless, busque se informar da multidão que vive à base de fast food porque não tem comida pra se alimentar. Aqui mesmo neste blog você vai achar muitas informações, mas se me achar tendencioso, busque em outras fontes de informação. A riqueza, nos Estados Unidos, está tão concentrada nas mãos de 1% da população, que as pessoas precisam ter vários empregos, em três turnos para conseguirem uma renda que os permita ter um teto e comer. Os estudantes estão endividados por uma década, isso se conseguirem pagar seus loans. Enfim, busque informação, não seja inocente.

        Att,

        RB

      • Eduardo

        isso é absurdo, não tem a ver com a realidade.

      • Antonio José N Souza Jr

        Isso fica muito claro quando vemos a enorme quantidade de pobres americanos fugindo para o México e para Cuba!

      • Jerri

        Da Agência EFE
        A taxa de desemprego nos Estados Unidos (EUA) caiu um décimo em julho, chegando a 4,3%, e voltou a atingir seu nível mínimo em 16 anos, segundo dados divulgados nesta sexta-feira (4) pelo Departamento de Trabalho americano. A informação é da Agência EFE.

        A economia americana criou 209 mil novos empregos, acima dos 180 mil esperados pela maioria de analistas, um indicador positivo que respalda a solidez do mercado trabalhista nos EUA.

        Os setores que impulsionaram a criação de emprego foram a hotelaria, a saúde e empresas de profissionais liberais.

        A média salarial registrou, além disso, uma moderada alta de 0,3%, até US$ 26,36 por hora.

        A taxa de participação trabalhista também aumentou, de 62,8% a 62,9%, o que mostra que cada vez mais americanos retornam à busca ativa por emprego.

        O presidente dos EUA, Donald Trump, reagiu rapidamente para comemorar o dado, quando se completam seis meses do seu mandato.

        “Excelentes cifras de emprego recém divulgadas, e estou apenas começando. Muitos regulamentos que freavam a contratação continuam caindo. O impulso volta aos EUA”, escreveu Trump em uma mensagem em sua conta no Twitter.

        Esse bom dado também favorece um novo aumento das taxas de juros por parte do Federal Reserve (Fed, banco central americano), atualmente entre 1% e 1,25%, antes do final do ano.

    • O título é super sensacionalista, só para chamar a atenção mesmo. Não importa se em inglês ou portugues. Típico de jornalista para chamar a atenção. Se for aplicar esse “conceito” de pobreza, 99% da população mundial esta na pobreza…

      • O EUA tem uma dívida de aproximadamente 15 trilhões que deve afetar bastante sua economia. Mas eu não sei porque essas viúvas do tio Sam tanto defendem esse país de merda. Sumam daqui e vão morar lá, limpar latrinas, se é que agora ainda tem latrina pra limpar.

      • Daniel

        o pior é continuarem defendendo o texto agora que a economia americana voltou a crescer forte e a brasileira está indo pro buraco

    • Concordo contigo meu jovem. Isso é matéria da oposição…impossivel, Enquanto Brasil tiver esses politicos , apesar de terem condições nunca serão um Estados unidos…….nunca serão……Eu vivo aqui a 18 anos , e isso é pura mentira. A inveja é Uma m……..a Como díria o grande..filosofar. ..

    • “Parece que o paraíso dos liberais não é tão maravilhoso assim. Enquanto isso, no Brasil “assistencialista” pós-FHC, mais de 40 milhões de pessoas deixaram a condição de miséria, fizeram girar a economia do país e, ainda por cima, chegaram até mesmo a empreender novos negócios.” Viram como no Governo do Lula era melhor do que o Gov. do FHC?

    • alguem se lembrou de escrever qualquer coisa sem conhecimento…claro que isso não é verdade 80% essa pessoa sabe lá o que diz ou pensa

      • Luciano Resendes

        Você está certo eu vive cá e sei que quem vive do welfare é porque não quer trabalhar aqui quem trabalha tem direito a viver bem o desemprego é de 4.1 o que não é nada comparado com outros países nos temos poder de compra e somos a maior economia do mundo eu ganho trinta dólares há hora e vive muito bem tenho cá 4casas e uma em Portugal Açores o que tenho aqui era preciso 500 anos a trabalhar em Portugal

    • Hello!

      I couldn’t decide which book to read and decide to ask for your advice, please take a look at the list http://point.adrenalinemp1.com

      Typos courtesy of my iPhone, rogerio.beier

  2. Pelas minhas contas, 49,7 milhões de pessoas equivalem a 15,8% da população, e não a 80%, como mostra o texto. Rogério, seria melhor você deixar estes dadas mais claros.

    • Filipe,

      49,7 milhões de pessoas estão abaixo da linha da pobreza. Os outros estão em situação de quase pobreza, como bem disse o texto. Perceba a diferenciação que a reportagem faz já no segundo parágrafo da matéria.

      Portanto, são 15,8% abaixo da linha da pobreza e 64% que estão em situação de quase pobreza durante boa parte de suas vidas.

      Att.

      RB

      • Vinicius

        O texto expressa o péssimo momento vivido pelos EUA. O Brasil, apesar de todos os problemas (típicos de países de terceiro mundo), tem apresentado bons resultados em sua economia, considerando o momento vivido pela Europa e pelos EUA. Crescemos 2,3% em 2013; os pessimistas tendem a fazer comparações negativas, seja com a Rússia, China ou até mesmo com o Perú; os realistas tendem a enxergar uma taxa de desemprego em baixa, um aumento do poder de compra da população e melhorias gerais nos indicadores socioeconômicos e na redução da desigualdade social.

      • Jonathan

        Tá falando besteira pra burro. Você não conhece esse país, não sabe porra nenhuma da vida americana. O cara acabou de lhe refutar ao apontar que 4 em 5 americanos passam por um em cinco problemas durante parte de suas vidas e não ao mesmo tempo. É claríssimo que o texto não fala que HOJE, ou NUM DADO momento, 80% da população esteja em tal situação. Tudo que você faz é repetir a mentira. Lamento que alguém com claros objetivos anti-americanos tenha atenção de alguém.

      • Deixa eu ver se eu te entendi, Jonathan. Os estadunidenses que fizeram o estudo na Universidade de Washington e a estadunidense que fez a reportagem para a Associated Press são anti-estadunidenses???

        Att.

        RB

      • RB: já foi alguma vez aos EUA?

      • Donaldo,

        Já fui, mas mesmo que não tivesse ido, o texto continuaria sendo válido por uma série de razões, dentre as quais destaco o fato de o mesmo de ter sido escrito por pesquisadores estadunidenses, e não por mim, como já tive oportunidade de esclarecer nos comentários do post.

        Como acho que tudo o que tinha que ser escrito já foi escrito no post e nos comentários, não estou mais respondendo a comments neste post. Basta saber e ter paciência para ler tudo o que já foi escrito. 😉

        Att.

        RB

  3. De verdade, acho pouco razoável o número e me parece que o critério deve ter sido, de alguma forma, manipulado para que o argumento geral fizesse algum sentido. A base do pensamento liberal é, gostemos ou não, essa mesmo: você é responsável pela sua vida e o estado promete se intrometer o menos possível. Como teu post parece mais querer comparar o FHC com o Lula, fiquei na dúvida, mas como vejo, os dois tiveram determinação politica e liderança e tempo necessário para a aplicação das filosofias (todas estrangeiras) de estado. Ambos se meteram em encruzilhadas morais e ambos têm uma característica que me assusta, a certeza absoluta. Lula um pouco mais, já que se mostrou capaz de fazer o que fez pela sua proposta de poder.

  4. Olá Mariel,

    Na verdade, minha intenção com o post foi demonstrar o fracasso das políticas liberais para dar conta do bem estar geral da população, especialmente em um sistema baseado na exploração do trabalho. Como prognosticado desde o século XIX, o único produto que se pode esperar dessas políticas é, cada vez mais, a acumulação de riqueza nas mãos de uns poucos, e a pobreza e a miséria na mão da maioria avassaladora, que é explorada.

    A menção ao FHC, ícone das políticas neoliberais, foi apenas para ilustrar as diferenças entre as gestões do Príncipe com a do Lula, lembrado por ter tirado aproximadamente 40 milhões de pessoas da miséria com programas de assistência social, capitaneado pelo Bolsa Família.

    Se o número é manipulado, não sei dizer. Pelo que li, tratam-se de números baseados em um estudo realizado pela Universidade de Washington e divulgados pela Associated Press. A reportagem fala que, somando o número dos estadunidenses abaixo da linha da miséria com aqueles que viveram ou já passaram por situação de quase pobreza durante sua vida (especialmente após a crise) atingem a soma mencionada. Não acredito ser uma cifra irreal, uma vez que os estadunidenses vivem endividados em diferentes fases de sua vida, seja no período universitário ou, depois disso, por conta de despesas que na Europa são custeadas pelo Estado, como assistência médica ou seguros sociais em tempos de dificuldade, como o desemprego.

    Nos últimos cinco anos a situação ainda está pior, nos EUA, especialmente por conta da crise econômica vivida por aquele país. Por isso não creio que o número seja irreal, uma vez que grande número da população perdeu tudo o que tinha após não terem conseguido arcar com as hipotecas de seus imóveis.

    Att.

    RB

    • Paulo Tuba

      Como você consegue sustentar um argumento desses quando existe um país, trezentos milhões de habitantes, e toda uma REALIDADE para contrariar o seu argumento. E isso para não ir mais longe. Cara, o texto aborda e diz de forma clara que 80% podem ter sentido, de alguma forma e em algum momentos, os efeitos da pobreza. Você não sabe o que está dizendo… Não conhece, nunca viu, não sabe o que é, e anda aí escrevendo barbaridades destas.
      Aproveite os 25 anos da queda do muro de Berlim, e se presenteie com mais informação. Leia e saiba mais e mais, sobre o que era a vida do lado de lá. Afirmar que 80% da população americana é pobre? É preciso ser muito tapado.

      • Jonathan

        Paulo, este camarada é um zé roela imbecil, marxista cego que acha que o comunismo é um baita negócio. Acho que nem adianta perder tempo com uma ameba dessas.

      • Ad hominem, ad hominem, ad hominem. Quando é que os conservadores, neoliberais e reacionários vão aprender a discutir sem partir para o ataque pessoal? hahahaha

        Obrigado pelos elogios, Jonathan. Uma boa noite para você também.

        Att.

        RB

      • Vc é que está por fora e se comportando como uma viúva de seu Tio Sam. Há pouco menos de um mês encontrei um ex aluno que morou 15 anos nos EUA e agora voltou definitivamente para casa. Ele me falou que o negócio anda mesmo feio por lá, o desemprego é grande e eles estão dando graças a deus quando sabem que tem alguém voltando para sua terra de origem.

    • nos ultimos 5 anos tem vindo a melhorar… é melhor tomar atenção e falar verdade não sei qual é o prazer não falar verde?

  5. ” grande historiador” Rogerio Beier, so umas perguntinhas :Voce ja morou aqui nos Estados Unidos? Voce sabe o total da populacao dos estados Unidos? Voce sabe quais a razoes que levaram os Estados Unidos a quase uma aparente recessao? Voce sabe quem foi o responsavel pela situacao pelo qual os Estados Unidos passou e esta passando? Alem desse ato irresponsavel, Voce sabe quem foi e os envolvidos numa das maiores crises imobiliarias que afetou o sistema financeiro dos Estados Unidos ? Voce sabe que a midia e principalmente as universidades se divinde politicamente(umas sao Repulicanas e outras sao democraticas) ? Voce sabe com funciona uma oposicao politicas aqui nos Estados Unidos? Voce sabe que os Estados Unidos vem de duas guerra ? Voce sabe que foi essas guerras e mais a crise imobiliaria que levaram os Estados unidos (ao arrombo) crise financeira e o desemprego? Voce sabe que com toda essa crise que esta tendo os Estados Unidos ainda esta melhor de se viver aqui do que ai no Brasil? Meu grande “historiador” m e diga e no Brasil que temos Policia e justica rapida que funciona? E no Brasil que os direitos do cidadao sao respeitado? E no Brasil que se paga imposto unico e estes imposto sao revertidos ao proprio povo em termos de escolas,estradas etc e tal? E no Brasil que se trabalha e ganha por semana e o que ganha numa semana no minimo se pode comprar por exemplo um tv de plasma a vista? E no Brasil que a policia e justica funciona em tempo real ao seus cidadaos? Crimes, assaltos,assaltos mao armada,Impunidade, corrupcao politica isso pode ate ter em qualquer lugar, mas porque o Brasil bate o recorde nessas areas me diga seu “historiador” Rogerio Beier? Me diga seu “Historiador” porque tudo e caro ai no Brasil? Sr. “historisador” neste ultimos 40 anos de governo brasileiro ,me diga o Brasil esteve em guerra? Em vez do Sr. “historiador” estae se preocupando com o sistema governamental dos Estados Unidos, o Sr. deveria se preocupar com o sistema governamental a vermelhado da Presidente Dilma Rousseff, que esta usando o Bolsa Familia para se reeleger garantindo o pt no governo e com isso dando sustencao aos que nao querem trabalhar e socializando a pobreza no Brasil, isso sim e que o Senhor ” Historiador” Rogerio Beier deve se importa, lutar por um Brasil melhor. Um Brasil com condicoes melhores de vida nao so a sua familia , mas ao povo geral. Deixa os Estado Unidos com o seu problema, ate porque quem vive o problea e o Povo Americano e os imigrantes aqui aqui vivem. Voce Sr. “Historiador” Rogerio Beier, que e brasileiro, que vive no Brasil, voce tem mais e que se ligar, se importar com as coisa que estao afligendo o povo brasileiro, e que que nao sao poucas, voce sim com o seu conhecimento ir a luta em prol do povo brasileiro lutar por um Brasil melhor em termos de condicoes melhores de vida. Esquece os problemas dos Estados Unidos , eles fazem parte da vida dos americanos e dos imigrantes que aqui vivem. Sr. ” Historiador ” Rogerio Beier, procure faze alguma coisa de util ao Brasil. Esqueca os problemas dos Estados Unidos eles pertenca ao povo AMERICANO e aos que aqui vivem …Sei que olhar o rabo dos outros e bem mais facil do que olhar o nosso proprio rabo, porque o nosso rabo, nos enrolamos e sentamos em cima.. Um abraco … ” Grande Historiador ” Rogerio Beier.

    • Caro,

      Decidi simplesmente ignorar os ataques pessoais. Passar bem.

      Att.

      RB

      • Rogério

        Por que esquerdista sempre faz isso ? Quando fica sem argumentos alega que foi atacado pessoalmente, se faz de “ferido ou” finge que vai dar uma cagada e nunca mais volta para responder ?

    • Marcelo

      Não sei porque você resolveu morar nos EUA ou o que você faz aí (se é que estás “aí”), mas uma coisa é certa: não estás exercendo nenhuma atividade que demande boa capacitação técnica ou formação profissional, pois não dominas sequer tua língua materna. Escreves péssimo e tua argumentação é arrogante e medíocre. Recomendo que fiques por “aí”, limpando valas, varrendo rua ou em alguma companhia de construção (o que é digno). Pessoas como você não fazem a menor falta aqui. Precisamos de brasileiros corajosos, empenhados com seu PRÓPRIO PAÍS e não lacaios do primeiro mundo. Good luck,!

      • Rogério

        Mais um…só mimimi, esperneio e nada de argumentação.

      • Rogério, enquanto houver argumentação ad hominem nos comentários do post, simplesmente não vou respondê-los. Infelizmente, tanto seu comentário como os anteriores caracterizam-se ataques pessoais e, portanto, devem ser ignorados.

        Att.

        RB

      • Gustavo Moraes

        Comentario bosta e preconceituoso.
        Moro aqui e sou engenheiro de redes de uma grande empresa e conheco varios Brasileiros que trabalham em cargo de gerencia aqui. Nao e porque somos imigrantes q nao temos potencial!!!!

    • Raíssa

      Sr Anselmo Pedroso, faz parte da geografia investigar o as relações homem x natureza e vice versa. Logo, é de interesse de qualquer ser culto conhecer outros modos de vida, não por interesse próprio mas para conhecimento de todos! Faz parte…

    • Luiz Mourão Ferraz

      Realmente faltou argumentação para as verdades ditas. Principalmente ao final que exprime muito bem a situação. Aqui a politica deveria ser de humanizar os impostos que são as principais fontes para as politicas assistencialistas, inclusive a políticos e as construções mirabolantes em outros países alinhados ao populismo (Cuba, Venezuela, alguns países africanos etc..). Atualmente compra a mídia com incentivos, compra os políticos sangue sugas do congresso nacional, e dominam órgãos públicos, e ainda fazem acordos espúrios. Tudo isso para se manterem no poder e sustentarem o bolivarismo.

    • É verdade mesmo, vamos parar com essa história de ou vangloriar demais esse país, defendê-lo como se fosse o nosso, deus me livre, ou postar tudo o que não presta e que acontece por lá. Mas não custa nada nos solidarizar com esse povo amante da democracia e da liberdade, representante mór do capitalismo e do livre mercado que por hora devem 16 trilhões com boa parte dessa dívida aos chineses (e isso não é nada bom). São nossos irmãos, muitos vivendo uma realidade econômica e de desemprego, outros perderam suas casas e voltaram a casa paterna, mas o turista passeando pelas ruas agitadas de Nova Iorque nem se dá conta disso e pensa que nossos irmãos norte americanos ainda vivem naquele “Céu de Brigadeiro” de outrora. Aqui do Brasil devemos mais é torcer que nossos irmão norte americanos consigam se reerguer pois se Tio Sam está bem o mundo acompanha o desenvolvimento e é melhor para todos.

    • Arnaldo

      “Policia e justica rapida que funciona?”…para quem? Quais são as cores predominantes nos presídios estadunidenses mesmo? Acho que negro e moreno… Ah… desculpe, o senhor nunca botou os pés lá…

  6. Daniel

    Tem duas questões que você omite nesse texto, uma é, qual a faixa de pobreza nos Estados unidos? aponto aqui um trecho de uma reportagem sobre o assunto

    Nos EUA, consideram-se extremamente pobres aqueles cuja renda anual não chega a US$ 10 mil (ou US$ 833 por mês – R$ 17.589 e R$ 1.465, respectivamente). Uma pessoa é considerada pobre se sua renda anual não chegar a US$ 11.334 (ou US$ 944 por mês – R$ 19.965 e R$ 1.663, respectivamente), enquanto uma família de quatro pessoas é considerada pobre se a renda familiar anual não chegar a US$ 22.314 (ou US$ 1.860 mensais – R$ 39.306 e R$ 3.276, respectivamente).

    quer dizer, o que é chamado pobre nos Eua é chamado de classe média/ média alta no Brasil

    só por ai fica clara as distorções de falar que nos EUA 80% da população é pobre

    • Aline

      Não é bem assim. A faixa de pobreza do EUA não pode ser simplesmente comparada com a do Brasil. Estas faixas são definidas com base no que se precisa para se garantir um minimo para a sobrevivência. No EUA é necessário mais dinheiro, portanto a faixa de pobreza fica mais alta. Mas as pessoas abaixo da linha de pobreza são pessoas que passam fome, moram nas ruas ou em carros (coisa estranha e comum por lá), não tem acesso a saúde, nem mesmo a saúde pública.

      • Daniel

        na realidade não é bem assim, procure qualquer pesquisa de indicadores de poder de compra e verá que na realidade eles precisam de menos dinheiro para fazer as mesmas coisas e isso nem precisaria que uma pesquisa dissesse, basta olhar os preços nos EUA para ver que tudo lá custa metade daqui

        e é lógico que os Estados Unidos não tem 50 milhões vivendo em carros e na rua e muito menos 80% da população deles estão nessas condições, o que mostra que tb é óbvio que os dados não apontam isso, se 1 em cada 6 americanos fossem mendigos as cidades dos EUA estariam abarrotadas de mendigos, amis que qualuer outra cidade do mundo, só Nova York teria 3 milhões vivendo em carros e nas ruas. Pode pegar qualquer pesquisa de comparação que aponta que os considerados pobres nos EUA tem poder de consumo de classe média brasileira

    • Vinicius

      Sua colocação está equivocada, são realidades diferentes; o custo de vida americano é diferente do custo de vida brasileiro. Famílias pobres possuem dificuldades similares com relação ao acesso à coisas básicas para a sua sobrevivência, seja aqui no Brasil, nos EUA ou na Europa. Limitações com moradia, saúde, educação e alimentação, pobre é pobre em qualquer lugar do mundo.

      • Daniel

        sua colocação que está equivocada, simplesmente não é verdade que em qualquer lugar do mundo que familias pobres tem as mesmas dificuldades de acesso a coisas básicas, é notável que enquanto nos EUA por exemplo 100% da população tem acesso a rede oficial de saneamento básico e 99% tem acesso a rede de distribuição de água tratada e mais de 99% das pessoas são alfabetizadas, no Brasil 77% da população brasileira tem acesso a algum tipo de saneamento, sendo boa parte fossas sanitárias e não a rede de tratamento oficial,91% tem acesso a rede de água limpa e 92% da população é alfabetizada, não há qualquer comparação, é um fato que a pobreza americana é o que no Brasil nós chamamos de classe média, por todos os pontos de vista

    • Se eles consideram esse valor como pobreza é porque eles levam em consideração o custo de vida (de lá). Lembro de um cara que teve que escolher qual dedo seria reimplantado em sua mão porque o plano de saúde dele não cobria para reimplantar todos!

  7. Daniel

    uma correção ao post anterior, as questões são, qual a faixa de pobreza nos Estados unidos e qual a faixa de miséria

  8. Gabriela Sola

    Vocês estão discutindo o sexo dos anjos. São realidades diferentes e ponto. Mas que as coisas lá não estão boas não estão e aqui melhorou mas está longe de ser primeiro mundo, não dá para comparar. Neoliberalismo dá nisso, no Brasil ou no exterior, dá mer…, e ponto. Paciência.Se a Dilma está certa só o tempo vai dizer, ainda vivemos com as marcas da ditadura, principalmente em nossa educação sucateada. Será preciso muitos presidentes e presidentas e claro, bons deputados e senadores para corrigir os anos negros de escravidão e ditadura, é melhor olharmos para o nosso próprio rabo pois as eleições vem aí. Opiniões à parte, acredito nos números, as referencias talvez sejam diferentes, talvez seja mesmo classe média e não pobreza mas já representa o fim do sonho americano. E Aff, para que me preocupar com isso, com dois diplomas e com um emprego infeliz (professora estadual, kkkkk),me deem licença, vou cuidar do meu umbigo.

  9. El Kabong

    Desviar o olhar dos EUA porque não é da nossa conta, desculpe, mas é uma baboseira sem tamanho. Nunca podemos nos desligar do que por lá acontece. Neste exato momento, os EUA são alvo de um desmonte que nem mesmo o desmantelamento da antiga URSS serve como parâmetro. O processo é o da multipolarização, que “no meu entender”, é tão caro aos metacapitalistas. Aqui o escritor Adrian Salbuchi fala a respeito da NOM:

    Quem acha que vai ter tempo de cuidar de seu umbigo deveria saber o que pensa gente como Aleksandr Dugin do lado russo e Zibigniew Brzezinski em oposição ao primeiro. Num debate com o brasileiro Olavo de Carvalho, o pensador russo deixa evidente de que a humanidade terá que escolher de que lado lutará no conflito que se aproxima inexoravelmente. Nossos umbigos poderão permanecer sujos por um bom tempo. Quem pensa que os fatos que ora observamos são frutos do mero acaso, ou erro tático das grandes corporações ou do sistema financeiro, ou ainda, das políticas empregadas pelos paus mandados que nos governam, será atropelado pela locomotiva que se aproxima. Temos que acompanhar o mercado de ouro e a guerra cambial que já é fato. E nisso tudo não consigo sequer excluir toda a catástrofe que se desenha em Fukushima. Dois anos de total silêncio sobre uma tremenda hecatombe:

    O que está escrito mesmo no primeiro mandamento das Gerorgia Guidestones?

  10. Cassio

    Penso que o texto esta correto. 80% próximo, se mantendo mas com pouco espaço, pouca gordura, meio que tipo assim: “se vacilar o bicho pega”, com as barbas de molho, coisa que já tivemos no Brasil a uns 15 anos atras, a luta por um emprego era terrível.

  11. Marco

    O título dessa matéria é absurdo. Eu chequei o texto original em inglês e começa dizendo “quatro em cada cinco adultos norte-americanos sofreram com o desemprego , quase pobreza ou precisaram de alguma assistência em pelo menos ALGUMA PARTE de suas vidas”
    Note que diz “ALGUMA PARTE de suas vidas”. Não tem nada a ver com 80% estarem “quase pobres” agora!
    Ora, o fato de alguém ter sofrido algo em um momento do passado obviamente não define este alguém no momento: Seria o mesmo que dizer que 98% dos americanos estão doentes pq em ALGUMA PARTE de suas vidas contraíram alguma doença (mesmo que estejam sãos hoje) ou que 96% sofrem com o desemprego pois estiveram desempregados algum dia (mesmo que hoje não estejam).
    Enfim: Em momento algum a reportagem original cita ou mesmo sugere que 80% da população dos EUA está perto dessa linha de pobreza de $23.021 (e “perto” deixa a afirmação mais vaga ainda: Qual é de fato a renda per capita atual desses que em ALGUM MOMENTO estiveram “perto disso?” Nem isso é esclarecido).

    • Marco,

      Republico o que respondi acima:

      Não entendo que parte do “na maior nação liberal do planeta, a terra das oportunidades, onde qualquer um pode construir sua riqueza, 80% de sua população viveram próximos a pobreza ou abaixo da linha da miséria” é absurdo.

      Aliás, a manchete da reportagem é: “NOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA, 49,7 MILHÕES DE PESSOAS AGORA SÃO POBRES, E 80% DE TODA A POPULAÇÃO DAQUELE PAÍS ESTÁ BEM PRÓXIMO A ELA” ou se você preferir em inglês “In the U.S. 49.7 Million Are Now Poor, and 80% of the Total Population Is Near Poverty”. (VOCÊ LEU ISSO NO “ORIGINAL EM INGLÊS” COMO VOCÊ DISSE OU SE ESQUECEU DESSA PARTE?)

      DESTAQUE para o 80% OF THE TOTAL POPULATION IS NEAR POVERTY.

      Portanto, a INTERPRETAÇÃO não está equivocada. Você leu a reportagem original ou só tirou o trecho que te interessava????? Se leu, leia novamente, pois definitivamente etá com um problema de hermenêutica.

      Att.

      RB

    • Caso precise do link novamente para reler no original: http://politicalblindspot.com/us-poor/

      Destaque para o primeiro parágrafo: “If you live in the United States, there is a good chance that you are now living in poverty or near poverty. Nearly 50 million Americans, (49.7 Million), are living below the poverty line, with 80% of the entire U.S. population living near poverty or below it.”

      Att,

      RB

  12. carlos xavier

    e aqui no brasil os imbecis que de volta a era F H C os brasileiros torcendo contra a nossa nação estão querendo relembrar para o caso dos mais velhos e para os mais novos conhecer a miséria receber o salário e não conseguir pagar as contas e nem fazer a compra do més tem muito critico queimando a linguá afirma com todas as letras que vamos entrar em recessão e que o brasil ta mau das pernas tudo isso nos jornais escritos e falados e no bloco seguinte tem que morder a linguá e falar do crescimento da industria e do emprego no brasil enquanto nos países de 1° mundo ??????/??/ acorda povão coloca a massa cinzenta pra trabalhar busquem informações na história da economia do nosso pais

  13. Valmir

    Os dados não batem, as ideias não condizem com a realidade.
    Texto bem duvidoso de se apoiar.

  14. Rogério

    Posto totalmente duvidoso, o cara quer transformar os EUA em Cuba com uma manchete. Vai estudar moleque, vai dormir e sonhar com a família Castro que tu ganha mais.

  15. Pedro

    O post é extremamente tendencioso e essa reportagem não é verosímil, pelo que entendi ela se baseia neste estudo http://politicalblindspot.com/shocking-study-4-out-of-5-in-usa-face-near-poverty-and-unemploymentt/ que, como vários colocaram, não sustenta as afirmações da publicação sensacionalista. .

    As comparações que você faz entre Brasil e EUA são equivocadas. O Governo brasileiro define que a classe média tem renda entre R$ 291 e R$ 1.019, o que torna um casal de assalariados “classe média”. Se é com esse país de classe média que você se arroga o direito de contar vantagem em relação aos EUA não há muito o que discutir. Esta é, de fato, a “classe média” brasileira a níveis estatisticos, embora não seja essa a propaganda oficial. Ou seja, a níveis de primeiro mundo nossa classe média é palpérrima. Com propagandas falaciosas a esquerda brasileira diz que está tudo indo muito bem.

    Os que já moraram nos EUA sabem que quem está na pobreza por lá está muito melhor do que a classe média brasileira. Para quem não morou uma rápida pesquisa mostra que o poder de compra de um americano pobre é muito maior do que um brasileiro de classe média, na verdade basta perguntar a qq americano sobre o custo de vida por lá. Por sinal, por que os americanos pobres e miseráveis não estão emigrando?

  16. Eu fico imaginando como seria esta pesquisa se fosse no Brasil!?!!!!!?!!!!!!?

    97% dos Brasileiros vivem na miséria!seria a machete

    ou

    “Brasil atual-89% da população em estado de pobreza”

    O que me leva a constatar que estas pesquisas NÃO são confiáveis…

    Em toda minha ignorância percebi ao ler:

    “Alguns outros resultados revelaram que os selos de comida (distribuídos pelo governo a pessoas em situação de pobreza) auxiliaram 5 milhões de pessoas para que essas mal pudessem atinger a linha da pobreza. Isso significa que a taxa atual de pobreza é ainda maior do que a anunciada, já que sem tal auxílio, a taxa de pobreza aumentaria de 16 a 17,6 porcento.”

    Então no Brasil não acontece algo “Parecido” com programas “maquiando” a real situação???

    Fico realmente muito triste em saber que sou doente, miserável, incapaz….
    Pois passei por muito perrengue na minha vida em algum momento…

    Creio que estes “FATOS” deveriam ser esquecidos pela esquerda que busca argumentos, pois se for realizado um comparativo com nossa nação “dá ruim pá nois”, vamos nos ater a nossas próprias pesquisas mentirosas….e descaradas

  17. Pedro

    Para evitar comparações equivocadas e proselitistas recomendo dar uma lida no seguinte: http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/pobreza-americana-e-mais-rica-do-que-a-brasileira/n1597268071225.html

    Verão que a pobreza americana está em melhores condições do que é considerado classe média no Brasil

  18. Este texto é completamente inverídico e irreal, acabei de voltar dos Estados Unidos e tenho muitos colegas e amigos que moram e estiveram lá, nenhum deles relata nada disto e nem mesmo eu vi nada parecido com isto onde estive…Vamos combinar, se 4 em cada 5 americanos estáo pobres eu deveria ter visto pelo menos um pobre em cada esquina e nao vi absolutamente nenhum…Falei demoradamente com vários imigrantes de vários países do mundo e nenhum deles, digo absolutamente nenhum pretende voltar ao seu país de origem. Estão todos muito bem e felizes nos Estados Unidos…Conversei com um garçom que tira no mínimo por noite 500 dólares em gorjetas, isto é só um exemplo….

    • Acho que muitas das pessoas que estão comentando por aqui precisam, urgentemente, de aulas de interpretação de texto. Pelo amor!!!!

      Att,

      RB

      • Olha Rogério, acharia muito bom vc pesquisar e ver como este texto está sendo usado nas redes sociais. Sim, ele está sendo usado para divulgar uma falsa ideia de pobreza americana absoluta, o que de modo algum é verdade…Se 4 em cada 5 americanos fossem pobres, ou 80% deles o fossem, eu teria chutado mendigos nas ruas dos USA, em 20 dias que estive lá eu não vi sequer um mendigo na rua, vi os parques e shoppings de Orlando lotados por pessoas que moram na cidade (de todas as nacionalidades e por americanos fugindo do frio do Norte). Será que pessoas sem grana tem dinheiro sobrando para gastar tanto dos parques da Disney?
        Será que se a vida estivesse tão difícil com garçons ganhando mais de 1000 dólares por semana (em uma semana fraca), os imigrantes não estariam voltando para seus países de origem?
        Sinceramente, se vc quis ironizar, o tiro saiu pela culatra, pois a esquerda esta usando o texto para mostrar os iliteratos brasileiros que os USA estão na M.
        Mais uma vez digo, só fica na M. nos USA, quem não trabalha e quer viver de assistencialismo governamental, pois tem estagiário ganhando 16mil reais em NY, enqt aqui no Brasil não ganham nem 800 reais e se acham o máximo por estarem na faculdade….

  19. Luis kaiser

    Olá Historiador, tudo bem??

    Lí seu texto sobre a pobreza americana e fiquei com algumas dúvidas para você sanar:

    Se a situação americana está tão feia assim, por que os Yankees não vão imigrar para o México?? É só cruzar a fronteira , dizem que o México está uma maravilha.

    Ou melhor, poderiam ir para Cuba, esse sim, o paraíso das Américas, é fácil chegar, pois a distância é pequena, tudo bem que eles devem estar sem grana para comprar um bom barco, mas poderiam fazer um bote com restos de construção, tábuas velhas, isso deve ser barato nos EUA, E ELES DEVEM TER DE MONTE POR LÁ.

    Puxa , fiquei muito preocupado com os americanos, tenho parentes e amigos que moram lá, vou pedir para que voltem correndo pra cá, quem sabe de tempo até de se cadastrarem em algum programa de política social aqui no Brasil!

    • Somente os americanos poderiam te responder a razão de eles não irem para o México, ou Cuba.

      Quanto a seus amigos e parentes, faça como achar melhor, afinal de contas, são seus amigos e parentes.

      Att.

      RB

    • Ana Horta

      Uma grande percentagem dos “Sem Casa” estão na Flórida por terem um clima favorável. Há miséria sim por todo o lado mas são excluídos dos centros urbanos nobres para irem para zonas degradadas onde o turista não vai.

  20. Ajudando quem está com problema de leitura:

    “Aproximadamente 50 milhões de estadunidenses, (49,7 milhões), estão vivendo abaixo da linha da pobreza”. (em um total de 321 milhões). Algo equivalente a 15% exclusivamente nessa situação.

    Segundo relatório de Hope Yen para a Associated Press:

    ORIGINAL: “According to The Associated Press, four out of 5 U.S. adults struggle with joblessness, near poverty or reliance on welfare for at least parts of their lives, a sign of deteriorating economic security and an elusive American dream.”

    TRADUÇÃO: “De acordo com a Associated Press, quatro de cada cinco adultos estadunidenses lutam contra o desemprega, quase pobreza ou dependência de programas assistenciais por pelo menos parte de suas vidas, um sinal da deterioração da segurança social e de um sonho americano elusivo”.

    FONTE: http://politicalblindspot.com/shocking-study-4-out-of-5-in-usa-face-near-poverty-and-unemployment/

    Link para o original do Relatório Hope Yen: http://bigstory.ap.org/content/hope-yen

    Os dados estão todos aí. Briguem com eles!!!!

    Att.

    RB

    • “lutam contra o desemprega, quase pobreza ou dependência de programas assistenciais por pelo menos parte de suas vidas”

      Estes dados Com absoluta certeza são reais! confiamos na sua palavra, e na sua fonte! mais estes dados são relevantes?

      Seguindo a mesma linha de raciocínio posso afirmar que 99,99% da população mundial é virgem! (salvo algum caso bizarro que possa ter acontecido e não tenho conhecimento) pois há relatos de fontes seguras que quem não é no “momento” foi em alguma parte de sua vida.

      Não se pode chegar a uma conclusão, baseada em e agrupando diversas situações diferentes em momentos diferentes.
      O método é falho e no minimo pretensioso.Poderia ser aplicado para o contrario, pesquisando quais “mendigos e moradores de rua já tiveram casa, trabalho, família e situação financeira estável ” para depois afirmar que tal país tem a melhor qualidade de vida do mundo.

      Não descreve a situação financeira de determinado país. É ingenuidade acreditar que estas pesquisas sejam realmente “serias”.

      Abraço.

      • Em primeiro lugar, os dados não são meus. As fontes foram divulgadas e são acuradas. Se quer desacreditar o divulgador (Associated Press) ou produtor dos dados (Hope Yen), faça-o com argumentos, coisa que não vi por aqui.

        Os dados são irrelevantes, na sua opinião, com base no quê? O paralelo que você fez é risível (para não dizer ridículo)

        O método é falho e pretensioso com base em que argumentos? No seu mero “achar”? Os dados apresentados por Hope Yen (formada em jornalismo pela Universidade do Texas e em direito pela Universidade de Harvard, atualmente repórter nacional pela Associated Press) foram obtidos a partir de dados do Censo Americano (Data Census). No próprio artigo da Associated Press, informa-se que os dados que vocês estão criticando com base no mero “achar” de vocês, serão publicados ano que vem pela Oxford University Press chamando atenção para o fato de que a insegurança econômica entre os brancos também são mais penetrantes do que os dados apresentados pelo governo estadunidense, envolvendo mais de 76% dos adultos brancos quando estes completam 60 anos. (http://bigstory.ap.org/article/exclusive-4-5-us-face-near-poverty-no-work-0).

        Enfim, para criticar os dados da reportagem da AP, colocando-o em descrédito, é preciso mais do que “achar”, mas sim apresentar uma argumentação com base em dados que deem conta de colocar em cheque a metodologia empregada na coleta e análise dos dados. Não vejo onde isso foi feito.

        Att.

        RB

      • Luis kaiser

        Mas veja só historiador, as coisas são relativas, depende do ponto de vista que enchergamos, OU QUEREMOS ENCHERGAR.

        Lá, nos EUA, abaixo da linha de pobresa, é quem ganha menos que 11 mil dólares anos, algo próximo a 1000,00 dólares mês, e pobre, para eles é quem tem renda entre 11 mil e 22 mil dólares ano, o que daria quase 2 mil dólares mês. Como o custo de vida nos EUA é menor do que aqui, ou no mínimo igual, da pra descobrir como vive o ” pobre” la.

        E no Brasil?? Aqui, a Dilma e o bando do PT( desculpe, é óbvio que você é PTISTA ) criaram uma classe média que não existe. Eles inventaram que, se você ganha mais de R$ 1300,00 por mês você já é classe média, e apenas é considerado abaixo da linha de pobresa, se ganhar menos que 600 reais mês. Eu fiquei super feliz, descobri que sou classe média alta, mesmo não tendo 2 carros e ganhando menos que 10 mil por mês.

        Agora me responda?? Quem vive melhor, o pobre daqui ou do Tio Sam???

        E não fuja da resposta, é fácil escrever besteiras, emitir seus conceitos pró esquerda( como está no texto) e depois sair dizendo que não tem nada com isso, apenas noticiou o que viu no site e blá blá blá.

      • Ana Horta

        O pior cego é aquele que não quer ver.

  21. Falou falou e não disse nada….

    Tá tentando defender um método de analise que engloba “em alguma parte da vida”. Apenas um tolo não entende que o método é falho e pretensioso.

    Mais bem eu não tentar argumentar com o Sr. pois o Sr., nem ao menos se encontra na estatística. Pois segundo estudo realizado na escola de educação básica tenente almachio 100% das pessoas que merecem ter a opinião respeitada tem cabelo….E como este parâmetro é aceitável para julgar o “Hoje e Amanha” O Sr. é totalmente desprovido de cabelo, não se aplicando no parametro exigido.

    A pesquisa Não é seria, A reportagem É sim Tendenciosa. E merece no minimo Atenção do leitor.

    Publique esta matéria para qualquer pessoa , discuta com qualquer pessoa esclarecida, é indigno de discussão….pois apenas um ignorante completo cairia em uma Besteira dessas, conversa pra boi dormir, é pouco.É uma afronta a inteligencia de quem lê, que deveria no minimo ser respeitado, e não ser obrigado a concordar com a opinião de quem repassou esta matéria.

    “Os dados são irrelevantes, na sua opinião, com base no quê? ”

    Porque eles não fazem sentido algum…Qualquer pessoa com um minimo de bom senso percebe que não passa de pura besteira.

    Concluindo, sim meu exemplo foi extremo justamente para mostrar que tal pesquisa é ambígua.Pra não dizer ridícula.

    “O cara quer defender “saporra” ainda, é mole jow?”

    pega qualquer porcaria, tenta enfiar goela abaixo de quem le, e ainda tenta discutir…… não percebe que quem perde credito na verdade é ele mesmo.
    Estoriador….. seria mais adequado.

    • Leonardo,

      Seja feliz na sua ignorância, então. Continua utilizando exemplos ridículos e colocando a reportagem de Associated Press, feito por pessoas bem formadas e com base em dados coletados em pesquisas realizadas por institutos sérios e que serão publicados em ambiente acadêmico, apenas porque vc acha que a pesquisa é pretensiosa e falha. Sem dar nenhuma contra-argumentação que derrube toda a análise e metodologia empregada. Resumindo: você é um tremendo fanfarrão que merece ser simplesmente ignorado.

      Att.

      RB

    • Gilson Luis

      Sr. Leonardo Felipe Brugnago Borges, por favor, não discuta com o sr. Rogério Beier, pois o mesmo é “historiador”. kkkkkkk

      Saudações de quem vive a 14 anos nos USA ( e sem pretensão alguma de voltar ao brasil).

      Gilson luis
      Atlanta / USA.

  22. Luis kaiser

    Ah, e esses links de esquerda não esclarecem nada. Se eu ler a Carta Capital, vou achar que o Brasil tá nadando em dinheiro, que o povo tá muito bem, com serviços sociais a altura e que somos uma grande nação de primeiro mundo. Já se eu ler a Veja, vou achar que estamos falido, que estamos sobre uma ditadura total e que não teremos futuro algum.

    Tanto um como outro estão exagerando, puxando a ” sardinha” para seu lado. O que vale é a constatação ” in loco” sobre o que acontece nos EUA, COM QUEM VIVE E MORA LÁ.

    Aguardo ansioso seu texto sobre Cuba e o paraíso que é morar lá!! Claro, tudo citando fontes isentas e idôneas.

    • Kaiser,

      Seja feliz com sua ignorância.

      Att.

      RB

      • Luis kaiser

        ” Estoriador” , ignorância é se manifestar sobre algo que não conhece.

        O que falo não é com base em achismo, conheço bem a realidade Norte americana, tenho irmã que mora lá a ” apenas” 17 anos, alem de dezenas de amigos. E eles não são ” burgueses capitalista, membro das zelites” , como vocês , esquerdistas , adoram dizer. São trabalhadores, operários, que trabalham dia a dia, mas tem uma vida…infinitamente melhor que a de qualquer brasileiro.

        Fica claro, nítido e cristalino, sua tentativa, quase infantil de defender o governo PTralha que aí está.

        Esqueça dados dali ou daqui, tudo isso pode ser manipulado para direita ou esquerda, depende apenas do ponto de vista que se quer ver, ou quer que os outros vejam.

        Vejam quantos estrangeiros migram para os USA??. Cubanos, Venezuelanos, Mexicanos, Brasileiros entre vários outro….se o índice de pobreza fosse a metade, do que você citou no texto, com certeza quase ninguém estaria indo para lá.

        O Brasil melhorou?? Sim,melhorou economicamente um pouco, mas sem ufanismo. Os EUA entrou em crise em 2009?? Sim, entrou, mas sem exageros cara, daí a dizer que está na miséria é muita cara de pau esquerdista!!

  23. Jefferson Alves

    As pessoas aqui falam que o custo de vida norte-americano é menor pois tudo lá custa menos é a prova do desconhecimento que elas tem da mecânica econômica e da realidade daquele país.

    Só para exemplificar, uma geladeira lá pode custar muito menos que aqui, porém se você não estiver empregado em uma empresa que tenha seguro saúde, você vai torrar todo o salário caso fique doente, pois não há nenhum programa de saúde como o SUS lá. Alias, se for atropelado e levado para o hospital, não tendo seguro saúde chegará uma bela conta da ambulância para pagar.

    Também, não há nenhum tipo de cobertura para a mulher que engravida, ou seja, se ficar um mês fora do trabalho, não recebe.

    Logo, o custo de vida é mais alto por conta desse tipo de situação. As coisas aqui são mais baratas, mas temos “coberturas” sociais inexistentes lá e que não pesam no bolso do brasileiro ( por isso o plano de saúde particular não conta para o custo de vida, por exemplo).

    Não vi os dados in natura, concordo que aparentemente se usar a metodologia de que em algum momento da vida 80% da população está próxima ou na linha de pobreza pode ser estranho, mas somente analisando os dados e a metodologia seria possível afirmar que está errado.

  24. Jefferson Alves

    Errata: onde se lê: as coisas aqui são mais baratas, leia-se: são mais caras.

  25. Antonio

    Rapaz, agora fiquei assustado com esses dados. Andei de carro exatas 2.111 milhas nos Estados Unidos do sul ao norte agora em janeiro de 2014 e não vi esse monte de miseráveis. Acho que o governo liberal e que tem pacto com o capeta deve comer esse povo ou esconde em algum buraco.
    Se de cada 5 gringos 4 estão sem emprego certamente deve ficar em casa assistindo TV, porque na rua eles não estão.
    Uma coisa é fato, lá é o primeiro mundo e aqui o terceiro e ponto.
    E tem mais, a principal é o comportamento do povo.

    • Ítalo

      (Resumindo)

      Sim, o título da notícia é “sensacionalista”. Mas resumindo…

      Atualmente são 15% não 80%. Mas, 80% passaram por tal situação em suas vidas.
      E pra complementar, só em Nova York, hoje, há mais de 60.000 moradores de rua e creio que a maioria não o é por opção. Segundo a BBC, EUA tem mais mendigos que toda população de Cuba.

      Então, equacionem. E se possível, sem comparativos.

      Vou evidenciar um dado que creio ser incontestável e que trará luz à questão independente dos demais comparativos:

      60.000 moradores de rua (por opção?)

      • Você estão comparando realidades diferentes. Sim, nos EUA há pobres e homeless. E eu vi vários em NY. E alguns brancos, ex-classe média.
        A diferença é que lá há Lei: não pagou o aluguel? Vai ser despejado no PRIMEIRO MÊS. Não pagou o mortgage? O banco vai TOMAR o imóvel sem dó, não importa se é o único imóvel, se tem 15 filhos, se é negro ou branco.
        Só que com estas regras você tem um custo menor para TODOS. O juro do mortgage é bem mais baixo do que o daqui. O aluguel de lá não embute a dificuldade de despejar.
        No Brasil o pobre consegue “enrolar”. A senhora da limpeza de onde eu trabalho comentou que foi despejada recentemente. A razão? Ela aluga o imóvel já com a intenção de não pagar…

  26. Moises Santos

    Um pouco exagero nas noticias, apenas reflete um pais em crise e que neste momento ha 80% das pessoas que foram afetadas pela crise..ou seja a populacao toda os outros 20% sao os milionarios, e logico que qdo ha uma crise, momentaneamente todos sao afetados, muitos perderam emprego e estao correndo atraz e mesmo dependendo de seguro desemprego ou ate memso necessitando de ajudas sociasis..mas ja dizer que os USA foram a falencia e demais, o texto apenas diz que 80% da populacao ”are strugled”, todo mundo tendo que correr o dobro atraz dop prejuizo, mas continuamos ainda sendo a primeira economia mundial, este fulano que escreveu estes comentarios com certeza e um anti Obama e os caras aqui qdo nao gostan do governo eles fazer as materias deles extremamente sensacionalistas pra paracer que e tudo culpa do Obama..ja vivo ha 5 anos nos USA sou casado com uma americana, somos pobres,..so ela ta trabalhando mas temos de tudo, TV de 60″ celular galaxy 4, carro (trocamos todo ano), eu tenho um computador que ai no Brasil custaria uns 8 mil reais, frequento uma academia gigantesca com 4 quadras de esporte interna e piscina, ou seja sou pobre mas nem classe media do Brasil levaria a vida que eu levo. Portanto, faco parte dos 80% que sentiu o efeito da crise, os outros 20% sao os milionarios, mas estamos saindo do poco, a economia americana esta reagindo e os USA continuao sendo a primeira economia mundial..e eu ainda continuo pobrete mas alegrete.

  27. Luiz Carlos

    Caramba, como aparecem os chupa paus americanos quando se fala em sua derrocada. Isso é lindo, lindo imaginar que a preocupação em defender os gringos reflete o cheiro de carne podre que se respira no império de OZ. Lamentável que esses gringos por tabela, ainda vibram, o que faz uma matéria hein?

    • Daniel

      é tudo uma questão de quão sem sentido são essas afirmações, existe uma idéia especialmente na esquerda de resolver os problemas na base da canetada, foi assim que Evo Morales praticamente acabou com o analfabetismo na Bolívia, é assim que o governo Argentino diz que o páis tem uma inflação de 7% quando na realidade chega aos 30%, é assim que Cuba é o paraíso da educação e saúde… é só baixar as exigências, é só fingir que as estatísticas consideram uma pessoa pobre no Brasil tem as mesmas exigências que as que consideram uma pessoa pobre nos Estados Unidos, que pra uma pessoa deixar de ser analfabeta só é necessário saber escrever o próprio nome, que fossa sanitária é ter saneamento básico… e ai ignora o resto do mundo é muito mais exigente e faz comparações superficiais que não resistem ao menor aprofundamento na comparação

      é por esse tipo de mentalidade ridícula que o Brasil tem os problemas que tem, que constrói estadios pra copa ao invés de hospitais, afinal, como o Lula disse, a saúde no Brasil está ótima né?

      • Olha só, e não é que tem gente na Classe Média preocupada com hospitais públicos??? Vejam vocês!!! Com o dinheiro perdido na sonegação de impostos (uma Suécia e uma Bolívia), ninguém se preocupa, não é? Aliás, nem falam em sonegação de impostos, vai que…

      • Daniel

        Rogerio Beier no dia que o estado fizer um uso descente do dinheiro público que recebe ao invés torrar com corrupção e incompetência, ai as pessoas vão se preocupar com sonegação, você fala que a sonegação é uma suécia e uma bolívia?? os impostos pagos ano passado foram R$1.8 trilhão, cadê o retorno DESSE dinheiro em serviços de qualidade??? querem mais pra quê pra torrar em obras superfaturadas? em burocracias estúpidas? em incompetência endêmica? ninguém jamais vai se preocupar em quanto dinheiro um estado podre, corrupto e incompetente perde, porque todo mundo sabe quanto ele tira pra jogar no lixo

  28. Pedro

    Realmente não entendi a alusão à sonegação.

    A sonegação de impostos no Brasil é legítima, se houver oportunidade de sonegar considero esta a opção mais sábia e, talvez, até a mais justa.

    O estado brasileiro é extremamente ineficiente e corrupto, dos 30 países com maior carga tributária do mundo o Brasil é o pior em retorno à população. Estamos em ÚLTIMO lugar! Já os EUA está em segundo.

    http://exame.abril.com.br/economia/noticias/brasil-e-pais-com-pior-retorno-dos-impostos-diz-ibpt

    Desta maneira, a tributação brasileira não serve aos fins devidos, é uma apropriação indevida do dinheiro dos trabalhadores que está no limite do roubo, como o caso da tributação indireta do fgts, em que somos obrigados a fazer uma poupança que só beneficia ao estado. Vejam que o custo de um assalariado para uma empresa é mais do que o dobro, em torno de 2 mil reais, vocês não acham que este dinheiro estaria melhor nas mãos do trabalhador? Somos obrigados a pagar por educação, saúde e infra-estrutura péssimas, o que nos obriga a pagar por fora por todos estes serviços que não são oferecidos de maneira sequer satisfatória.

    O estado brasileiro está privatizado por uma casta de políticos e burocratas. Os nossos políticos são os mais caros do mundo e o poder judiciário idem, mas estamos em último quando se trata da relação custo benefício.

    Portanto, no momento, o estado brasileiro é meu inimigo, estou engajado na mudança desta situação para, talvez um dia, pagar impostos com muita satisfação.

    Leiam a desobediência civil de Thoreau, é algo que devemos exercitar no Brasil.

    http://exame.abril.com.br/economia/noticias/brasil-e-pais-com-pior-retorno-dos-impostos-diz-ibpt

    A quem falou que no EUA não há nenhuma cobertura e mecionou o SUS como opção que nos isenta de ter que contratar seguros particulares eu tenho duas coisas a dizer: 1) Eles tem cobertura sim, independente de estarem empregados, se informe sobre o medicaid e medicare; 2) Você é uma pessoa de muita sorte, pois para aceitar o SUS como uma opção válida ou você vive em uma das poucas cidades brasileiras cujo SUS funciona bem ou consegue viver se contentando com muito pouco. Veja você que infelizmente a mãe de uma secretária de uma escola que trabalhei não teve a mesma sorte. Ela estava com suspeita de câncer e o médico lhe passou exames com urgência, mas o SUS só tinha disponibilidade para três meses depois. Ela descobriu que estava mesmo com câncer da pior maneira possível e o seu fim não foi dos melhores. Infelizmente este tipo de acontecimento é banal no Brasil.

    Conversei com um americano sobre o Medicaid e o Medicare e, realmente, muitas críticas podem ser feitas, mas mesmo assim, pelo sua descrição, a situação lá para quem não tem seguro de saúde particular é bem melhor do que a daqui.

    É meus caros, depender do Estado brasileiro é uma barra. A única coisa boa feita pelo pt, neste sentido, foi o bolsa família e demais programas assistencialistas. É importante que o estado trabalhe para tirar as pessoas da miséria, a miséria é inaceitável e o custo destes programas não chega a 2% do pib.

    No entanto, dar um cartão para que se retire dinheiro mensalmente é muito fácil e não resolve nada a médio e longo prazo, o que começa a resolver é o filho de um assalariado estudar em uma escola tão boa quanto a de um empresário. O pt teve 12 anos e estamos muito longe disso. Como alguém acima comentou, é um partido que tem o péssimo hábito de resolver as coisas à canetada, tal como os companheiros latinos. Assim é possível viver em um país de classe média (petista) que está indo às mil maravilhas.

    E não se trata de babar ovo de gringo, mas de ser crítico a situação deplorável que estamos para que não se façam comparações equivocadas e proselitistas que em nada contribuirão para a melhoria das nossas vidas aqui no Brasil. Temos que tomar como referência bons exemplos, dos Eua ou de onde for, e pensá-los a partir da realidade brasileira.

    É isso meus amigos!

  29. Pedro

    Mais uma referência interessante sobre o quanto o estado brasileiro toma do seu trabalho:

    http://epocanegocios.globo.com/Informacao/Resultados/noticia/2012/05/custo-de-trabalhador-e-de-ate-183-do-salario-diz-fgv.html

    As vezes é válido, para evitar esse tipo de coisa, abrir uma empresa para ser contratado enquanto pessoa jurídica, pois não temos, como deveriamos ter, a opção de incorporar estes “direitos trabalhistas” ao nosso salário. Não preciso e não quero o estado brasileiro se metendo no dinheiro que é fruto do meu trabalho. Este dinheiro é melhor administrado por mim.

    Viva a liberdade e cuidado com o PT, está em seus planos aumentar os impostos se ganharem a eleição. A sua herança, por exemplo, provavelmente será tributada e você não precisa ser rico, até porque, para o PT quem vive com 1000 reais é classe média e os ricos são o que é tradicionalmente classe média.

    A rigor, não sou contra o aumento de impostos, mas enquanto tivermos um estado tão ineficiente não há autoridade para aumentar a tributação.

    O estado brasileiro sob o comando do PT não tem autoridade alguma para aumentar qualquer tributo. Vejam o PAC, cadê as estradas, ferrovias, transposição do rio São Francisco? Pesquisem e vejam que todas as grandes obras do PAC estão atrasadas e superfaturadas. Nos obrigar a pagar por algo que está longe de nos beneficiar como deveria, pois é desviado por quadrilhas, é roubo de nosso dinheiro.

    Lembrem-se: o estado não dá nada, pois não se pode dar o que não se tem. Todo o dinheiro do estado é fruto do trabalho da iniciativa privada.

  30. Pingback: O capitalismo global está destruindo a raça humana | Hum Historiador

  31. Roberto Locatelli

    Impressionante como tem brasileiros que idolatram os “istêitis” e não querem acreditar que o país tem AMPLA MAIORIA de pobres. Ah, a ilusão de Hollywwood…

    • Kathy Legrand

      Venha viver para os “ISTEITIS para poder comprovar que isto é mentira… Acontece que nos “isteitis” um casal que ganha menos de 24 mil dolares por ano é considerado pobre, e no Braziu é considerado RICO.. Mais mao imporrrrta nao, aqui a brazuca do lado estave felish porrrrque acabou je verrr o Braji Pichi no Patji Marki

  32. Moises Santos

    Impressionante como tem brasileiros que tem inveja dos americanos…Roberto Locatelli vive nos USA?? eu vivo ja ha 7 anos e posso te garantir que no Brasil tem muito mais, e no Brasil nem sao pobres, sao miseraveis com o salario que ganham, com a pessima qualidade de vida e com a maneira como sao explorados por tudo e por todos..e so todos alegres e se acham!!

    • Kathy Legrand

      E verdade Moises … Aqui um casal com dois filhos que ganha menos de 26 mil dolares por ano já é considerado pobre mas no Brasil seria considerado rico… entao o Brasil tem mais ricos que os Estados Unidos… Como pode ter um baixo indice de pobreza um pais que fica no penultimo lugar num estudo sobre educaçao… Eu vivi no Brasil muito tempo e viajei (pais lindo) mas com tanta grade de ferro, tanta violencia, tanto medo… tanta favela, tanta pobreza……….. CREDO ………….. NEM COMPAREM… SO COMPARA QUEM NAO VIVE AQUI E EU VIVO AQUI HA MAIS DEA 20 ANOS…. FORA BICHO!!!

  33. Kathy Legrand

    Gente … isto é inaudito!!! Vivo aqui, e o unico estado que nao conheço é Hawaii.. NUNCA LI UMA MENTIRA TAO GRANDE…. SIMPLESMENTE INSOLITO. Todas as notícias negativas deste pais saem do Brasil… Entao porque continua enviando mais e mais brasileiros para aqui? Gente … incluindo paises tao pequenos como Portugal, os brasileiros estao chegando aos milhares… Aqui nao existe uma quarta parte da pobreza do Brasil… Deixem-me esclarecer… O nivel de vida aqui é tao bom e tao alto que uma familia de 4 que recebe menos de 24.000 dolares por ano já é considerada pobre, no Brasil é considerada média ou alta… Entao? Depende do que consideramos pobreza…..
    Se aqui ha tanto pobre… no Brazil temo dobro de PAUPERRIMOS! porque vivem muito por debaixo do nivel de pobreza…. A diferença de classe social é maior que aqui nos EUA …. Quantos desses milhares e millhares e milhoes de pessoas que vivem nas favelas consegueem ver 24.000 na vida deles? Nem vivendo 4 vidas!

  34. PT… o Brasil é exemplo pro mundo… que besteira… não achei um petista que me explicasse o porque de um aumento de 10% no bolsa família (+ que o salário mínimo) em ano de eleição e lançam uma matéria dessas pra desviar o foco daqui…

  35. Bandler

    Olá Rogerio,

    Por gentileza, você tem o link oficial deste estudo da Universidade de Washington?

    Apesar dos EUA ser conhecido como o país mais libertário do mundo, nos últimos anos, seja com Clinton, Bush (mesmo sendo republicano) e Obama diversas políticas econômicas keynesianas (com alta interferência estatal) estão sendo praticadas por lá há anos. Eles não estão seguindo muitos dos princípios básicos do liberalismo a um bom tempo.

    Segundo os liberais, principalmente da escola austríaca, o problema da crise americana e da sua continuidade são abordados nos artigos abaixo:
    -http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1553
    -http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1547
    -http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1696

    Se você notar os EUA não estão seguindo quase nenhuma abordagem liberal para reduzir ou acabar com os problemas. Pelo contrário, a abordagem de interferência do Estado que está cada vez mais em voga.

  36. Bandler

    A França e o ápice da social-democracia: impostos para todos, emprego para poucos: http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1719

  37. Antonio Amoroso

    Ora isso é culpa principalmente do Obama, que é um marxista treinado pelo pessoal do Saul Alinsky.

    Uma boa introdução sobre Saul Alinsky aqui: http://www.formacaopolitica.com.br/portfolio/saul-alinsky-e-o-imperio-do-radicalismo-politico/

    • Ora, camarada. Só mesmo vcs, apologistas do Mises para me fazerem sorrir em um dia como o de hj. Hahaha

      Obama é tão Marxista quanto Napoleão Bonaparte era democrático, ou Luis XVI republicano….

      Att.

      RB

      • Antonio Amoroso

        Oi Rogério,

        Convenhamos que o Obama é muito mais esquerdista do que direitista, já que a direita americana inteira o critica. Além disso, ele participou por anos na ONG criada pelo Alinsky junto com a Hilary Clinton.

        Até mesmo o Michael Moore (esquerdista) apoia muito ele.

        Acredito que nós dois queremos o melhor para o Brasil e para os brasileiros. Só não concordamos no ‘como’ fazer isso.

  38. Luiz Santos

    Realmente a distribuição de renda é horrível em toda nação “capitalista”, descontando os países que não servem de parâmetro, por fatores fora do padrão. Seja esta nação um social-capitalismo, um liberal-capitalismo ou um “invencional-capitalismo”. O resultado mais óbvio destas nações é aquele no qual já vivem de fato ou muito próximas, se dando conta ou não, mas é um resultado de extremos, ou uma ditadura, uma “democracia autoritária”, uma democracia de controle midiático,que dá na mesma. Onde de democrático não há nada, a não ser o direito de voto, e o de “livre expressão” (de que adianta falar, se não há o ouvinte), mas em geral, países controlados por núcleos de poder estabelecidos, extremamente fechados, que se revesam no poder, com nenhuma preocupação com o retorno real que dão a suas populações. Jogo este perdido pela população, mesmo antes de começar. E qualquer movimento contrário é totalmente boicotado por estes núcleos, que estão a frente de todos os setores sensíveis de uma sociedade, que por sua vez terá grande dificuldade de evoluir, pois foi incutido em sua psique o desejo de ser parte deste grupo distinto.

    A verdade é que as pessoas não querem um país melhor, ou melhoras coletivas, pois isso em um primeiro momento pode necessitar de um pequeno sacrifício de todas as classes sociais, e verdade então é o que vemos rotineiramente, cada um que cuide do seu próprio Rbo! O resto pra mim é conversa fiada de sofá. Queria ver as coisas de forma diferente, mas como?

    Quanto a matéria nada de novo, os EUA não são o paraíso. Mas resta dizer o que é pobreza em um país que: (dados que estão por aí na internet)

    – quase 75% têm pelo menos um carro;
    – 83% das famílias afirmam ter alimentos suficientes;
    – 42% delas são proprietárias das residências onde moram.

    Pobreza no Brasil: o IBGE classifica como pobre quem vive com uma renda mensal de até R$ 134.

    Nos EUA, consideram-se extremamente pobres aqueles cuja renda mensal não chega US$ 944 por mês. Renda da classe C brasileira – classe média tradicional.

    Estes dados estão corretos? Me corrijam por favor. Então há uma grande diferença entre os pobres, convenhamos!!!

  39. Pedro

    Rogério, você tem sido muito feliz em sua defesa às falácias que alguns lhe atiram, então porque em vez da ironia à referência do Mises vc não nos brinda com belos argumentos? Por que tal referência lhe faz rir? Você discorda do liberalismo de mises? Se sim deveria demonstrar como suas teses não se sustentam e assim contribuir com o debate =)

    • Bandler

      É verdade. Concordo contigo Pedro!

      O debate deve se ocorrer na argumentação, de ambos os lados.

      • Olá Pedro,

        A verdade é que estou acessando muito pouco a Internet por conta de meus compromissos com a pós-graduação. Quando acesso [sem ser para fazer pesquisa], fico conectado algo em torno de 30 minutos. Por essa razão, acho que não devo ficar esse pouco tempo que permaneço conectado, dedicado a discutir as ideias do pessoal do MISES, haja vista que essas ideias já foram discutidas e colocadas em xeque por diversos pensadores marxistas (ou não marxistas).

        Att.

        RB

  40. Bandler

    Oi Rogério,

    Por gentileza, quando você tiver tempo poderia apenas passar o link para mim dos pensadores marxistas que refutaram os argumentos de Mises e outros da Escola Austríaca. Pois, gosto de ler artigos e livros de ambos os lados.

    Muito Obrigado.

  41. Pedro

    Rogério, acho louvável sua iniciativa de fazer um blog que fomente a discussão para o aprimoramento do pensamento político dos que tem o interesse e encontram aqui um lugar propício para tal. De tal maneira, é uma pena que você fuja do debate e não argumente mais: 1) primeiro estigmatiza mises com base em um apelo a um preconceito que daria bem certo com esquerdistas sectários, o que não é o caso dos que aqui estão debatendo com você que não são apenas “o pessoal do mises”, eu conheço superficialmente o pensamento dele e gostaria muito de ler suas críticas à respeito 2) depois vens com a falácia do apelo a autoridade dos supostos pensadores marxistas (e não marxistas) que puseram em xeque as teorias do Mises. Rogério, é vc que se propõe a debater sobre as implicacões do post do seu blog e não estes pensadores que vc não se dá nem o trabalho de citar os nomes, muito menos a referência do que escrevem contra o Mises. Caso não queira debater não abra este espaço, do contrário mais honestidade com os que aqui estão, pois eles certamente também tem seus compromissos, Não vale menosprezar o Mises sem argumentar apelando à autoridade de pensadores fantasmas e ao discurso do bom trabalhador que não tem tempo para discutir algo supostamente irrelevante e superado.

    Por sinal, nada mais ideologicamente burguês e conservador do que este discurso que, a título de exemplo, é usado ad infinitum pela direita conservadora brasileira quando deseja deslegitimar algum protesto: “São desocupados, baderneiros que só atrapalham a vida do cidadão de bem que trabalha e paga seus impostos” Pois bem,é deste discurso que se utilizas, em uma versão onde vc é o cidadão de bem (aliado aos marxistas, suponho) e o Bandler o baderneiro (aliado ao pessoal do Mises, como tu mesmo colocas), badernando seu blog com ideias as quais vc não deseja discutir pq talvez não saiba ou simplesmente não queira,

    Para mantermos um debate de alto-nível vamos evitar a atitude sectária e anti-democrática, caso não queiras mais debater por estar muito ocupado seja honesto, pq tentar ridicularizar aquele que apresenta ideias divergentes não fica bem. 😉

    • Pedro,

      Acho que você me compreendeu mal. Não tenho tempo, tampouco talento para repetir os escritos de Marx, Lênin, Trotsky, Luxemburgo, Gramsci, Mills, Benjamim, Marcuse, Adorno, Althusser, Lukacs, Thompson, Hill, Hobsbawm, Lowy, Chauí, Harvey, Zizek e outros tantos que não mencionei. Estão todos aí e, no meu entender, respondem bastante bem as questões que foram postuladas por Bandler e que são discutidas pelos austríacos do Mises.

      Quanto a inversão que você fez para me rotular de
      “burguês e conservador”, por conta da minha falta de tempo para reescrever o que já foi dito pelos marxistas supracitados, tudo bem. Eu sei bem quem eu sou, de onde venho, o que disse e com que intenção eu disse.

      Att.

      RB

  42. Exemplo do que estou falando – e que bastaria ter buscado no GOOGLE pela expressão “Sistema Bancário Zizek” – é a resenha do jornalista Oscar Pilagallo sobre o livro de Slavoj Zizek intitulado “Primeiro como tragédia depois como farsa”, disponível em http://slavoj-zizek.blogspot.com.br/2011/07/oscar-pilagallo-o-sistema-esta-ai-e.html.

  43. Pedro

    Lamentável que as pessoas na sua cegueira ideológica nem parem para pensar sobre o que publicam. Relativamente à pobreza do mundo liberal, sem recorrer a qualquer estudo falso e / ou manipulado, posso garantir que nem se aproxima da pobreza dos Países Proletários com destaque para China e ex – URSS. Para não me alongar mais refiro por último que se deve ter atenção ao que se considera um pobre ou pessoa à beira da pobreza nos EUA ou na Europa, sendo que na Europa uma pessoa é considerada pobre com um rendimento mensal de 500 euros, basta agora pensar, mesmo no Brasil, quantos milhões de pessoas que não se consideram pobres ganham menos que isso.

    • Luis kaiser

      Pois é Pedro, já aqui, em nosso Paísinho socialista de terceiro mundo ( ops! Socialista e terceiro mundista é redundância ) quem ganha 500 euros é considerado classe média!

      Realmente noticias com cunho ideológico, só servem para satisfazer o ego ideológico dessa turma!

      • Caro Luís,

        Sinto que você sequer domina os conceitos ultrapassados ao qual fez referência em seu comentário, mas enfim, não serei eu a elucidá-los.

        Se coloca em xeque os dados da notícia produzidos por Hope Yen, pela Universidade de Washington e que foram divulgados pela Associated Press, acho que seria melhor fazê-lo a partir de uma argumentação, e não com comentários rasos e com ataques pessoais, como o fez acima.

        Enfim, acho que seria esperar demais…

        Att.

        RB

    • Caro Pedro,

      O choro é livre. Você pode contestar os dados fornecidos pela reportagem junto a Universidade de Washington, Associated Press e pela responsável pela publicação Hope Yen.

      Quanto a relativizar a pobreza dos estadunidenses quando comparada com a pobreza dos brasileiros, talvez caiba também em sua análise comparar que o pobre brasileiro pode contar com o Estado para garantir o mínimo necessário para sua sobrevivência (saúde pública e remédios, educação pública para os filhos, gás de cozinha, energia elétrica, e alguns outros benefícios garantidos por uma rede de atendimento social ampliada durante as últimas gestões do governo federal), coisa que os cidadãos estadunidenses não podem contar. Além disso, cabe observar que dependendo da cidade onde o cidadão estadunidense é pobre/miserável, o custo de vida é extremamente elevado, dissolvendo a suposta quantia que ele receberia a mais em comparação com o cidadão brasileiro. Assim, entendo que sua argumentação falha ao tentar relativizar a pobreza estadunidense.

      Aliás, fenômeno interessante de se observar são as cidades fantasmas que vez ou outra aparecem nos telejornais ou nos periódicos diários surgidas do abandono das empresas das ditas cidades, deixando a população abandonada e relegada a miséria e à violência. Recentemente, o caso de Ferguson mostrou a região metropolitana de St. Louis, mais recentemente ainda a folha mostrou o caso de Atlantic City e, há mais tempo, Michael Moore já vinha mostrando o caso de Flint, em Michigan e a própria Detroit.

      Por fim, me parece patológico essa necessidade de sempre mencionar os “países proletários” e trazer para a discussão a China e a extinta URSS quando estamos falando da miséria e da pobreza gerada pelo Capitalismo. Como se a pobreza e a miséria vividas pelas cidades que viveram o regime socialista justificassem e nos fizessem achar melhor a miséria capitalista. Não, caro Pedro, não justificam.

      Em tempo, recomendo leitura de outro post que publiquei aqui, repercutindo texto de um liberal que participou do governo Reagan, dizendo que o capitalismo global está destruindo a raça humana (https://umhistoriador.wordpress.com/2014/03/22/o-capitalismo-global-esta-destruindo-a-raca-humana/). Parece que as críticas ao capitalismo não vem apenas do proletariado, camarada.

      Att.

      RB

      • Daniel

        “o pobre brasileiro pode contar com o Estado para garantir o mínimo necessário para sua sobrevivência (saúde pública e remédios, educação pública para os filhos, gás de cozinha, energia elétrica, e alguns outros benefícios garantidos por uma rede de atendimento social ampliada durante as últimas gestões do governo federal), coisa que os cidadãos estadunidenses não podem contar.”

        só pode fazer uma afirmação como essa alguém que não conhece os Estados Unidos e nem mesmo o Brasil, primeiro que ninguém “conta” com o Estado no Brasil, “rede de atendimento social ampliada” no Brasil? hospitais que não prestam, escolas públicas caindo aos pedaços, policia incompetente… tudo isso PAGO pelo mesmo pobre que deveria usufruir dessa rede, o sujeito vai em um supermercado e paga mais de 60% em impostos em boa parte do que compra, enquanto nos Estados Unidos paga 7%, com a diferença que aqui dos 60% pagos quase a totalidade vai pra pagar a burocracia, a corrupção, a incompetência e só uma insignificante parte vai pra pagar os serviços públicos de verdade

        na teoria eles não tem uma rede de proteção social, mas logicamente isso não é verdade já que eles tem food stamps, social security, podem descontar qualquer compra de produtos para trabalhar no imposto de renda e etc…

        só que no mundo real qualquer pobre consegue tem condições mínimas de viver com dignidade e até luxo lá, porque não pagam 3, 4 vezes o preço por tudo que consomem

        razão pela qual aqui com a suposta rede de proteção social o que mais nós vemos são pessoas sem o mínimo, coisa rara de se ver lá, volto a repetir os dados de lá e aqui

        Estados unidos
        100% da população tem acesso a rede oficial de saneamento básico e 99% tem acesso a rede de distribuição de água tratada e mais de 99% das pessoas são alfabetizadas

        Brasil
        77% da população brasileira tem acesso a algum tipo de saneamento, sendo boa parte fossas sanitárias e não a rede de tratamento oficial,91% tem acesso a rede de água limpa e 92% da população é alfabetizada

  44. Caro Daniel,

    Ao que parece, você é quem desconhece sobre o tema que está falando. A começar quando fala que uma pessoa paga 60% do que compra em impostos. Uma pena que você não nos brinde com a fonte de suas informações, gostaria muito de conhecê-las.

    Ora, se formos comparar a carga tributária brasileira em relação ao PIB, a referida taxa é de 36,3%, bem longe de ser a maior carga tributária do mundo. Nos EUA, a carga é de 26,9%. Se formos considerar, como você sugere, determinados produtos específicos, poderíamos partir para os produtos populares, já que você se referia aos pobres. Segundo tabela divulgada pela RECEITA FEDERAL, a composição tributária dos produtos populares é a seguinte: http://www.receita.fazenda.gov.br/publico/EducacaoFiscal/PrimeiroSeminario/22CARGATRIBUTARIAPRODUTOSDECONSUMOPOPULAR.pdf

    Como você pode verificar, o único produto que se aproxima dos 60% a que você se referia, são os cigarros. Outros produtos com taxas acima de 30% de imposto são bebidas alcoólicas como cachaça e cerveja, além das não alcoólicas como refrigerantes. Alimentos, em geral, estão abaixo dos 20%, com exceção do molho de tomate e do biscoito.

    Portanto, sua principal argumentação com relação a carga tributária cai por terra, meu caro. Primeiro porque o valor ao qual você se referiu não é verdadeiro, segundo porque os recursos arrecadados com os impostos, em boa parte, são utilizados para o pagamento do funcionalismo público, para investimentos em infraestrutura e, mais importante, para o financiamento dos programas sociais. Sugiro que dê uma consultada no Orçamento Federal para que se informe mais sobre o assunto (http://www.orcamentofederal.gov.br/orcamentos-anuais/orcamento-2014/orcamentos_anuais_view?anoOrc=2014).

    Quanto aos programas sociais que atendem à população mais carente, me referia, por exemplo, ao programa LUZ PARA TODOS (http://www.furnas.com.br/luzparatodos/apresentacao.html), que leva energia elétrica gratuitamente para 14,9 milhões de brasileiros. Ou ainda, para continuar no campo da energia elétrica, para populações que podem pagar, ainda que pouco, pela energia, também cabe menção à tarifa social de energia elétrica (http://www.mds.gov.br/bolsafamilia/cadastrounico/programas-usuarios/acoes/tarifa-social-de-energia-eletrica/tarifa-social-de-energia-eletrica), que é um desconto na conta de luz destinado às famílias inscritas no Cadastro Único, variando de 60 a 10% de desconto na tarifa.

    Quanto ao Sistema Público de Saúde, parece que definitivamente você desconhece como as coisas funcionam nos Estados Unidos. Se um pobre, que não tem seguro de saúde, ficar doente ou precisar de atendimento médico nos EUA, ele simplesmente não recebe apoio do Estado. Se ele for atropelado, por exemplo, e tiver que ser removido em ambulância para o hospital mais próximo, além da conta do hospital e medicamentos, ele deverá pagar a remoção na ambulância. Mesmo os indivíduos que tem seguro saúde (plano médico), estão sujeitos a pagarem por tratamentos, remoções em ambulância ou não serem cobertos por sua assistência médica, já que cada vez mais estas corporações se especializam em negarem os pagamentos com a justificativa de não estarem cobertos nos planos assinados. Muitos dos chamados “heróis” estadunidenses do 11/09, por exemplo, estão morrendo com doenças nas vias respiratórias por não terem atendimento médico garantido pelo Estado, uma vez que o trabalho no Corpo de Bombeiros, naquele país, é voluntário. Para uma melhor ideia sobre como funciona o sistema público de saúde nos EUA, sugiro que veja o documentário a seguir (http://www.youtube.com/watch?v=VoBleMNAwUg).

    Quanto ao sistema de educação pública nos EUA, aí é que a coisa fica mais interessante. Se nos determos no ensino superior, por exemplo, os alunos que conseguem vagas nas melhores universidades do país, devem se endividar por anos para conseguirem pagar por seus estudos. Muitos trabalham em dois ou três empregos, mesmo anos após terem concluídos seus cursos, para poderem pagar suas dívidas com o financiamento estudantil. Já quanto à educação básica, ela também sofre com a qualidade do ensino. É conhecido a mediocridade do sistema educacional estadunidense, mesmo este país investindo muito recurso na educação (http://oglobo.globo.com/sociedade/educacao/nos-eua-gasto-alto-com-alunos-nao-melhora-educacao-3151655).

    No entanto, o que me incomoda nessa discussão toda, é essa ideia abjeta de que deve-se diminuir os impostos para que cada um possa investir individualmente em saúde e educação. E quem não tem condições nenhuma de gastar um centavo sequer com saúde/educação? Afinal, vivemos em um sistema que provoca, e cada vez mais, a marginalização e exclusão generalizada, em detrimento da concentração da renda na mãod e poucos. Essas pessoas, então, devem morrer sem atendimento ou ficar sem estudos?

    Na verdade, caro Daniel, o caminho é o contrário. Os impostos são devidos e devem ser pagos, SIM!!!!! Nós, enquanto população, devemos cobrar de nossos políticos sistemas públicos de educação, saúde, transporte, etc. de qualidade e que atenda a toda a população, ricos e pobres. A criação de redes particulares de educação e de saúde beneficiam a quem???? O problema todo nasce quando um determinado grupo acha que deve ter tratamento diferenciado em relação a outros. Quando acha que deve ter melhores médicos, melhores professores, melhores empregos que o resto da população, mesmo que para isso ela tenha que pagar do próprio bolso, além do imposto que já paga. Esse grupo não se incomoda em pagar duas vezes para ter o mesmo serviço, isto é, educação e saúde, por exemplo. Em vez de garantir um único serviço público e de qualidade para todos, prefere pagar a parte um particular para ter um atendimento diferenciado. Isso é abjeto.

    O melhor sistema educacional do mundo é público, na Finlândia. Os melhores sistemas públicos de saúde do mundo são financiados com o dinheiro dos impostos dos europeus que, em um dado momento de sua história, decidiram que aqueles que tem mais, devem garantir que os que não tem nada não morram por falta de atendimento médico. Eles também acham que esses não devem morrer por falta de comida, por falta de energia elétrica ou gás. Parece que nos EUA, garante-se apenas os food stamps e, ainda assim, como demonstrei na reportagem que agora comentamos, eles estavam pensando em diminuir tais benefícios.

    Enfim, já me estendi demais em uma resposta que eu pretendia que fosse curta. Lamento profundamente por sua fata de conhecimento ou má vontade em relação ao funcionamento das sociedades e de como estas investem seus impostos. O Brasil tem sim muito o que melhorar. Deveríamos taxar as grandes e médias fortunas para garantir que nenhum brasileiro morra de fome e uma educação pública, gratuita e de qualidade. Deveríamos lutar por uma Renda Cidadã, como propõe o senador Eduardo Suplicy, enfim, deveríamos garantir cada vez mais conquistas sociais com o produto de nossa riqueza, e não apenas riquezas para uns poucos.

    Att,

    RB

    • Daniel

      ai se vê o seu desconhecimento da carga tributária brasileira, a diferença dos Estados Unidos para o Brasil é que lá o imposto apenas incide no preço final pago no caixa, 7%, enquanto aqui no Brasil a carga tributária incide em toda cadeia produtiva e inclusive em cascata, imposto sobre imposto, razão pela qual qualquer conatdor sabe que não faz o menor sentido pegar o valor do ICMS + PIS + COFINS… para apontar a carga tributária Brasileira, pois isso é um valor falso, razão pela qual é tão difícil sair a reforma tributária, pois senão seria simplesmente substituir os supostos 20% por um impostos unico de 20%, fácil né?

      é só ver as tabelas do IBPT pra ver a carga tributária mais real possível

      aqui um exemplo
      https://www.ibpt.org.br/noticia/1899/Carga-tributaria-pressiona-setores-mais-produtivos
      “O percentual embutido nos alimentos industrializados, por exemplo, varia de 16% a 40%, segundo dados do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT). A quantidade de tributos sobre a conta de luz chega a 48%, e os itens de vestuário têm incidência entre 31% a 58%.”

      aqui uma tabelinha
      http://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=1&ved=0CB8QFjAA&url=http%3A%2F%2Fwww.feiraodoimposto.com.br%2Fdownload%2Fdownload.php%3Farquivo%3D..%2F%2Fuploads%2Fdownloads%2Fcartilha-ibpt.pdf&ei=zDoTVK7-K6jTiwLHloGABg&usg=AFQjCNGT4uiUHHwg8rZpMwDhiFA8wZVE_A&sig2=U-X0TCyFZMRFFtBYTkU18w&bvm=bv.75097201,d.cGE&cad=rja

      e antes que por falta de conhecimento matemático você me diga 16 a 40% por exemplo não é os 60% que eu falei, lembro você que o IBPT calcula a carga tributária no total do valor vendido e não a % sobre o valor de custo do produto

      exemplo: se o Açúcar custa R$10,00 e o IBPT diz que a carga tributária dele é 33%, isso indica que dos 10 reais, R$3,30 foram impostos e R$6,70 é o custo real do produto, isso é o equivalte a como se o estado colocasse um imposto de quase 50% sobre o preço do açúcar, enquanto no EUA se paga 7% apenas no preço final do produto

      percebe a diferença?

    • Daniel

      quanto ao resto, basta dizer que o Brasil é o países entre comparado aos países da OCDE, o que tem o pior retorno dos impostos

      adivinha qual país está em primeiro? Sim… Estados Unidos

      http://economia.terra.com.br/brasil-tem-o-pior-retorno-de-imposto-a-populacao-diz-estudo,77d4d61672825410VgnVCM10000098cceb0aRCRD.html

  45. Daniel

    correção da frase inicial do post anterior:

    quanto ao resto, basta dizer que o Brasil é o pior se comparado aos países da OCDE em retorno dos impostos

  46. Adauto Gonçalves dos Santos

    Caro Rogério Beyer, você tem muito estômago para tentar dialogar com tantos vira-latas defensores do modo de vida dos americanos do norte. Gostei muito de ter acesso a essas informações sobre a situação de pobreza nos Estados Unidos da América do Norte. Nem os americanos estariam de acordo com esses vira-latas defensores do liberalismo. Se eles lessem o livro de Michael Moore, que tem como título,” EUA: UMA NAÇÃO DE IDIOTAS”, saberiam que as coisas lá não funcionam tão bem quanto imaginam. E se lessem as obras de Noam Chomsky saberiam que os EUA, desde a segunda guerra mundial vem sendo governado sucessivamente por bandidos. A pobreza sempre atingiu grande número de americanos nos EUA, o que é bastante eficiente lá é a propaganda, esta sim, consegue enganar muita gente. Na propaganda tudo funcional, tudo é muito bonito, mas na vida real é como descreve Michael Moore.
    O governo americano deveria se inspirar do ex-presidente Lula e criar lá um Programa de Bolsa Família para amenizar o sofrimento de quase 50 milhões de pessoas que estão abaixo da linha de pobreza. Somente Nova Iorque tem 21% de sua população vivendo abaixo da linha de pobreza, segundo reportagem AFP – Agence France-Presse, com o título “Pobreza persiste nos EUA 50 anos após guerra declarada por Johnson” EUA tem essa mania de declarar guerra. Declarou guerra à fome e perdeu. Declarou guerra as drogas e perdeu. Declarou guerra ao Vietnam e também perdeu. É um perdedor. E todos esses vira-latas que babam quando falam bem dos EUA, esse país que o americano Moore chamou de uma Nação de Idiotas, não passam de desinformados e de certa forma retardados.

    • Daniel

      volto a afirmar, a linha de pobreza nos Estados Unidos é US$ 22.314 anuais o que dá em torno de R$1069/mês por pessoa, esse valor no Brasil

      a CLASSE MÉDIA ALTA tem uma renda média por pessoa entre R$ 641 e R$ 1.019, traduzindo, o que nos Estados Unidos é chamado de pobre a extremamente pobre, aqui nós chamamos de CLASSE MÉDIA, e que nós chamamos de pobre aqui, nos Estados unidos é chamado de miserável!

      • rarara

        Daniel, ao que parece, dezenas aqui já apontaram pra esse fato óbvio, mas o autor segue com a cabeça debaixo da areia. É uma causa perdida, a cada louco sua loucura.

      • Sim, sim, caro anônimo. Eu é que estou com a cabeça debaixo da areia. rárárá Enquanto estadunidenses não tem um sistema único de saúde e se endividam para receberem tratamento médico ou estudarem; enquanto estadunidenses voltam a trabalhar aos 70 ou até 80 anos por não terem condições de sobrevivência; enquanto estadunidenses estão indo trabalhar cada vez mais longe de suas casas, abandonando suas famílias por meses e meses, vocês vem aqui no blog e falam que eu é quem estou com a cabeça debaixo da areia. #TáSerto.

      • rarara

        Caro autor, lhe falta experiência de vida e contato com a cultura norte-americana, suas conclusões são generalizações banais e, imagino eu, inteiramente procedentes de artigos espalhados na internet.
        Muitos já disseram e chega de repetir : a linha de pobreza norte-americana é 30x mais rica que a linha da classe média brasileira atual.

        Não é a toa. Parafraseando Zizek, a quem acredito que voce admire, “A lição deprimente das últimas décadas é que o capitalismo foi a verdadeira força revolucionária, mesmo que servindo a si mesmo”

      • Ora caro anônimo,

        Não creio que me falte experiência de vida e contato com a cultura estadunidense (e nem que isso seja necessário) para fazer as simples comparações que fiz. Minha ideia, aliás, foi muito bem sucedida como você pode ver pelo tanto de comentários e acessos que o post gerou. Se incomodou tanta gente ao ponto de elas deixarem seu xingamento por aqui, é porque alguma coisa ela tem de verdade.

        O argumento que você tem repetido “ad nauseam” e que outros já haviam trazido antes de você, parece fazer pouco caso dos 50 milhões de de estadunidenses que vivem ABAIXO da linha da MISÉRIA, e das dificuldades vividas por outras centenas de milhões de cidadãos dos Estados Unidos que vivem ou viveram em situação próxima à pobreza, dependendo de food stamps para sobreviver, de abrigos do governo, que passaram por despejos (especialmente após 2008) e estão vivendo em casas de parentes. Pelos milhões que passam por períodos prolongados de desemprego tendo, muitas vezes, que se deslocar de uma cidade a outra, vivendo meses e meses longe da família.

        Como já disse em algum momento, minha principal intenção ao repercutir esta notícia da AP com os breves comentários que fiz, era justamente a de chamar atenção para o fato de que o modelo econômico-social defendido à unhas e dentes pelos estadunidenses e que se pretende copiar por aqui, é responsável direto por aumento de desigualdade social, níveis altos de desemprego, pobreza e miséria. Parece que não estou só nesta afirmação, até mesmo liberais que participaram ativamente do governo Reagan, como Paul Craig Roberts, afirmaram que “o Capitalismo Global está destruindo a raça humana e que, se excluirmos as armas nucleares, o capitalismo é a maior ameaça que a humanidade já enfrentou, por levar a ganância a um patamar de força determinante da história” (https://umhistoriador.wordpress.com/2014/03/22/o-capitalismo-global-esta-destruindo-a-raca-humana/).

        Por fim, gostaria apenas de dizer que retirar do contexto uma frase do Zizek para reproduzi-la aqui como se isso implicasse que o autor parafraseado defendesse que o capitalismo é a melhor forma de organização social para vivermos é, simplesmente, risível. Demonstra apenas uma profunda ignorância dos postulados defendidos por este autor.

        Att.

        RB

      • rarara

        Risível é a simplificação proferida, “Estados Unidos em crise : prova que o liberalismo não funciona”, mas chega disso, felicidades pra voce na sua casa de sonhos e ilusoes

      • Olha, caro Anônimo, quando os próprios ratos liberais abandonam o barco, é sinal que o navio está afundando. Quando vi o ex membro da administração Reagan falando que o Capitalismo Global está destruindo a humanidade, defendendo ações intervencionistas do Governo para proteger o emprego, as casas, a saúde, a educação e até mesmo a alimentação dos estadunidenses, pensei que o mundo estava realmente no fim. E olha que este é só um exemplo, viu.

        “Minha casa de sonhos e ilusões” existe, caro anônimo, e pode ser observada pelos exemplos dos países do norte da Europa. Lá, esse liberalismo nefasto que grassa nos Estados Unidos não tem vez. Finlândia, Suécia, Noruega são exemplos de educação e saúde pública. Até mesmo Suíça e Holanda tem modelos de organização social invejáveis. Enfim…. deixe-me mesmo com minha casa de sonhos e de ilusão. Continue invejando e pretendendo a miséria, não só para si, mas para todos os brasileiros.

      • rarara

        O que dizer de alguém que se defende acusando o outro de inveja? abs meu amigo, e boa sorte. você vai precisar nessa vida.

    • Jonathan Ghist

      Kkkkkk…….Petista de bosta……. Kkkkkk.
      Vai estudar seu retardado.

  47. Pedro E.

    O Pedro que comenta no dia 11/09/2014 às 07:05 é outro cara, mas parece ser o mesmo que comentava anteriorente, que sou eu. Jamais entraria no nível de argumentação desse sujeito e quero deixar clara essa diferença. Outra questão é que essa aspiração à igualdade como valor absoluto, como pareces pregar ao criticar a possibilidade de que alguns queiram uma educação ou saúde diferentes, e até melhores, me faz lembrar da revolução cultural, todos com o livro vermelho, uma totalidade absoluta que necessariamente aniquila qualquer diferença. É a cultura do consumismo que deve ser criticada, pois além de insustentável é signo de pobreza de espírito. Só para concluir, não confundam os eleitores de Aécio que vociferam contra o bolsa família e demais programas necessários à garantia da dignidade com o liberalismo que, assim como o socialismo, tem várias vertentes.

  48. sandra

    Pelo menos a esmola em dólar e se bobear vem para o Brasil passear m

  49. Conheço razoavelmente muitos países e posso afirmar o seguinte: Os EUA. devem à criação do Hamburguer a sobrevivência do capitalismo. Pode parecer absurdo, mas explico: Se o americano tivesse uma alimentação normal, como temos aqui ou na Europa, a qualidade de vida deles cairia sensivelmente, visto que não poderiam arcar com uma despesa maior na alimentação. Um Hamburguer da maneira como é feito lá é barato e assim sobrevivem pensando estarerm alimentados. Lá, 80% das pessoas se alimentam fora de casa…Imaginem o baque que teriam se passassem a pagar 20 dólares uma refeição ao invés de 1 dólar. Pensem nisto.

  50. Brian Pires

    “Não estamos dizendo que nos EUA não existe pobreza, mas claramente trata-se de uma pobreza muito diferente dos países de terceiro mundo”, disse ao iG Rachel Sheffield, uma das autoras da pesquisa da Fundação Heritage. “Essas pessoas passam necessidades, têm dificuldades para chegar até o fim do mês com algum dinheiro, mas não são miseráveis”, afirmou.

    Para entender a diferença entre um pobre americano e um pobre em um país em desenvolvimento, é preciso observar como cada um é classificado. Nos países em desenvolvimento, o Banco Mundial caracteriza como pobres os que ganham menos de US$ 2 por dia, e extremamente pobres aqueles que ganham menos de US$ 1,25. No Brasil, o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) classifica como pobre quem vive com uma renda mensal de até R$ 134.
    Nos EUA, consideram-se extremamente pobres aqueles cuja renda anual não chega a US$ 10 mil (ou US$ 833 por mês – R$ 17.589 e R$ 1.465, respectivamente). Uma pessoa é considerada pobre se sua renda anual não chegar a US$ 11.334 (ou US$ 944 por mês – R$ 19.965 e R$ 1.663, respectivamente), enquanto uma família de quatro pessoas é considerada pobre se a renda familiar anual não chegar a US$ 22.314 (ou US$ 1.860 mensais – R$ 39.306 e R$ 3.276, respectivamente).

    No Brasil, uma família com essa renda é considerada classe B, ou seja, a classe média tradicional. Se fossem usadas as medidas americanas no Brasil, metade da população seria considerada pobre, incluindo dois terços da classe média do País. É importante entender, porém, que os custos de vida nos EUA são em média mais altos que no Brasil e, por isso, mesmo ganhando mais, o poder de consumo dos pobres americanos não é necessariamente maior que o de parte dos pobres brasileiros.”

    http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/pobreza-americana-e-mais-rica-do-que-a-brasileira/n1597268071225.html

  51. king mob

    A dívida pública mais privada dos EUA já soma o atordoante número de 60 TRILHÕES DE DÓLARES.

    Sim, isso mesmo, 60 trilhões de dólares.

    Antes de Reagan, era de menos de 4 trilhões.

    É óbvio que num país onde você se endivida até para tratar uma dor de cabeça, a pobreza aumentaria galopantemente

    http://rt.com/usa/166352-us-total-debt-sixty-trillion/

  52. king mob

    Lembrando que na Inglaterra pós Thatcher a situação não está melhor

    A dívida é de 500% do Pib

    http://www.theguardian.com/business/2012/jan/19/uk-highest-debt-to-gdp-ratio

  53. Hahahaha, quanta mentira num texto só!

  54. marcos

    Texto totalmente interpretado de forma tendenciosa em prol de suas ideologias. No Brasil é isso que se entende por liberdade de expressăo: interprete e manipule como bem entender da forma mais sensacionalista possível, lastimável

    • Com certeza, Marcos. Aliás, o texto original também foi feito para se enquadrar às minhas “ideologias”. (a propósito, entendo que você deveria estudar o conceito de ideologia para não empregá-lo da maneira equivocada que fez aqui)..

      Att.

      RB

  55. vimeirim

    Republicou isso em Blog de Vi Meirime comentado:
    PERFEITO. HORA DA FAXINA.
    VAMOS COMEÇAR A LIMPAR O BRASIL NOS LIVRANDO DESTA GENTE SÓRDIDA E EGOÍSTA.
    VÃO E NÃO VOLTEM JAMAIS. NÃO FARÃO FALTA.

    • marcos

      É com essa raiva que se iniciam guerras. Debate de idéias é benéfico se feito de forma civilizada e em que a democracia impere como nas eleiçoes.

  56. Rafael Reis

    Você se deu o trabalho de procurar quanto é a linha da pobreza lá e comparar com a daqui? Claro que não mas eu fiz isso pra você. O a fonte do texto citado (link abaixo) fala qual a renda que representa a linha da pobreza nos EUA: “More than 19 million whites fall below the poverty line of $23,021 for a family of four”
    Esse valor é em dólar, por ano para uma família de 4 pessoas. O que da em real R$1199 por pessoa! Essa pessoa beirando a pobreza nos EUA aqui é considerada quase classe alta (Classe alta tem renda per capta de R$1503 segundo Secretaria de Assuntos Estratégicos do Governo, fonte abaixo). Isso sem levar em conta que o custo de vida nos EUA é muito menor uma vez que eles tem uma carga tributária mais baixa.
    Outra coisa, apenas 15,6% está abaixo desta linha, segundo o post (49,7 milhões), o restante esta beirando a linha, ou seja tem renda per capta maior que R$1199!
    Isso nos leva a concluir que nos que o pobre dos EUA é o “rico” do Brasil. Mais uma vez a maquiagem nos números do governo mantem a esquerda iludida no seu mundo de fantasia.
    Da próxima vez amigo, pesquise um pouco antes de postar coisa séria.

    http://politicalblindspot.com/shocking-study-4-out-of-5-in-usa-face-near-poverty-and-unemployment/

    http://www.sae.gov.br/site/wp-content/uploads/Perguntas-e-Respostas-sobre-a-Defini%C3%A7%C3%A3o-da-Classe-M%C3%A9dia.pdf

  57. HPassoni

    uhashuashusauhusahuas vsf

  58. Lucas

    Eu aqui doido pra ir ser pobre lá.

  59. Bruno

    Materiazinha sensacionalista de quem nunca pisou na terra do Tio-Sam.
    Kkkkk 80% pobre?!?! Kkkkkkk

    • Mas a “materiazinha” foi escrita pelos próprios estadunidenses, Bruno. hahahahahaha Prestatenção, jovem.

      • Luis kaiser

        O fato de ter sido escrita por americano não diz nada, pois também existe americano esquerdalóide que fala merda de seu país, da mesma maneira que tem brasileiro dizendo que seu o Brasil é o paraíso na terra!

        Esquerdista louco tem em qualquer nação!!!

      • Adauto Gonçalves dos Santos

        Caro Luis, você coloca a questão em termos extremamente autoritários e simplista. Ora, se para você, as informações e pesquisas só tem validade se apresentada por gente direitista, e que se for de esquerda não serve para nada, você simplesmente encerra a questão. Imagino quão miserável seria o Brasil se fosse dirigido por gente tão cega, idiota e autoritária como você. A direita (incluindo aí aqueles que xingam os nordestinos de burros, bovinos, ignorantes, que defendem a castração química dos nordestinos, que pedem golpe militar, que ofendem as mulheres, que não respeitam a lei seca, que defende a separação do sudeste do resto do país) é porta voz da verdade, enquanto os esquerdistas e todos os eleitores de Dilma são ignorantes e desqualificados. É isso que você defende, Luis. Você parece pertencer a uma nova espécie de filhotes de Hitler. Você está certo e aqueles que discordam de você estão errados e nem mereceriam viver. Que você está esperando para se juntar a Lobão e seus amigos para pedir intervenção militar, para matar e prender todos os esquerdistas do Brasil?

      • Ah tá. Entendi, o que importa mesmo é só o que vocês acham. #TáSerto.

        Att.

        RB

  60. Totalmente irrelevante este debate segmentado em regimes partidários. Demonstrando falta de profundidade em se questionar a posição desta chaga mundial que é as nações soberanas, mais ainda derivado da parcialidade da falta de conhecimento histórico e geográfico, das condição das nações que estão na faixa tropical, e faixa nórdicas, discussão refletem uma certa imbecilidade e superficialidade dessas opinião.
    a situação na faixa tropical é totalmente diferenciada. notem essa dissertação sobre a tropical áfrica que se assemelha a do Brasil tão explorado em ouro e minério e agricultura.

    Certa vez, o Richard Quest da CNN foi a Costa do Marfim, um dos maiores produtores de cacau do mundo, para conhecer a produção no campo. Entrevistou um idoso que tinha trabalhado a vida inteira na lavoura de cacau, mas que nunca tinha comido chocolate. Infelizmente, as explorações das riquezas do planeta seguem essa norma; enriquece poucos em detrimento de quem produz ou possui as riquezas naturais como os produtores de ouro, diamante e outros minerais preciosos da África.

  61. A grande maioria dos Brasileiros tem a cabeca colonizada e ficam chocados com reportagens desta natureza. Na verdade, esta nao e’ a primeira reportagem que afirma ter mais de 120, 150 milhoes de estadunidenses pobres. Mas aqui na terra das palmeiras o povo nao quer acreditar que o heroi deles esta’ em ruinas. Em Detroit estao oferecendo casas, ou ruinas delas por 1 dollar. Quem tem duvidas faca pesquisas sobre Detroit que chegou a ter o maior PIB per capita do mundo, e hoje encontra-se todo em favelas.

  62. Interessante tambem e’ ver os argumentos daqueles que se desesperam ao ler essas estatisticas. Correm a comparar o dollar com o real. Entao ta’! o pobre de la’ vem fazer compras aqui no Brasil e e’ classe alta!!!! quanta falta de discernimento…. … …. nao sabem o que significa ( poder de compra). Eu morei 5 anos e meio, na Inglaterra, vi muita gente passando fome, pobreza, e pessoas semi-alfabetizadas tambem, morei no Canada’ e em outros paises, o que completa mais de 20 anos de vida internacional. San Francisco, San Diego, tem tantos mendigos e moradores de rua, que fica dificil andar nas ruas sem ser abordado. Morei tambem em varios estados do Brasil e em diferentes cidades, do nosso Pais, conheco o Brasil muito melhor que a grande maioria dos Brasileiros, e posso afirmar com certeza: O Brasil tem coisas muito melhores que o Canada’; embora essa direita aloprada encha a boca pra falar de um Canada’ que nao conhecem.

  63. José

    Um estudo provou que esse artigo é um monte de merda escrita por um pilantra mentiroso que não sabe nem o que é o neoliberalismo.

    Really?
    Vocês que acham que o PT descobriu o fogo, pesquisem sobre Milton Friedman, o maior defensor do Prouni.O PAI DO NEOLIBERALISMO.

    Cadê o link pro estudo?
    Ah, sim. “o governo dos EUA esconde”.
    E vocês acreditam que alguém que tem renda maior que 291 reais, SEGUNDO O PROPRIO GOVERNO, saiu da linha da pobreza.
    http://papodehomem.com.br/voce-nao-e-classe-media/

    Aquela velha fraze que esquerdopatas dizem, mas falar é fácil:
    Vão estudar.

  64. Vicente

    A esquerda tem um critério para linha de pobreza nos EUA e outro para o Brasil…

  65. Tiago Kenupp

    O nível de esquizofrenia chega a ser cômico.
    Miserável nos EUA = 900 dólares por mês
    Classe media no Brasil = 300 reais.
    Entretanto a renda per capita dos EUA é de 53.000 dólares anuais, o que da uma media de 4416,00 dólares mensais. O americano que se encontra embaixo dessa per capita é considerado pobre.
    Logo se um americano ganha 3000 dolares ou 8000 reais ele é considerado relativamente pobre.
    No Brasil, segundo estatistificas do PT, uma pessoa que recebe 71 reais de bolsa família deixa de ser miserável.
    Conselho que dou aos americanos, deixem de ganhar 8000 reais e deem um UP na sua vida, venham ser classe media no Brasil ganhando 300 reais ahahahahha

    • Joao

      Cara, ignora esse blog, esse autor é tem sérios problemas. A TABELA DO BRASIL PRA CLASSE ALTA É DE 3000 REAIS POR MÊS, ISSO É QUASE O SALÁRIO MINIMO NOS EUA (poder de compra). Esse cara faz pós doutorado de ignorância

      • Luis kaiser

        Pos doutorado??? Ele foi Lobotomizado em Cuba, os” camaradas” fizeram uma lavagem cerebral nesse coitado!!

    • Mimimi, mimimi, mimimi. A resposta para essa argumentação já foi tratada acima… Enfim, não dá pra ficar repetindo a mesma resposta cada novo comentário em que um frustrado com o fracasso das políticas neoliberais repete por aqui sua choradeira sem fim.

      Em tempo: mencionar a renda per capita nos EUA como índice para fazer a comparação sugerida é de uma ignorância sem precedentes.

      • Fábio Gonzalez

        O IDH dos Estados Unidos é o 5º do mundo. Queria eu ser pobre assim.

  66. Joao

    CARA, que blog lixo, esse Rogério nunca deve ter saído do Brasil e quer usar argumentos totalmente corrompidos pelo aparelhamento do governo, que cara CEGO!

  67. Pingback: Estados Unidos tem mais negro na prisão hoje do que escravos no século XIX | Hum Historiador

  68. Lior

    Essa reportagem êh pura propaganda. O american dream is well and alive and triving. 80% da população na pobreza? Valeu a tentativa. Eu moro aqui e te garanto êh o contrário 80% da população vive bem. Se 80% da população vivesse na pobreza a economia estaria uma merda né? Convido aos que querem tentar a vida nos EUA a virem, pois não ficarão desapontados.

  69. Segue a lista das 15 cidades mais miseráveis dos Estados Unidos da América, pela ordem de miserabilidade:

    1) Miami (Florida)
    2) Detroit (Michigan)
    3) Flint (Michigan)
    4) West Palm Beach (Florida)
    5) Sacramento (California)
    6) Chicago (Illinois)
    7) Fort Lauderdale (Florida)
    8) Toledo (Ohio)
    9) não informado
    10) Warren (Michigan)
    11) Stockton (California)
    12) Cleveland (Ohio)
    13) Lansing (Michigan)
    14) Akron (Ohio)
    15) Merced (California)

    Segue link para a lista conforme disponibilizado pela Forbes: http://www.forbes.com/pictures/mli45hdlg/1-miami-fla/

  70. Adauto Gonçalves dos Santos

    Quem quiser defender a maior organização criminosa da face da terra, fique à vontade! EUA significa espionagem internacional, terrorismo, matança, tortura institucionalizada, apoio a ditaduras subservientes aos interesses do governo americano, etc. Se alguém consegue aplaudir e defender uma aberração como os EUA, é porque não pesquisou o suficiente para saber quão nefasta tem sido a política externa dos Estados Unidos para milhões de pessoas.

  71. Não devia, mas vou fazer uma indicação aos estadunidensófilos que pululam por aqui.

    Recomendo o documentário AS CRIANÇAS POBRES DOS ESTADOS UNIDOS, produzido pelo canal estadunidense Public Broadcasting Service (PBS). Como informouu Eduardo Guimarães, trata-se de rede de televisão pública de caráter educativo-cultural que faz contraponto às grandes redes comerciais. O filme em questão documenta o seguinte:

    1. Crianças catam latinhas para vender e sobreviver.
    2. Crianças estadunidenses vivem em um único quarto ou em quartos de moteis, mantendo alimentos dentro de uma pia com gelo por falta de geladeira.
    3. Crianças moram em bairro de São Francisco em que o tráfico de drogas ocorre ao ar livre.
    4. Filas imensas de pessoas aguardando para usar vale-refeição fornecido pelo governo Obama nos bancos de alimentos.
    5. Ratos fazem companhia a família que vive em abrigo para sem-teto.

    Em nenhum momento, alguém negou a pobreza do Brasil, no entanto, o que se pretendia com o post era apontar para as contradições exacerbadas com a crise que atingiu em cheio os Estados Unidos. Um dos problemas, entendo eu, é que uma parte considerável dos estadunidenses repudiam o uso do dinheiro público em projetos que visam a eliminação da pobreza, que é vista por estes indivíduos muito mais como um defeito do pobre – quase como uma deformação moral – do que como um prolema social.

    Sem mais delongas, deixo abaixo link para o documentário AS CRIANÇAS POBRES DOS ESTADOS UNIDOS: http://www.dailymotion.com/video/x21emth_as-criancas-pobres-dos-eua_shortfilms

  72. Hamlet Simon

    Sr. Autor, boa noite. Entendo toda esta discussão, posicionamentos, apresentação de dados, links, textos e etc, tanto de um lado quanto de outro. Tenho 54 anos, ou seja, quando eu tinha 17 anos, o senhor estava nascendo, nos idos anos de 1977, justamente o período de chumbo no Brasil. Por longa data trabalhei e ainda trabalho com diversos mercados, incluindo o norte-americano, tendo grandes amigos em todos eles, os quais são pessoas educacional e culturalmente capazes para analisar muito bem os seus respectivos mercados. Se tirarmos o viés politico, que claramente esta incluso nestes textos, vamos ver que nem os “estadunidenses” (expressão usada pelos latinos de língua espanhola) e muito menos os “macaquitos” (expressão usada pelos argentinos para nos definir) estão tão bem como seus respectivos e maravilhosos governos insistem alardear.
    Se realmente 4 em cada 5 norte-americano estivessem como mencionado, pode ter a certeza (e como historiador tens melhores condições de corroborar) de que a convulsão social já teria acontecido, principalmente a partir do meio oeste. Realmente o mercado dos “estadunidenses” passou por um período muito ruim, péssimo, mas há um reversão importante em toda a industria (termo que é usado para mencionar todos os seguimentos da economia, como serviços, transporte e etc..).
    Se a história norte-americana não é uma das mais interessantes, a nossa nação também sofreu e foi roubada pelas mãos dos portugueses, assim como os países andinos pelas mãos dos espanhois (e não vi qualquer tipo de menção sobre eles, que nos realmente interessa estudar).
    Resumindo e concluindo: É necessário sempre um filtro severíssimo em tudo que é publicado, ouvido, falando, interpretado, tanto pela direita, pela esquerda, centro, liberais, neo-liberais, socialistas, comunistas, chavistas, castristas, lulistas, aecistas e todos os demais “istas” que possam existir e se pronunciar, os quais se dizem os donos da verdade.
    Tenho muito medo deles, pois geralmente e na realidade estes sim, 4 em cada 5, apesar da imensa carga de informação, são incapazes de analisar de forma clara e imparcial o que se apresenta, sem entender a cultura de cada povo.
    Uma boa noite e abraço a todos.
    Hamlet Simon

    Ps: Mesmo havendo respostas ou postagens sobre os meus simplórios comentários, não irei mais me pronunciar, somente para não alimentar quais polemica que possa ainda existir.

  73. Caio

    A única pobreza que consigo ver aqui é a sua pobreza de espírito! Esse ódio ao EUA já virou recalque de comunista que nunca conseguiu emplacar nada além de miséria, falência generalizada e POBREZA! Eu adoraria saber se o Sr. já saiu alguma vez do Brasil, e se já colocou os pés nos EUA pra saber do que está falando. Pobre tem no mundo inteiro, a diferença dos nossos pobres para os pobres de países de 1o mundo é que eles podem não ter um carro de último ano nem morar no m2 mais caro, mas tem casa, estudo e saúde, bem diferente de nós aqui no Brasil, onde a miséria, pelo visto, voltou a crescer.

    • Exemplo da “boa saúde” nos EUA: um trabalhador estadunidense corta, acidentalmente, dois dedos. Não tem dinheiro para fazer a cirurgia de reimplante e é obrigado a fazer a escolha de qual dedo deve reimplantar, já que tem apenas recursos para fazer a cirurgia em um dos dedos amputados. O outro, tem que jogar no lixo.

      Outro exemplo da “boa saúde” dos EUA: um conveniado é condenado a morrer de câncer rapidamente e em sofrimento, pois sua seguradora não lhe permite fazer os novos tratamentos prescritos pelos médicos sob a alegação de que se tratam de “tratamentos experimentais”.

      Mais um exemplo da “boa saúde” dos estadunidenses: uma idosa passa mal e é levada ao hospital em que é internada. Ao descobrir que o seguro da paciente não cobrirá as despesas da internação e tratamento, o hospital decide retirá-la do leito (no estado em que ela estava e apenas de camisola), a coloca em um taxi, e a despeja no meio da rua, desorientada.

      Exemplo da boa educação fornecida pelos estadunidenses: boa parcela da população não pode ingressar nas melhores universidades do país, por não terem recursos suficientes para pagá-las. No caso de serem pobres, só teriam oportunidades se fossem bons desportistas ou conseguissem bolsas de estudos em função de bom rendimento escolar durante todas suas vidas. Isso sim é exemplo de igualdade de oportunidades.

      Exemplo de casa própria que os pobres estadunidenses podem comprar: após se endividarem brutalmente por 30 ou 40 anos de suas vidas, em qualquer momento de aperto, isto é, desemprego ou doença prolongada que os impeça de pagar a prestação, são despejados e passam a viver sem suas casas, após terem pagados por anos e anos suas prestações.

      Depois eu é que não conheço os EUA. hahahaha Vocês são, realmente, hilários.

      Att.

      RB.

  74. Segundo notícia do caderno de economia da CNN, somente neste ano, milhões de estadunidenses serão despejados de suas casas por conta do aumento do aluguel ter sido, em média, maior do que o aumento dos salários. Fonte: http://money.cnn.com/2014/10/29/real_estate/evicted/

  75. Já nessa outra reportagem do THE NATION (05/2012), vemos que, desde 2007, a crise imobiliária havia deslocado pelo menos 10 milhões de pessoas de 4 milhões de lares de todos os Estados Unidos. Pessoas que foram desalojadas, que perderam seus lares. Que não tinham para onde ir, como foi o caso da família de Christina Frazer, abaixo.

    “Eram três da manhã quando, pelo menos, uma dúzia de carros da polícia estacionou em frente à casa verde no subúrbio afro-americano de Atlanta onde Christine Frazer e sua família morava. O número exato de xerifes e policiais que chegaram é disputada; a estação de rádio local informou vinte e cinco, enquanto Frazer lembra de ter visto entre quarenta e cinqüenta.

    Um serralheiro perfurou as fechaduras da casa e dezenas de policiais invadiram com lanternas e armas.

    “Quem está em casa?”, Gritavam. Além de Frazer, uma viúva, havia três outros residentes: sua mãe, de 85 anos de idade, sua filha adulta e seu neto de 4 anos. As coisas começaram a acontecer rápido. O controle de animais cercou os animais de estimação. Oficiais disseram para as mulheres se vestirem. Ela poderia tomar um banho? Perguntou Frazer e a resposta do oficial foi: imagine que há um incêndio em sua casa.

    “Eles vieram para minha casa como se eu fosse um traficante de drogas”, disse ela a jornalistas depois. Durante as próximos sete horas, os policiais arrastaram para fora todo o conteúdo de sua casa e isolaram a rua para evitar que amigos tentassem ajudá-la a recuperar suas coisas.

    “Eu não tenho nenhuma ideia de onde estão algumas das minhas jóias. São coisas que eu comprei quando eu tinha 30 anos”, disse Frazer. “Eu tenho sessenta e três anos agora. Eles simplesmente jogaram tudo em todos os lugares, atabalhoadamente no gramado da frente no escuro”.

    Fonte: http://www.thenation.com/article/175553/great-eviction#

  76. Carlos Alvim

    Afinal, senhores, A Folha é contra, a favor, ou muito pelo contrário ?

  77. José Maia Filho

    Rapaz! Tem uma cambada de Miami padecendo de deficiência cognitiva…É melhor consultar Paul Krugman ou Joseph Stiglitz sobre uma bibliografia básica de macroeconomia. Milton Friedman e von Mises aborrecem e …emburrecem.

  78. Esse autor ou e muito burro ou muito canalha! vivo na florida, um dos estados mais pobres dos EUA, e nao tem uma cidade do brasil com a mesma qualidade de vida!

  79. Fábio Gonzalez

    Se a notícia é verdadeira, então porque o IDH dos Estados Unidos é o 5º do mundo ?

  80. TAMBÉM!!! OS ESTADOS UNIDOS ESTÃO SENDO GOVERNADOS POR UM MAÇOM FILHO DA PUTA, ADORADOR DO DIABO. DEUS NÃO ABENÇOA MAIS OS ESTADOS UNIDOS. O BRASIL AI QUASE ELEGENDO UM, CUIDADO PESSOAL, POIS ESTA CORJA PRETENDE DOMINAR O MUNDO EM BENEFICIO PRÓPRIO.

  81. Guisallage

    Ah! Gostei do “purse family”” do seu texto! Depois dessa demonstração de conhecimento da lingua inglesa deu para entender a razão pela qual você interpreta o texto em inglês da forma que fez…

  82. Vitor

    A época dourada da economia Americana do meu ponto de vista terminou em final de 2001; até ai, quem trabalhou afincadamente, economizou, investiu bem e teve sorte e conseguiu juntar uma fortuna razoavel, safou-se. A partir desse ano, a classe media” deixou” de ganhar dinheiro ou não conseguia ganhar tanto como antes, devido ao aumento de impostos, restrições comercias, encerramento e deslocalização de industrial; entretanto chegou a bolha imobiliaria e tudo ficou muito pior para o cidadão comum ! Atualmente, as guerras têm custos elevados, e quando se gastam recursos em guerras, não sobra dinheiro para quase mais nada. O defice comercial Americano é enorme, não sei se o cidadão trabalhador conseguirá pagar essas aventuras via impostos nem sei se o governo continuará a seguir com essas politicas porque enquanto as guerras se expandem, a vida interna se detiora . Foi exatamente assim o inicio do fim do imério romano . ps: os meus pais emigraram jovens e viveram e trabalharam nos EUA durante 40 anos, trabalharam muito, tiveram cabeça, economizaram . Hoje vivemos em Portugal bastante confortavelmente, temos imoveis, eles não precisam trabalhar e assim podem continuar por muitos anos. Tudo conseguido na America. Temos muito a agradecer a esse pais por nos ter proporcionado o nivel de vida que hoje temos e para quem quer tentar a sorte, muito dificilmente se consegue fazer a mesma coisa atualmente . A politica externa Americana esta a precipitar o pais para o fim dos tempos. Isso e o aparecimento de outros paises fortes economicamente que vieram equilibrar a balança comercial e contrapor-se aos EUA

  83. Samuel

    Eu queria muito ser como os pobres nos EUA… Queria muito mesmo… Texto tendencioso e mal escrito… Vejam no link abaixo a realidade e tomem muito cuidado com esses que defendem a miséria em Cuba e falam que os americanos são pobres… Lamentável!

    http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/pobreza-americana-e-mais-rica-do-que-a-brasileira/n1597268071225.html

  84. Samuel

    Vejam esse vídeo no qual um brasileiro que mora nos EUA compara o preço da cesta básica brasileira nos EUA com os preços de SP (mesmos produtos e quantidades). Isso quer dizer que a alimentação nos EUA custa muito menos que no Brasil.
    O último prego no caixão é referente aos medicamentos. Os impostos sobre remédios nos EUA não existem… É 0%… Entre em uma farmácia online americana e faça comparação com os preços aqui… A diferença é assombrosa… Eu mesmo já comprei polivitamínicos em farmácias nos EUA e pedi para entregar no Brasil. Saiu cerca de cinco vezes mais barato.

    Chorem comunistas!!!

  85. Samuel

    Aqui o vídeo…

    • tudo bem então devemos ganhar mas e não fazer a terceirização do trabalho que vai diminuir 25% do salario outra coisa plano de saúde , porque nem só de comida vive o homem , isso sem contar que um carro ai é um terço do preço que compramos aqui , ou seja se um elemento tem 150.000,00 para compra um camaro ai ele é rico , porque ai o mesmo carro cista 50,000,00

  86. Marco

    Bom, levando-se em conta todos os comentários e fazendo juízo de fatos, fica fácil perceber que, mesmo que em patamares totalmente diferentes da pobreza do Brasil, no modelo de produção e reprodução social Capitalista, uma ínfima parte da população abocanha a maior parte da riqueza das nações (explorando demasiadamente inclusive os demais países,em especial os da periferia). Dentre esses 80%, uma boa parte é sim de pobres miseráveis, e levando-se em conta também o conceito de bem estar social que eles tem, acredito que deva existir uma análise bem circunstancial sobre, haja vista que uma imensa parte da população, de todos os extratos sociais, está sofrendo com obesidade,com doenças mentais cada vez mais latentes e com a violência que, contatadamente, vem aumentando naquele país. Esse é o viver bem nos EUA, mesmo sendo de uma classe rica? Aliás, muito menos dos 20% restantes da população dos EUA, porque ainda assim nessa percentagem sobrante existem outros extratos sociais, fica com a grande parte da riqueza socialmente produzida naquele país. Ou seja, fica constatada a falácia desse sistema, pois o capitalismo de justo não tem NADA, mesmo no país mais rico do mundo!

  87. Marco

    João Marley, me desculpa, mas o imperialismo está diretamente associado ao capitalismo. E eu já to bem ligado, acho que quem precisa se ligar nas leis tendenciais gerais do modo de produção capitalista é você. Ou será que no capitalismo o valor de uso se sobrepõe ao valor de troca? A distribuição igualitária da renda se sobrepõe a lei da competitividade e do lucro? Me desculpa, mas não dá pra concordar com um sistema que por si só gera desigualdades sociais, Um sistema que impõe a exploração do homem sobre o homem através de trabalhos cada vez mais alienantes e precários.

  88. Carlos Rocha

    Parabéns pelo site Rogerio Beier. Excelentes artigos e debates. Já favoritei.

  89. Risadas eternas

    HAHAHAHAHAHAHAHAHAA RISADAS ETERNAS DA PESSOA QUE TEVE A CORAGEM DE ESCREVER UM TEXTO DESSE!!! Como pode ser tão BURRO assim???? Primeiro precisa aprender a interpretar o q está escrito em inglês… Pra depois vir escrever um texto!!! Mas pensa pelo lado positivo , fez me rir MUITOOOOOOOOOO, mas muito mesmo hahahahahhahahahahaah

  90. Teresa de Minas

    Releiam o artigo e o debate e sintam o que eu senti: existe uma forte, muito forte determinação em expor o estado brasileiro, e para isso, insistem em não interpretar: SIM, o existencialismo brasileiro afasta grande fatia do povo da miséria total e dribla as estatísticas. (e não sou petista) .SIM, o USA está sufocado pelos custo da cultura da guerra e da invasão asiática na economia. É a história em seu curso, só isso! …

  91. Economia dos EUA não me intereça, não sou paga pau de nenhum pais! Só o brasil me intereça!

    • Sândalo DeSouza

      Amigos, vamos respeitar o português, e economia internacional intereSSa sim, pois todas as cotações de commodities (mercadorias) são feitas no exterior. Procure se informar melhor para não pagar mico.
      Aqui tu pagou um KING KONG!

  92. Sândalo DeSouza

    quem escreveu isso deveria parar de falar baboseira. Eu moro aqui nos EUA há 15 anos, e nem na GRANDE DEPRESSÃO esse número chegou perto da realidade.

  93. Sândalo DeSouza

    Escolha a melhor opção:

    (. )Fugiu da escola e não aprendeu a fazer conta…
    (. )Fumou bagulho estragado.
    (. )Foi CRACK que esse nóia fumou!

  94. Dalton

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk QUE PORRA DE PIADA É ESSA!!!
    QUE BOLHA VCS VIVEM ?!

  95. Linda

    ptqp e a gente, contribuinte, paga salário para este tipo na USP…mas já já chegará a vez de tirar esses fraudadores da educação de lá e do governo. Já já…

  96. Anselmo Rodrigues

    Rogerio Beier,dolhes os parabéns pela sua coragem e paciência de dar troco a essa cambada de ibenciveis,que não estão para se informar e fazer juízo da sua informação mas só trocar aquilo que lhes dizem ou houvem nas radios como seja essa a sua fonte de informação.Daqui de Portugal um grande abraço para o povo irmão do Brasil e viva o progresso.

  97. rui geraldes

    Vivo nos Estados Unidos há 20 anos. Esta coisa da esquerda e da direita politica não me interessa grandemente porque no fundo, todos roubam.
    Mas 80% da população a viver na probreza parece-me um bocado exagerado.
    Sem dúvida que os ultimos anos têm sido complicados e a classe média está a desaparecer com um abismo crescente entre os muito ricos e os muito pobres.
    O facto de os Estados Unidos estarem a ser governado por uma oligarquia independentemente de quem vença as eleições será o principal motivo dos problemas que afectam o país.
    O site que refere é um site de activismo político, e todos os activistas quer sejam de esquerda quer sejam de direita, têm uma tendência para embelezar as coisas conforme lhes dá mais jeito, muitas vezes agregando números e dados completamente diferentes para chegarem a uma conclusão pré-definida.
    Concordo no aspecto que os Estados Unidos de hoje já não são o que eram antes dos anos 80, mas daí ao panorama ser tão negro como o Political Blindspot quer fazer crer, ainda falta um bom bocado.
    Mas estanos a caminhar para isso.
    Um abraço

  98. João de Abreu

    Caro Rogério,
    Várias pessoas lhe tentaram entender a realidade Americana.
    Moro nos EUA fazem 45 anos. Sou Formado em Administração pela Universidade de Cornell consideradas uma das melhores do Mundo.
    Formado em Finanças na Suíça.
    Fui coordenador de curso de Administração da Cornell University no Brasil.
    Palestrante na Getulio Vargas.
    Fui Diretor Presidente de uma empresa Brasileiro a maior do ramo da América Latina.
    Tirei ou evitei a falência mais de 50 empresas Brasileiras …
    Viagem ao Brasil mensal mente durante 20 anos.

    Suas informações:
    Área Saúde:
    Completamente erradas!
    Sugiro que estude um sistema chamado Medical Aid.
    Sugiro que estude o chamado Affordable Health Care Act.
    Sugiro que estude Subsidized Housing.
    Sugiro que estude os sistemas de Apoio Comunitários e Estaduais.
    Sugiro que estude o sistema educacional municipal e estadual

    Esqueci de mencionar:
    Gratuitamente dei consultoria e fiz parte de equipes de desenvolvimento econômico de:
    Santos: David Capristano (stalinista)
    Aracaju: João Santos
    Araxa
    Minas
    Goiás
    Caldas novas
    Rio Quente
    Brasil : equipe planejamento estratégico segundo mandato.

    Ou seja….conheço razoavelmente os dois países
    EUA de Nixon a Obama
    Brasil de Gueisel a Dilma (conheci a maioria pessoalmente)

    Por favor e para seu bem pois senti nas suas palavras sinceridade mais infelizmente tenho que lhe dizer:
    Total falta de conhecimento para se poder se pronunciar a respeito.
    Se o quiser fazer sugiro que utilize Links:
    1- Governo Americano
    2- universidades Americanas
    a- Ivy League (maioria da direita, não todas)
    b- grandes universidades públicas Berkeley, New YORK, etc
    Primeiro análise o montante de seus “endowments”
    Segundo escolha as com os maiores ( sinônimo de independência financeira e de opinião)

    Dai….
    Se sinta preparado para fazer análise da economia Americana e de suas estruturas sociais.

    By the Way…
    Como imigrante nos EUA morei em “slums em Chicago a casa de 500 m2.
    Quando vivia no tal do “slum” morava num apartamento de dois quartos, cozinha, sala jantar, sala social.
    Água quente, fria e calefação incluída no aluguel…
    Carro automático com AC velho… Rsss mas andava…
    Meu salário?
    Us$1500 ou seja nível pobreza.
    Nunca me utilizei de nenhum apoio social.

    Recentemente socorri uma moça que estava sento atacada. Fui TB atacado. Chamei a polícia que chegou rapidamente. Quando me viram sangrando. Me pediram informações para poderem ir atrás do raptor (capturaram em menos de cinco minutos) e imediatamente chamaram ambulância para me atender.
    Quando as DUAS AMBULÂNCIAS. chegaram verificaram que meu ferimento era superficial, liberaram a segunda ambulância. Fizeram o tratamento e me perguntaram se queria ir ao hospital para fazer MIR. Transporte e hospital gratuito.
    Recusei (me fizeram assinar que recusava) …
    Dai a polícia terminou meu testemunho depois de tirar fotos para comprovar que eu havia sido machucado.
    Uma semana depois me contactou um procurador da justiça, nomeou um advogado público para me representar.
    O assaltante foi preso, solto sob fiança de us$ 100 000 ( não podendo chegar a 500 metros da minha pessoa) e irá a julgamento próximo mês.
    Quando o assaltante foi contratado num restaurante me telefonaram avisando e sugerindo que não frequentasse o restaurante. Se o fizesse o assaltante teria que sair do lugar de trabalho.

    Isso caro Rogerio…são os EUA
    Brasil: no Rio só andava com motorista//segurança para sair do carro e ir para o apartamento no hotel só com quatro seguranças permanecendo dois no meu corredor.
    Em SP quando íamos dormir a área de serviço era trancada com portas de grades e um segurança armado ficava na sala…
    Ônibus escolar? Dois seguranças para sete alunos….minha esposa (gringa teimosa foi assaltada sete vezes num ano) tive três carros roubados em 18 meses. Vários amigos assassinados um dentro de um dos melhores restaurantes de Brasília outro… Num posto de gasolina num bairro nobre de SP.

    Rogério,
    Mais uma vez sugiro que faça uma análise mais profunda e reveja sua posição.
    Grande Abraço,
    JDA

  99. Pingback: [EXAME] Um quinto dos novaiorquinos dependem de ajuda para se alimentar diariamente | Hum Historiador

  100. Nunca antes na história desse pais foi publicada uma asneira tão grande quanto esta. Meus amigos nos EUA riram com essa palhaçada.

  101. CONTA NÃO BATE AMIGO, ´população americana é de mais 300 milhões de pessoas, 50 milhões é igual a uma taxa menor que 20%.

  102. Carlos

    curioso que o IBGE detectou 22milhões abaixo da linha da pobreza em 2002 e hoje em dia temos 17 milhões…mas o PT tirou 40 milhões. Como o lula é analfabeto e a Dilma é retardada os números fazem “sentido”. Foi um completo alienado que escreveu isso aqui!!!

  103. Pedro

    Acho muito importante que se quantifique a miséria, mas se surpreender com ela me parece um erro científico que não se justifica. Desde Aristófanes, que a relação entre pobreza e riqueza já foi mostrada como necessária. A produção da riqueza faz par com a produção da pobreza.
    Vejam o que diz um inglês a respeito do problema:
    “Poverty is therefore a most necessary and indispensable ingredient in society, without which nations and communities could not exist in a state of civilization. It is the lot of man – it is the source of wealth, since without poverty there [7] would be no labour, and without labour there could be no riches, no refinement, no comfort, and no benefit to those who may be possessed of wealth – inasmuch as without a large proportion of poverty surplus labour could never be rendered productive in procuring either the conveniences or luxuries of life.”
    Esta passagem do livro A Treatise on Indigence diz tudo o que é necessário para se entender cientificamente o que é a pobreza, ou seja, a condição da riqueza.
    A Economia Política clássica, estou falando de Adam Smith, de Quesnay, de Ricardo, de Turgot, nada tem a ver com os economistas de nossos, esses que são formados nos cursos de economia. Para estes, a riqueza cai do céu, nada tem a ver com o trabalho, com uma classe, a classe trabalhadora, e a pobreza, não vou dizer. Com relação à pobreza, eles pensam barbaridades. Pra começar, é bom não falar dessas coisas. Este “assunto” não cabe neste amontoado de insanidades que são os manuais de economia.
    Aquilo que diz Ricardo, por exemplo, que capital é trabalho acumulado, jamais pode constar de um desses manuais para os quais sociedade é uma abstração. Falar de classes sociais é, para eles, uma heresia.

  104. Carlos Scorpião

    Tem muitos tabaréus que pensam que só eles viajam, porque saber ler nem sabem, nem Português nem Inglês! E dizem que é mentira, como nada sabem, melhor não crer neles, e eles pensam que quem fala dos EUA tem inveja, pelo contrário, muitos jamais cogitariam morar lá e morrer como um cachorro, crioulo, porque maioria dos que defendem são pardos aqui e negros lá, que fiquem por aí mesmo! Pior que inveja, é burrice e HIPOCRISIA, nem muitos norte-americanos, e conheço muitos, defendem os EUA como esses capachos de cidades do interior do Brasil, afinal chutavam latas aqui ou capinavam mato! Lixo não tem mais para pegar lá, eles mesmo estão fazendo isso nessa crise de trabalho, os capachos devem estar catando papelão e comida nos lixões, sem formação nenhuma, e os que tem, estão aquém dos de lá, mesmo com diplomas de Universidades mambembes daqui!

  105. Pobre americano ta mais pra muitas famílias classe media aqui do Brasil rs…
    só comparar os valores por lá um gol mega equipado aqui vale um camaro de lá daí vc já tira a piada…aqui no Brasil o que chamam de pobreza na verdade é miséria ou muito pior abaixo dela, achu que noticias como essas deve ser pra afugentar estrangeiro que pensa que a vida la é melhor, pegadinha do malandro raaaaa…

  106. Milan

    lá nos estados unidos eles vivem e nos no America do sul nos sobrevivem comer hoje e esperar se houver amanha!!!! se 80% deles estão na pobreza ou abaixo dela nos ainda estamos enterrados abaixo do chão.. meu caro rogerio beier por favor…..

  107. Empiricous

    Correto.
    E a comparação é deles (norteamericanos) com eles mesmos e com alguns países do primeiro mundo. Grave a situação deles nesta ótica. Gravíssima!
    E nós próximos meses, com o “desvencilhamento” dos bônus dos EUA pelos chineses, seus maiores credores (US$ 6 TRILHÕES do total de 18 TRILHÕES), podem estar próximos do fim da hegemonia política e econômica. Prazo: 6 meses.
    Só esperem e comentem depois deste prazo, por favor.

    • Empiricous

      Hoje, apesar da queda de pedido desemprego semanal nos EUA (dado estranho: uma semana aumenta outra sobe… e especulam nas bolsas) 5,3 milhões recebem Salário Desemprego e OUTROS 9 milhões estão desempregados há muito tempo, sem direito ou desistiram, e vivem de bônus comida bem como outros 42 milhões de pessoas.
      Os dados são sonegados até mesmo para a população norteamericana pela grande.mídia.
      Pode sim haver uma ruptura interna.
      Além do problema racismo.
      Não esqueçam: a comparação é entre eles, há 10, 20 anos atrás e hoje.

  108. Historiador nao deve ser um ignorante. Escreva A AMÉRICA. O povo aqui, nao se considera estadunidense que é uma boçalidade criada pelos brasileiros. Ninguem, em nenhuma parte do mundo e nem os americanos, se referem a eles como estadunidense PORQUE O NOME DO PAIS, É AMÉRICA. Estados Unidos DA AMÉRICA que eram as 13 colonias criadas pelos nativos que vieram da Itália e outras partes da Europa. Qdo os ingleses aqui chegaram, ja encontraram os AMERICANOS aqui, Uma homenagem ao descobridor do Continente americano, Américo Vespucio. Entao, eles tentaram mudar o nome do lugar em Roanoke para Nova Inglaterra, mas nao colou e eles acharam por bem aceitar a tradição dos gentios das 13 colonias. Nem a a Guerra Civil, ganha pelos Yankees mudou isso. os federados, apesar de perdedores, mantiveram a hegemonia do nome AMÉRICA. Estados Unidos da América compõe-se de 50 Estados entidades sub-nacionais, sendo 02 Estados conservando o stato de Pais: do Texas e Rhode Island que tem uma maioria de assentos no Congresso e no Senado, apesar de RI ser a menor da Federação.

  109. Essa sua estatistica é uma piada. Eu sou considerada pobre nos USA. Tenho uma casa geminada de 3 andares, e a renda familiar em torno dos 130 mil dólares por ano. Miserável,a renda familiar, dependendo do Estado não pode ultrapassar a média federada que é de 7 USD a hora trabalhada. Os Estados federados que optaram por ter um mínimo entre 7 e 15 usd a hora trabalhada, recebem em torno de 30 a 50 mil por ano.
    Alimentação nesse país é gratis e temos gente vivendo nas ruas. Maioria de imigrantes ilegais, drogados e doidos de pedra. Sendo que esses se agredirem ou roubarem alguem nas ruas em seu entorno, irão para a cadeia. Não sei o que acontece com alguns historiadores brasileiros que tem uma vontade louca que aqui vire um Brasil. Ai mentem, mostram estatísticas mirabolantes para justificar a sua psicose e depois seus alunos descobrem, vindo para cá que foram ludibriados. A primeira coisa que eles descobrem, é que aqui se chama AMÉRICA. E que os cidadãos se chamam americanos e não estadunidense, rsrsrs. Professores no Brasil, mentem muito. Tem muita criatividade, inútil.
    Para constar, moro em FAIRFAX, area metropolitana de DC, A maior renda per capta familiar americana. E sou considerada pobre para os padrões americanos. Voce morreria de inveja se pudesse ver a minha casa, meu trabalho no Wolf Trap Nacional Park. Eu pago 1.400 de hipoteca por 30 anos. Minha renda anual é de 46, 000 USD ano e meu marido, funcionário do Navy Federal, ganha em torno de 85,000 usd ano.
    POBRES. O que é considerado pobre no Brasil, é o homeless nos USA. A classe média do Brasil é uma fantasia. É ridículo dizer que pessoas que nem podem comer direito, não tem casa própria, são considerados cidadãos médios. Tudo ai é maquiado. A realidade de um país que não pode nem de longe se comparar com o padrão dos cidadãos daqui.

  110. white rabbit

    Se for assim, então Cuba já deve ter alcançado 250% de pobreza.

  111. Eita, Nunca vi um site mais tosco que esse. Quando tá custando o Pão com Mortadela kkkkkkkkkkkkkkk

  112. Eduardo

    Totalmente furada estas estatísticas!! Ridículo mesmo! Nada bate com a realidade. Bom está Cuba que não tem pobres..

  113. Zé Pitaco

    Milhões de estrangeiros se enfiaram e se enfiam todos os anos nos Estados Unidos para sofrerem então como masoquistas a “pobreza” americana?!Todos os que vão para os Estados Unidos são idiotas que gostam de viver na “pobreza” americana! Impressionante!

  114. marina

    Simplesmente não acredito em nada do foi dito nessa reportagem.

  115. Alex

    Cá prá nós! Acho que as comparações de lá com cá, já começaram erradas pelos percentuais apresentados e muito bem demonstrados por outros “críticos”. Talvez o ideal fosse comparar o meio de vida dos americanos, com austríacos, alemães, japoneses, canadenses. E não com parcos pobres latinos como nós, ou melhor do México para baixo. Fico vendo esse bando de vermelhos caviar, culpando a pobreza no mundo, quando ela já foi muito pior. E só melhorou graças a livre iniciativa e liberdade com exercícios austéros das instituições livres. Coisa que não acontece por aqui. Para ser diretor de escola, hospital, tem que ser amiguinho do vereador, prefeito, deputado e por aí vai. Juíz então, se não for amigo do governador não vai ser desembargador nunca. E aí como se julgaríam os desvios da classe proletariada política regada a caviar, champagne e moradia em bairros nobres? Os melhores países que apresentam um bom nível de bem estar social, são também de livre iniciativa e com forte regulação no mundo economico e nos negócios, sem negociatas por favor. Suécia, França, Noruega, Canadá, Austrália e alguns poucos, todos capitalistas “bem orientados”, de pouca selvageria, mas com governantes focados no bem estar social, e sem serem associados a diversos laranjas para desviarem o dinheiro do contribuinte, como temos visto ns mais diversos partidos deste país. Falta justamente o que está escrito em nossa bandeira. ORDEM, sem ela não há progresso. Quantos aos pobres de lá costumam viverem melhor do que os de cá, em geral é claro, não estou falando de miséria. Essa é igual a todos.

  116. Jorge Manuel Seixas

    Isso não é verdade, eu vivo nos Estados Unidos da América e isso não é exequível. A imagem fornecida é de um “homeless” ou pessoa sem abrigo. Esta uma doença crônica que o governo não é capaz de curar. Se por alguma razão desconhecida eu perder meu emprego hoje o governo vai fornecer-me com um cheque e comida para seis meses em alguns casos, até eu encontrar outro emprego. A maioria das pessoas que são considerados como pobres têm um celular, um carro e poucos uma casa. A pobreza neste país é não ter dinheiro suficiente para guardar no banco. Precisamos distinguir entre “homeless” ou pessoa sem abrigo e à pobreza e esse foi onde o autor deste artigo falhou

  117. Jpimenta

    Puro sensionalismo, estudo/estória mais demagoga , vivo aqui à 30 anos e não troco por nada, somos um país com cerca de 330,000,000 de habitantes e a teoria da relatividade aplica-se em todo o lado.
    Mas digo isto para ajudar à “festa” um pobrevive melhor aqui que em qualquer outro país no mundo.

  118. Orochimaru Sama

    E engraçado mais acho q essa pesquisa deve ter sido feita após a grande guerra civil só pode! Do contrário como pode a porra d um país viver com 80% da população na pobreza e ser considerada ao mesmo tempo uma das maiores potências pela ONU. Só se esse 80% eguivaler o povo d classe média alta aki do Brasil arrego. ETA mídia mentirosa

  119. Matheus Henrique de Souza

    É engraçado como a cabeça da galera associa as coisas de uma maneira errada, ri de mais aqui lendo os comentários.

  120. Orlando Carneiro de Matos

    Esses comentários precisam ser vistos com cautela porque: a) o IDH dos Usa é dos altos do mundo. Esse índice compreende renda per capita, educação e saúde; b) condenam os liberais, mas os países que adotam economias de mercado são os mais desenvolvidos em termos de inclusão social. Na verdade, as economias de mercado geram problemas que precisam ser administrados pelo estado, como as chamadas falhas de mercado. Pode ser o caso dos Usa. Na verdade, a concentração de renda tem aumentado no mundo. Não vamos esperar que os capitalistas vão resolver um problema que não é deles. O problema é político, mas talvez nenhum estado hoje possa enfrentar esse problema.

  121. Acredito que a tradução está errada

    São 49,7 milhões são pobres e 80% deste total estão na estrema pobreza

    Vejam se eu estou correto!

  122. outra coisa oque diabo é libra , aqui nos vivemos o “quilo ” como eu vou saber se se vive melhor de lanche se o peso é libra ??? se eu viajar e tiver digamos 3.000,000,00 milhões na conta , e passar mal tiver um AVC , quanto sera cobrado !!! olha a comida pode ser barata , os carros mas a saúde mata mas que tudo ai ….

  123. Lucia Fernanda Peterson

    A Pessoa Que Escreveu este artigo esta abaixo dos niveis de inteligencia e de informacao necessarios para pelo menos abrir a boca. Eh um analfabeto social, um irresponsavel por publicar algo assim, completamente contrario aa Verdade.

  124. LEONARDO ROITMAN

    Esse Rogério, só pode ser petista escravagista!

  125. Marllon

    Estudo História, mas esse artigo é de alguém que estudou Estória. Que lixo!

  126. Nivaldo Maia

    Nada pior que uma matéria onde não consta data nem da publicação ou do período analisado que levou à análise. ..

  127. francisco assis araujo

    Aqui usa e que e terra de pobre viver dou meu testemunho e comprovacao

  128. francisco assis araujo

    Sou motorista minha esposa e cabeleireira estou usa a 13 anos sou pobre,e nesta pesquisa,faco parte.. Consegui formar meus dois filhos, um enfermeiro,outro biologo. Resido em uma confortavel casa com mais de 280m quadrado, ar condicionado central funcionando 24 horas, tenho 1 carro a esposa outro. vou ao supermecado sem medo compro o que preciso da melhor qualidade chego ao caixa para pagar sem o menor medo do dinheiro faltar, aqui nos nao colocamos 20 ou 30 litros de gasolina, aqui enchemos o tanque sem notar o preco final pois e muito barato , seguro medico nosso pago 39,00 dollares e o governo completa o valor pagando 453,00 dollare para nos, Obama Care. todo vc pode comprar do bom ao computadormellhor,roupas,tenis,bicicletas,computador,celular. Gracas a nossa coragem de migra para esse pais, aqui fomos recebido de bracos aberto, muito trabalho e dedicacao a esta nacao verdadeiramente mae do mundo.mihoes de imigrantes sobrevivem nesta nacao sustentando sua familia no Brasil,Colombia,Cuba,Mexico,Guatemala ,Hunduras,Peru etc etc. Final da historia. Por Favor nao mim tire daqui adoro fazer parte desta pesquisa. 2803 Nw 23 st Boca Raton fl 332456.USA. Onde mim escondo.

  129. Jonathan Ghist

    Esse blogueiro deve ser pago pelo PT, me dizer que brasileiros saíram da miséria, é muita burrice….ou assiste muito Jornal Nacional.

    • Você deve ser louco!! Da onde tirou a ideia de que rede globo favorece pt?. O PT TIROU MAIS DE 40 MILHÕES DA POBREZA ESTREMA SIM,VÁ SE INFORMAR DIREITO. OU VOCÊ É MUITO BURRO OU MUITO MAU CARÁTER!.. REPETINDO: O PT TIROU MAIS DE 40 MILHÕES DA POBREZA ESTREMA

  130. Jonathan Ghist

    Rogerio Beiber, vá pra Cuba….. lá é seu lugar.

  131. SEM NENHUM FUNDAAMENTO,TOTALMENTE DESINFORMADO DA VERDADE, ESSE ESCRITOR K

  132. fabticio

    só uma pergunta impertinente sobre hoje em dia o grande fluxo, de pessoas investindo na bolsa de valores em todos mundo pessoas fisicas,
    e afirmam que tao tendo sucesso, com isso nos estados unidos sao mas de 66% ja de toda populaçao, esse numero tendo de crescer, inclusive nos U.S.A cada ano mas de 400.000 pessoas alcança um capital de , 1000.000.$
    fazendo a conta da entender que e futuramente , nao avera pessoas de classe media mas , isso levara muitas pessoas enriquecendo rapido, e largando seus empregos, fazendo e deixando o mercado e a mao de obra prima vazia, com isso a economia do país desabaria ,
    isso pelo fatoa de hoje terem robos que investe nas bolsa de valores fazendo que as pessaos que nao tem tempo para operar, com ele consiga operar com isso o numero de pessoas de 5% só que conseguia fatura na bolsa, passe pra 98% ou 99%, fazendo que isso quebre o pais uma vez, vendo que só tem milhonario ninguem vai querer trabalhar mais . issi futuramente vai gera um colapso em todo mundo, o que vera esse efeito primeiro vai ser países de primeiro mundo onde os investimento em bolsas, sao mas tradicionais, e tambem porcausa dos robos financeiros, espero que eu esteja errado sobre isso, mas tudo aponta pra isso.

  133. Paulo Antonio

    49 ou 47 milhoes de pessoas constituiem 80% da populacao estadunidense??? estados unidos tem mais de 300.000 de habitantes..sendo assim 49 milhoes de habitantes nao fazem 80% da populacao…. miseria de texto..

    • fabricicio v bego

      a questao nao é estar 100% acertados em dados, ou em portugues bem esplicado,,aqui,!! mas porem o estados unidos junto com a china, e outro paises desenvolvidos, sao grande porem nao tem Reputação, ao mesmo tempo que tem uma grande cultura de investimento, patrocinada e apaiada pelo governo, que só penssa em crescer, hj america tem grande potencial e milhonarios nao é atoa, um dos fatos mas relevante sao os , meios de investimentos, que no brasil esta começando a chegar, o estados unidos e china e outro, existe uma grande demanda essaciavel por parte, da cresce economica com sede de enriquecer uma ves que isso, e claramente possivel, sendo assim forma bolhas economica tanto no mercado acionario, como nos creditos, uma vez que as empresa nao, consegue acompanhar a demanda agregada, e precisa espandir, e estoura os credito jogando um pais tao forma a nada, hj a china ta ruim o u.S.A segundo jornal nao ta nada bom

      culpado maior sao governo que nao regula as bolsas de valores e outttros meio de investimento,,, as bolsas de valores dum modo Geral, quando elas surgirao, elas em si erao mt complexa de se operar, fazendo assim que pocas pessoas, tinhao sucesso nela, com isso numero de trabalhadores nao cai pelo fato de nucna ficar financeiramente dependente, e tambem nao aquecia a economia, mais governo deixo as bolsa nao ser mais só pra investidor que tem pontecial para operar que sao muitos , poucos, hj todos operao, nas bolsa isso defido os robos! uns dos grande vilao disso tudo, onde esta dando problema pois o dilema que diz que ganha didim é dificil , hj nao é mas devido tecnologia que hj tem

      ,, se alguem quebrar esse dilema a coisa fica muito feia muitooo feia e começo ficar

      • carvalho

        vc esta precisando muito de aprenderrrr português para depois poder aprenderrrrr economiaaaaaa

  134. Sergio Parreira

    De acordo com todos os criterios internacionais o “pobre” é quem vive abaixo de x% do rendimento médio do pais em que reside.

    Um “pobre” nos EUA tem um nivel de vida de y$$$$ /ano
    Um “pobre” no Brasil tem um nivel e vida de z$$$/ano

    O nivel y e z podem ser completamente diferentes

    Brasil por exemplo tem estados com 35% de pobreza e outros como dist.federal e são paulo con 4,5% de pobreza.
    Jà nos states é completanente ridiculo falarmos em pobreza uma vez que a assistebcia social aos vagabundos e desempregados coloca.os a esses em niveis que no resto do mundo são considerados classe media alta. Se excluirmos aqueles vagrantes que recusam a vivencia em sociedade(a velha louca com a vida no seu carrinho de compras) não à pobres naquelas bandas …

  135. Pingback: O Trumpasso « Sul21

    • carvalho

      é isso mesmo ,por isso os americanos agora estao todos tentando emigrar para Cuba onde nao existe pobreza. Esta reportagem chama-se Humor marxista

  136. fabricicio v bego

    • fabricicio v bego

      grande parte desse acontecimento vem devido o nao regulamento de capital, onde gera isso onde governo cruza abraco somente.

  137. Samuzlsp

    Eu observo isso conversando com norte-americanos pela Internet. Muita gente foi mandada embora e voltaram ao mercado de trabalho com salários menores. Como explicar o PIB dos EUA. Simples, tecnologia. Quantas pessoas vc precisa para construir um iPhone? A robótica tomou conta da linha de produção e todos esses desempregados são descartados pelo sistema. A concentração de renda aumentou absurdamente.

  138. Ricardo

    “E é por esse motivo, que todos os dias americanos, em balsas improvisadas, cruzam o oceano para buscar refúgio em terras Cubanas!”
    – Não pera!
    Mais um pasquim tipo “limpinho e cheiroso” “brasil247 – deveria ser braçiu171” e por aí vai…

  139. Matheus Oliveira

    Como pode isso se a bolsa de valores só vem crescendo, a taxa de desemprego a menor, tudo mentira isso !

  140. Alex

    Será que algum IDIOTA Irá acreditar numa merda dessas?
    Eu nunca li tanta asneira numa publicação!
    O IMBECIL que criou isso poderia apagar essa postagem que vai ficar menos feio….apaga que da tempo!
    Os Americanos vão começar a migrar pro Brasil!
    Apaga isso Acéfalo!

  141. Cristiano

    por isso que os americanos vivem fugindo para o Brasil e para o Mexico.

    😂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s